Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Evangelho de Lucas, 3,15-16.21-22

Missa de 13 de janeiro de 2019


Resultado de imagem para imagem e desenhos infantil sobre o batismo do senhor
1º DOMINGO DO TEMPO COMUM
FESTA DO BATISMO DO SENHOR

Leituras
Primeira Leitura Is 42, 1-4.6-7
Salmo 28 (29)
Segunda Leitura At 10, 34-38
Evangelho Lucas 3, 15-16.21-22

Mensagem Principal

Na pessoa de Jesus, a separação que havia entre Deus e a humanidade se rompeu. Ao ser batizado por João Batista, Jesus faz com que permitamos viver algo além do batismo: a experiência com o Espírito Santo. É a partir dessa experiência que somos impelidos a assumir nossa missão no mundo. 






Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

Numa Palestina em plena efervescência messiânica, a figura e a atividade de João fazem que surjam conjecturas sobre o seu possível messianismo. Será João esse “ungido de Deus” (“messias”), cuja missão é libertar Israel da dominação estrangeira e assegurar ao Povo de Deus vida em abundância e paz sem fim?
João rejeita, de forma categórica, essa possibilidade. Ele não é o “messias”; a sua missão (inclusive como administrador de um “batismo” de penitência e de purificação) é, apenas, preparar o povo para esse tempo novo que vai começar com a chegada do verdadeiro “messias” (vers. 15-16). O “messias” que “vai chegar” é definido por João como “aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias”. “Desatar as correias das sandálias” era tarefa dos escravos (por isso, a tradição rabínica proibia ao discípulo desatar as correias das sandálias do seu mestre). A imagem utilizada define, pois, João como um “escravo” cuja missão é estar ao serviço desse “messias” que está para chegar. O “messias”, além de ser “mais forte” do que João, irá “batizar com o Espírito e com o fogo”. Tanto a fortaleza, como o batismo no Espírito, são prerrogativas que caracterizam o Messias que Israel esperava (cf. Is 9,5-6; 11,2). O testemunho de João não oferece dúvidas: chegou o tempo do “messias”, o tempo da libertação que os profetas anunciaram, o tempo em que o Povo de Deus irá receber o Espírito. Na perspectiva de Lucas, esta “profecia” de João concretizar-se-á no dia de Pentecostes: o “fogo” do “messias”, derramado sobre os discípulos reunidos no cenáculo, fará nascer um Povo novo e livre, a comunidade da nova Aliança.
A cena do “batismo” irá identificar claramente esse “messias” anunciado por João com o próprio Jesus (vers. 21-22). O Espírito Santo, que desce sobre Jesus “como uma pomba”, leva-nos a essa figura de “Servo de Jahwéh” apresentada na primeira leitura, que recebe o Espírito de Deus para levar “a justiça às nações”. Por outro lado, a “voz vinda do céu” apresenta Jesus como “o Filho muito amado” de Deus (vers. 22). A missão de Jesus será como a do “Servo”, “abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas” (Is 42,7); para concretizar esse projeto, Ele irá “batizar no Espírito” e inserir os homens numa dinâmica de vida nova – a vida no Espírito.
Na cena do “batismo” de Jesus, o testemunho de Deus acerca de Jesus é acompanhado por três fatos estranhos que, no entanto, devem ser entendidos em referência a fatos e símbolos do Antigo Testamento…
Assim, a abertura do céu significa a união da terra e do céu. A imagem inspira-se, provavelmente, em Is 63,19, onde o profeta pede a Deus que “abra os céus” e desça ao encontro do seu Povo, refazendo essa relação que o pecado do Povo interrompeu. Desta forma, Lucas anuncia que a atividade de Jesus vai reconciliar o céu e a terra, vai refazer a comunhão entre Deus e os homens.
O símbolo da pomba não é imediatamente claro… Provavelmente, não se trata de uma alusão à pomba que Noé libertou e que retornou à arca (cf. Gn 8,8-12); é mais provável que a pomba (em certas tradições judaicas, símbolo do Espírito de Deus que, no início, pairava sobre as águas – cf. Gn 1,2) evoque a nova criação que terá lugar a partir da atividade que Jesus vai iniciar. A missão de Jesus é, portanto, fazer aparecer um Homem Novo, animado pelo Espírito de Deus.
Temos, finalmente, a voz do céu. Trata-se de uma forma muito usada pelos rabinos para expressar a opinião de Deus acerca de uma pessoa ou de um acontecimento. Essa voz declara que Jesus é o Filho de Deus; e o faz com uma fórmula tomada desse cântico do “Servo de Jahwéh” que vimos na primeira leitura de hoje (cf. Is 42,1)… A referência ao Servo de Jahwéh sugere que a missão de Jesus, o Filho de Deus, não se desenrolará no triunfalismo, mas na obediência total ao Pai; não se cumprirá com poder e prepotência, mas na suavidade, na simplicidade, no respeito pelos homens (“não gritará, nem levantará a voz; não quebrará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega” – Is 42,2-3).
Porque é que Jesus quis ser batizado por João? Jesus necessitava de um batismo cujo significado primordial estava ligado à penitência, ao perdão dos pecados e à mudança de vida? Ao receber este batismo de penitência e de perdão dos pecados (do qual não precisava, porque Ele não conheceu o pecado), Jesus solidarizou-Se com o homem limitado e pecador, assumiu a sua condição, colocou-Se ao lado dos homens para ajudá-los a sair dessa situação e para percorrer com eles o caminho da libertação, o caminho da vida plena. Esse era o projeto do Pai, que Jesus cumpriu integralmente.
A cena do Batismo de Jesus revela, portanto, essencialmente, que Jesus é o Filho de Deus, que o Pai envia ao mundo a fim de cumprir um projeto de libertação em favor dos homens. Como verdadeiro Filho, Ele obedece ao Pai e cumpre o plano salvador do Pai; por isso, vem ao encontro dos homens, solidariza-Se com eles, assume as suas fragilidades, caminha com eles, refaz a comunhão entre Deus e os homens que o pecado havia interrompido e conduz os homens ao encontro da vida em plenitude. Da atividade de Jesus, o Filho de Deus que cumpre a vontade do Pai, resultará uma nova criação, uma nova humanidade.

Fonte: Dehonianos

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Oi catequista, tudo bem? Preciso te contar uma coisa muito legal que aconteceu hoje. É que eu fui ao batizado do meu priminho. Meu papai e minha mamãe foram padrinhos dele.

Catequista: É mesmo? Que legal, uma importante missão seus pais receberam! Parabéns para a sua família!

Personagem A: É sim, e durante o batizado eu me lembrei bastante do que a Catequese nos ensina sobre Jesus. É que o Padre se chamava João Batista, assim como aquele que batizou Jesus.

Catequista: Que interessante, como no Batismo de Jesus!

Personagem A: Isso mesmo que eu pensei. Aí já aproveitei e quando terminou o batizado eu contei, para meu tio e minha tia, tudo o que aprendi na catequese sobre o batismo de Jesus!

Catequista: Que maravilha. Fico muito, muito feliz! E me conte como foi...

Personagem A: Conto sim... Então, depois que acabou o batizado do meu priminho, que tiramos um monte de fotos eu chamei minha família e o Padre João Batista.

Catequista: Nossa! Chamou o Padre também?

Personagem A: Ah sim, porque se eu me esquecesse de alguma coisa ele me ajudaria, ele é um padre muito legal!

Catequista: Muito bom. Então me conte como foi.

Personagem A: Eu disse que o Batismo é um momento muito rico da nossa igreja. Contei que no Batismo de Jesus Ele foi revelado como o Messias e então conhecemos a Trindade Santa, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Catequista: Isso mesmo, Jesus assume sua missão de libertar o povo que estava cego, oprimido e ainda recebe o Espírito Santo que Deus enviou sobre Ele. Você contou que o Espírito Santo é o nosso amigão, que foi amigão de Jesus também dando a Ele força para cumprir sua missão com humildade, bondade e mansidão? Por isso Jesus é o exemplo que devemos seguir.

Personagem A: É isso que eu disse, e disse mais... Com Jesus passamos a ter uma vida nova. Ele é a justiça e a luz para todos os povos, que quer dizer que Jesus veio para cumprir a missão de salvar todo mundo, sem deixar ninguém de fora.

Catequista: É verdade! Com Jesus passamos a receber o Espírito Santo e assim a ter uma grande ajuda para descobrir o melhor caminho para o céu.

Personagem A: Ah! O Padre me deu uma missão, me disse que como sou filho dos padrinhos do meu priminho eu também posso ajudá-lo a sempre ter o Espírito Santo no coração, a lutar contra o pecado e trazer mais e mais amiguinhos para Jesus!

Catequista: E você? Topou?

Personagem A: Claro! Vou ser o super primo mais velho ajudante dos padrinhos!

Catequista: Dos padrinhos e de Jesus! Parabéns! Vou rezar pela sua missão. Deus abençoe!

Personagem A: Muito Obrigada! Tchau, tchau. Vou pra casa dar uma ligadinha para a minha tia e saber como está o priminho... Tenho que ficar por perto, sempre para ajudá-lo a andar no caminho de Jesus!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Inicie uma conversa falando sobre o batismo de Jesus e perguntando se as crianças sabem qual foi o presente que recebemos de Deus através do batismo? (em quem é o Espírito Santo)
Pergunte as crianças se elas sabem quem é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é um presente que Deus nos deu para nos ajudar a descobrir o melhor caminho para o céu.

Para entendermos melhor como o Espírito Santo age em nós, vamos fazer uma dinâmica. 

Utilizando um balão de festa (bexiga) vazio siga com os passos abaixo.

- Estão vendo esse balão? Para que serve um balão? (brincar, enfeitar, alegrar, jogar, etc.)

- Este balão vazio está pronto para fazer tudo isso? (não)

- O que está faltando? (enchê-lo). O cristão também nasceu para amar p, servir, perdoar, etc. e não ara viver sozinho. Um cristão vazio não consegue servir.

- O que enche este balão que o faz ficar pronto para ser usado? (o ar). E o cristão? Quem o enche e o torna pronto para amar, servir, etc? (o Espírito Santo).

- Para encher o balão temos que fazer o quê? (soprar). Para ficarmos cheios do Espírito Santo é Jesus quem sopra no nosso batismo. (sopra o balão).

- O balão está cheio, mas não vejo nada dentro dele. O Espírito Santo também está em nós e não o vemos, apenas o sentimos como o ar.

- (soltar no ar o balão cheio sem amarrar). Quem está movimentando o balão? (o ar que sai de dentro o empurra para frente). Cristão também deve ser impulsionado pelo Espírito Santo.

- Entenderam? O Espírito Santo nos é dado no nosso batismo e nos direciona ensinando-nos a seguir no caminho reto para o resto de nossas vidas.

Fonte: RCC Criança Uberlândia

Oração

Querido Jesus, obrigado por ter aceitado a missão de Servo Escolhido por Deus e trazer a salvação a todos os povos.
Que possamos também ser guiados e fortalecidos pelo nosso amigão Espírito Santo.
Ensina-nos a ter a sua humildade e mansidão em nossa missão como cristãos ao levar o teu ensinamento a todas as pessoas.

Amém

Evangelho de Mateus 2,1-12

Missa de 06 de janeiro de 2019

Imagem relacionadaSOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR

Leituras
Primeira Leitura Is 60,1-6
Salmo Sl  (71(72))
Segunda Leitura Ef 3,2-3a.5-6
Evangelho Mt 2,1-12

Mensagem Principal

Caríssimos irmãos e irmãs, a manifestação de Jesus às nações traz ao mundo uma nova luz, devolvendo a todos a esperança da salvação e da libertação. Essa salvação não se dá da forma que os estudiosos das escrituras pensavam, através de um rei forte e poderoso; a salvação vem de onde menos se espera: da fragilidade de um menino. E, somente pela graça de Deus, pode-se enxergar nesse menino o Messias prometido.

Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

A liturgia deste domingo celebra a manifestação de Jesus a todos os homens… Ele é uma “luz” que se acende na noite do mundo e atrai a si todos os povos da terra. Cumprindo o projeto libertador que o Pai nos queria oferecer, essa “luz” incarnou na nossa história, iluminou os caminhos dos homens, conduziu-os ao encontro da salvação, da vida definitiva.
A primeira leitura anuncia a chegada da luz salvadora de Jahwéh, que transfigurará Jerusalém e que atrairá à cidade de Deus povos de todo o mundo.
No Evangelho, vemos a concretização dessa promessa: ao encontro de Jesus vêm os “magos” do oriente, representantes de todos os povos da terra… Atentos aos sinais da chegada do Messias, procuram-no com esperança até O encontrar, reconhecem n’Ele a “salvação de Deus” e aceitam-no como “o Senhor”. A salvação rejeitada pelos habitantes de Jerusalém torna-se agora um dom que Deus oferece a todos os homens, sem exceção.
A segunda leitura apresenta o projeto salvador de Deus como uma realidade que vai atingir toda a humanidade, juntando judeus e pagãos numa mesma comunidade de irmãos – a comunidade de Jesus.


Ideia de roteiro para teatro


PA entra com cara brava.


PB: Oi PA! Está tudo bem com você?

PA: Não está não! Minha mãe já inventou coisas pra eu fazer bem na hora que estava brincando na rua com meus amigos.

Catequista: Nossa e o que sua mãe inventou?

PA: Fomos visitar minha tia e o bebê novo que ela ganhou.

PB:Nossa, mas isso é muito legal!


PA: Sim um bebê novo é sempre legal, mas minha mãe me tirou da brincadeira na melhor parte!
Me fez deixar tudo de lado e tomar banho pra gente ir. Depois ainda passou no shopping pra comprar presente. Foi tudo muito demorado.


PB: Ah PA! Mas é assim mesmo! Você não ouviu no Evangelho que dizia que os reis magos foram visitar Jesus?

PA Reis magros?

PB: Não PA! Reis magos! Eram reis muito sábios e poderosos e eles deixaram tudo para visitar Jesus!

PA: Mas vai ver eles não estavam na melhor parte da brincadeira!

Catequista: Eles viajaram um longo caminho para adorar Jesus e ofertar-lhe presentes PA. Deixaram tudo e seguiram a estrela.

PA: Ah Catequista, mas era Jesus né? 

Catequista: Sim PA! Era Jesus! 

PA: Se minha mãe não fosse antes comprar presente teria sido bem mais rápido!

PB: Mas sempre que visitamos um bebê levamos uma lembrancinha de boas vindas!

Catequista: Isso mesmo! E os reis magos ofereceram para Jesus ouro, incenso e mirra!

PA: E porque estes presentes ?

Catequista: O ouro representa a realeza e Jesus nasceu para ser o rei dos Judeus, Incenso era um símbolo da oração, usado no templo para representar a subida das orações até Deus, assim como a fumaça. E a mirra era utilizada para embalsamar e perfumar. Depois que Jesus morreu usaram mirra para ungir o corpo dele. 

PA: Nossa e os reis deram tudo isso logo que ele nasceu!

PB: Catequista porque eles ficaram tão feliz de ver a estrela?

Catequista: Porque a estrela indicava o lugar onde estava o salvador! E todos esperavam ansiosos pelo Messias que viria para salvar o povo de Israel.
E vendo a estrela sabiam que estavam chegando perto de onde Jesus estava.

PA: Depois de comprar o presente quando finalmente chegamos pra fazer a visita eu também fiquei muito feliz! É muito bom ver um bebezinho novinho né?

PB: Eu também fico muito feliz toda vez que encontro algum bebê! Minha mãe sempre diz que cada bebê que nasce é sinal de que Deus acredita em nós.

Catequista: Isso mesmo PB! Cada pessoa que vem para o mundo traz com ela uma missão e nós que somos cristãos temos a grande missão de espalhar o amor de Deus e de levar a alegria e esperança que o nascimento de Jesus nos trouxe.

PA: Pensando bem gente não vou mais reclamar de visitar bebês não! Vou me lembrar da viagem longa dos reis e do quanto é importante espalhar a esperança e o amor! E não tem nada que enche mais nosso coração de amor do que um bebê!

Catequista: Isso mesmo crianças!

PB: Ah Catequista já ia me esquecendo de perguntar, Porque os reis não podiam contar pra Herodes onde Jesus estava?

Catequista: Ah sim! É porque eles foram avisados em sonho por Deus, pois Herodes queria matar Jesus.

PA: Nossa ainda bem que eles voltaram por outro caminho então!

PB: É mesmo! Que bom!

PA: Da próxima vez que for visitar um bebê eu mesmo vou ajudar a escolher um presente especial e vou com o coração ainda mais alegre de lembrar da visita especial dos magos.

Sugestão de Música





Ideia para trabalhar esse Evangelho

Vamos preparar alguns presentes para ofertar pra Jesus?

Levar para o encontro uma caixa enfeitada onde serão depositados os presentes elaborados pelas crianças.

Montar alguns presentes que poderão ser encontrados no local do encontro. Desenhos, flores, pedrinhas, elementos da natureza.

Resultado de imagem para bau de tesouro desenho

Oração

Jesus, neste dia que eu saiba te entregar de presente meu coração e minha vida. Que a alegria do seu nascimento esteja sempre inundando meu ser e que eu seja canal dessa alegria na vida de todos que passarem pela minha.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Evangelho de Lucas 2, 41-52

Missa de 30 de dezembro de 2018


FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA: JESUS, MARIA E JOSÉ - OITAVAS DE NATAL


Leituras
Primeira Leitura Eclo 3,3-7.14-17a
Salmo 127/128
Segunda Leitura Cl 3,12-21
Evangelho Lucas 2, 41-52
Fonte: http://liturgiadiaria.cnbb.org.br

Mensagem Principal

Amados irmãos e irmãs, na Liturgia de hoje, voltamos nosso olhar para a Família de Nazaré, a comunidade de amor de Jesus: Maria e José. Ela é o grande modelo para as famílias cristãs e de acolhida da Palavra de Deus. Jesus nasceu numa família, para mostrar a importância de um lar na formação do ser humano, em todas as suas potencialidades e dimensões.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

A liturgia deste domingo propõe-nos a família de Jesus como exemplo e modelo das nossas comunidades familiares… Como a família de Jesus – diz-nos a liturgia deste dia – as nossas famílias devem viver numa atenção constante aos desafios de Deus e às necessidades dos irmãos.

O Evangelho põe-nos diante da Sagrada Família de Nazaré apresentando Jesus no Templo de Jerusalém. A cena mostra uma família que escuta a Palavra de Deus, que procura concretizá-la na vida e que consagra a Deus a vida dos seus membros. Nas figuras de Ana e Simeão, Lucas propõe-nos também o exemplo de dois anciãos de olhos postos no futuro, capazes de perceber os sinais de Deus e de testemunhar a presença libertadora de Deus no meio dos homens.
A segunda leitura sublinha a dimensão do amor que deve brotar dos gestos dos que vivem “em Cristo” e aceitaram ser “Homem Novo”. Esse amor deve atingir, de forma muito especial, todos os que connosco partilham o espaço familiar e deve traduzir-se em determinadas atitudes de compreensão, de bondade, de respeito, de partilha, de serviço.A primeira leitura apresenta, de forma muito prática, algumas atitudes que os filhos devem ter para com os pais… É uma forma de concretizar esse amor de que fala a segunda leitura.
Fonte: Dehonianos


Ideia de roteiro para teatro


Personagem A: Ah entra ano e sai ano e tudo na mesma... acho que eu queria ter nascido em outra família, viu?!

Personagem B: Outra família? como assim?

Personagem A: Ah to cansado... minha mãe só briga comigo, protege minha irmã e meu pai, diz que sou mais velho tenho que dar o exemplo!

Personagem B: Você não passa por isso já é o queridinho da mamãe... o caçulinha...eu tô cansado, viu?!

Catequista: Meninos, tudo bem? podem me ajudar com estas caixas da nossa salinha de catequese?

Personagem A e B: Sim, podemos tia!

Personagem A: Tia, tá de mudança?

Personagem B: Ou é limpeza de ano novo?

Catequista: Limpeza de ano novo! Faz bem fazer arrumações, limpa nosso coração também... traz lembranças boas, vi várias fotos da nossa turminha e outras tantas que já dei catequese...uma família!

Personagem A: Ah não, bem mais legal que uma família... você é bem mais legal que a minha mãe...

Catequista: Querido, por que está falando assim? Com o que tá chateado?

Personagem B: Tia, ele quer mudar de família...

Personagem A: Ah na verdade, eu queria mesmo era que ela não fosse assim tão chata e com tantas cobranças comigo... tudo eu, tudo eu...cansa...

Catequista: entendi...olhem só o que temos aqui nesta caixa...

Personagem A e B: O presépio!

Personagem A: Vamos montar? gosto tanto...

Catequista e Personagem B: Vamos!

...enquanto a montagem acontece!

Catequista: Meninos, esta aqui é a familia de Jesus!

Personagem A: Ele é um menino de sorte...tem uma mãe bem boazinha e não tinha irmãos...

Catequista: Claro que tem irmãos...

Personagem B: É teve os apostolos e depois todos nós...

Personagem A: É mesmo hein... tinha esquecido... teve muito irmão... vixe... deve ter sido só briga...ainda mais o coitado de Jesus que tinha que ser exemplo de tudo!

Catequista: Olha, pode até ter havido algumas discordancias, mas briga garanto que não... Jesus sempre tratou seus irmãos, sua família, com muito, muito amor! Ele não se esquecia do porque estavam juntos!

Personagem A: E porque é? Como é que Deus escolhe de que família cada um vai ser?

Personagem B: Olha, boa pergunta...

Catequista: É Deus escolhe mesmo! E acho que ele pensa assim, estes dois serão da mesma família para ajudar o outro a perceber meu amor! a crescer juntos... mesmo nas dificuldades, lembrar que família é amor!

Assim Deus escolheu a Sagrada Família para ser a família de Jesus e modelo para a nossa!

Personagem A: Modelo?

Personagem B: Vixe, sem chance... não vamos conseguir não! Lá em casa então, nem pensar...

Catequista: Vamos sim, temos que tentar todo dia, temos que lembrar deste pedido do coração de Deus é na família que o amor acontece, a família é o sonho Dele...temos que nos esforçar...

Personagem A: Nossa, mas é muito dificil!

Catequista: Sim, não é mesmo fácil...

Personagem B: Acho que devemos começar pensando em tudo de bom que a nossa família tem e depois ir pensando em melhorar o que precisa, né tia?!

Catequista: Exatamente!
Vocês acham que Nossa Senhora nunca pediu para Jesus ajudar nas tarefas de casa quando ele tava brincando ou teve aquela conversa séria de esposa e esposo com São José?

Personagem A e B: Teve?

Catequista: Claro que sim! Mas sempre lembraram que em qualquer conversa de família, qualquer uma mesmo... Deus tem que estar no meio... o Espirito Santo, sempre nos ajuda!

Personagem A: Olha, nunca tinha pensado assim... eu quero tentar e vou conseguir! vou agora mesmo para casa contar para todos da nossa conversa... e eu vou mudar...

Ouvi o padre dizer que a mudança tem que começar na gente!

Catequista: Muito bem... quero saber tudo, tudo na volta da Catequese!


Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho


É sempre muito rico trabalhar o tema da Família e quão mais o da Sagrada Família!
Deus quis que seu filho nascesse em uma família, e por que será?
Como é a família de Jesus? quem eram e como eram (mostrar as imagens do presépio)...
Nem todas as famílias são assim de pai e mãe, como é a sua? e como são as pessoas?

O que realmente importa em uma família é o quanto ela se espelha, o quanto busca exemplo na sagrada família...

Como lembrancinhas, podemos comprar pequenos espelhinhos e colar acima ou atrás a imagem da Sagrada Família... e pedir que cada criança e depois os familiares reflitam, da Sagrada família, com quem mais preciso aprender?


Oração

Senhor Jesus, que eu aprenda dia a dia com a sua linda família! Amém!


terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Evangelho de Lucas 1, 39-47

Missa de 23 de dezembro de 2018


4º DOMINGO DO ADVENTO


Leituras
Primeira Leitura Miq 5, 1-4a
Salmo 79 (80)
Segunda Leitura Heb 10, 5-10
Evangelho Lc, 1, 39-47
Liturgia Diária





Mensagem Principal


Irmãos e Irmãs, Deus hoje nos convida a admirar a disposição de Maria em sair da sua casa, da sua terra, e de si mesma para caminhar em busca do serviço ao irmão. O Espírito Santo se manifestou vivamente naquele encontro entre as duas mães. O amor que sentimos pelos nossos irmãos e irmãs e o desejo de servir a eles por amor a Deus é o grande sinal da ação do Espírito Santo em nós. (Fonte: Folheto Nova Aliança)

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!


MENSAGEM

Nestes últimos dias antes do Natal, a mensagem fundamental da Palavra de Deus gira à volta da definição da missão de Jesus: propor um projeto de salvação e de libertação que leve os homens à descoberta da verdadeira felicidade.
O Evangelho sugere que esse projeto de Deus tem um rosto: Jesus de Nazaré veio ao encontro dos homens para apresentar aos prisioneiros e aos que jazem na escravidão uma proposta de vida e de liberdade. Ele propõe um mundo novo, onde os marginalizados e oprimidos têm lugar e onde os que sofrem encontram a dignidade e a felicidade. Este é um anúncio de alegria e de salvação, que faz rejubilar todos os que reconhecem em Jesus a proposta libertadora que Deus lhes faz. Essa proposta chega, tantas vezes, através dos limites e da fragilidade dos “instrumentos” humanos de Deus; mas é sempre uma proposta que tem o selo e a força de Deus.
A primeira leitura sugere que este mundo novo que Jesus, o descendente de David, veio propor é um dom do amor de Deus. O nome de Jesus é “a Paz”: Ele veio apresentar uma proposta de um “reino” de paz e de amor, não construído com a força das armas, mas construído e acolhido nos corações dos homens.
A segunda leitura sugere que a missão libertadora de Jesus visa o estabelecimento de uma relação de comunhão e de proximidade entre Deus e os homens. É necessário que os homens acolham esta proposta com disponibilidade e obediência – à imagem de Jesus Cristo – num “sim” total ao projeto de Deus. (Fonte: Dehonianos.org)


Ideia de roteiro para teatro


(Personagem A e B entram)

PA: Oi PB, tudo bem?

PB: Tudo! Mas, você por aqui? Você não ia ajudar seu primo arrumar o quarto dele?

PA; Ah, fui nada... eu mal arrumo o meu!

PB: Você é mesmo muito bagunceiro...

PA: E além do mais, meu primo anda muito rabugento e baixo astral!

PB: Puxa, mas então seria uma ótima oportunidade para você levantar o astral dele!

(Entra a catequista)

Catequista: Oi meninos! Ouvi bem? Tem alguém aqui precisando levantar os astral? 

PB: É o primo do PA que anda rabugento e com baixo astral...

Catequista: Mas então levante o astral dele!

PA: Como?

Catequista: Faça como Maria no evangelho de hoje! Leve Jesus até seu primo!

PB: Mas catequista, fazer como Maria? Maria estava grávida... e o PB não!!!

Catequista: Meninos, Jesus não mora no nosso coração?

PA e PB: Sim!

Catequista: Então podemos levá-lo pra onde formos! No nosso coração, nas nossas atitudes, nas nossas palavras!

PA e PB: Aaahhh!

Catequista: Mas vejam que bonito! Maria não foi visitar Isabel porque ela estava baixo astral... Foi visitar por solidariedade, amizade!

PA: Solidariedade?

Catequista: Sim! Devemos sempre estar atentos às necessidades dos irmãos e ir ao seu encontro, partilhar nossa amizade e ser solidários com suas necessidades!

PB: Eu disse para o PA que seria bom ele visitar o primo dele!

Catequista: Fez bem! Pois quando levamos Jesus ao encontro do nosso próximo, seja através de uma palavra, de uma amizade, de um sorriso, assim como Maria, estamos dizendo sim ao projeto de Deus!

PA: Projeto de Deus?

Catequista: Sim! Deus nos prometeu a salvação! Deus tem um projeto de vida, de salvação! E Deus nos ama tanto, que enviou Jesus para concretizar suas promessas!

PB: Então quando sou obediente à Palavra de Deus, quando levo Jesus aos outros, estou realizando o projeto de Deus?

Catequista: Sim! E por isso Maria é exemplo pra nós!

PA: Nossa catequista! Essa nossa conversa me fez refletir sobre como lidar como as coisas, entre elas, como agir com meu primo!

Catequista: Fico feliz em ouvi-lo falando assim! Pois não é fácil dizer 'sim', não é fácil sair de nós e ir de encontro ao outros, mas quando deixamos Jesus, que mora em nós, agir, tudo se estremece, tudo se agita, tudo se alegra!!!

PB: Verdade! Como disse no evangelho... que o menino pulou no ventre de Isabel!


Catequista: Exatamente isso que a presença de Jesus faz na nossa vida, estremece, alegra! Por isso, devemos levar Essa presença por todo o mundo!



Sugestão de Música





Ideia para trabalhar esse Evangelho


Complete a cruzadinha com as palavras em destaque:

ZACARIAS e sua mulher ISABEL eram muito bons. Viviam nos montes de JUDÁ
Depois que o Anjo Gabriel foi embora, Maria foi à casa de Isabel fazer uma visita. Logo que entrou Isabel a saudou dizendo: "Bendita é você, Maria, entre as mulheres, e bendito é seu filho".  Maria respondeu dizendo: "Minha alma glorifica o Senhor, porque Ele fez grandes coisas em mim".
Maria ficou três meses na casa de Isabel e, depois, voltou para casa. Isabel teve um filho ao qual deu o nome de JOÃO.




Oração


Senhor, que eu, assim como Maria, eu diga sim ao projeto de Deus. Que eu leve Jesus por onde eu for, sendo para o próximo, Sua luz, Sua paz e Seu amor. Amém!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Evangelho de Lucas 3,10-18

Missa de 16 de Dezembro de 2018


3º DOMINGO DO ADVENTO

Leituras
Primeira Leitura  (Sf 3,14-18a)
Salmo (Is 12,2-3.4bcd.5-6)
Segunda Leitura  (Fl 4,4-7)
Evangelho  (Lc 3,10-18)
Liturgia Diária

Mensagem Principal


O terceiro domingo do Advento é o “domingo da alegria e da esperança”, pedagogicamente colocado pela Igreja na proximidade do Natal. João Batista enfatiza uma exigência radical, que atinge o cerne do nosso ser – uma preocupação com os mais pobres, manifestada na busca de justiça e solidariedade.
Fonte: Folheto Nova aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:



Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

A primeira parte do Evangelho de hoje (vers. 10-14) é uma secção própria de Lucas. Pôr as pessoas as perguntar “o que devemos fazer” é habitual em Lucas (cf. At 2,37; 16,30; 22,10): sugere uma abertura à proposta de salvação que vem de Deus. João Batista propõe, então, três atitudes concretas para quem quer fazer a experiência de conversão e de encontro com o Senhor que vem: ao povo em geral, João Batista recomenda a sensibilidade às necessidades de quem nada tem e a partilha dos bens; aos publicanos, pede que não explorem, que não se deixem convencer por esquemas de enriquecimento ilícito, que não despojem ilegalmente os mais pobres; aos soldados, pede que não usem de violência, que não abusem do seu poder contra fracos e indefesos… Repare-se como João Batista põe em relevo os “crimes contra o irmão”: tudo aquilo que atenta contra a vida de um só homem é um crime contra Deus; quem o comete, está a fechar o seu coração e a sua vida à proposta libertadora que Cristo veio trazer.
Na segunda parte do Evangelho (vers. 15-18), João Batista anuncia a chegada do batismo no Espírito Santo, contraposto ao batismo “na água” de João. O batismo de João é, apenas, uma proposta de conversão; mas o batismo de Jesus consiste em receber essa vida de Deus que atua no coração do homem, transforma o homem velho em homem novo, faz do homem egoísta e fechado em si um homem novo, capaz de partilhar a vida e amar como Jesus. Faz-se, aqui, referência a essa transformação que Cristo operará no coração de todos os que estão dispostos a acolher a sua proposta de libertação: começará, para eles, uma nova vida, uma vida purificada (fogo), uma vida de onde o pecado e o egoísmo foram eliminados, uma vida segundo Deus. Para Lucas, este anúncio do profeta João concretizar-se-á plenamente no dia de Pentecostes.
Fonte

Ideia de roteiro para teatro

(Personagens A e B entram)

PA: Oi pessoal, oi PB!

PB: Oi PA, tudo bem?

PA: Estou mais ou menos!

PB: Mas porque, o que aconteceu?

PA: Estou de castigo de novo!

(Catequista entra)

PB: Que chato! Mas o que você fez para ficar de castigo?

C: Oi crianças!

PB: Oi catequista!

C: PA, está de castigo de novo? Mas o que houve?

PA: Sabe catequista, não fiz nada de mais! Minha mãe que é exagerada.

C: Hum, sei não hein PA! Estou achando que você aprontou alguma coisa.

PA: Meu primo foi em casa brincar comigo e foi bem divertido! Até ele começar a mexer nos meus carrinhos especiais.

PB: “Ixi”! Aqueles carrinhos que ninguém pode colocar a mão?

PA: Nesses mesmos!

PB: Mas não custa você emprestar pelo menos um PA! Você tem tantos.

PA: Mas, esses eu não gosto de emprestar! São meus favoritos! E ainda, no meio dessa confusão, minha mãe me deixou de castigo, porque meu primo foi embora muito chateado comigo.

PB: É chato mesmo PA! Quando você vai a minha casa brincar comigo, não fico regulando meus brinquedos para você, nós brincamos com tudo! Já você, fica controlando tudo o que mexo.

C: PA, sua mãe está certíssima! Ela não poderia deixar que você tenha essas atitudes egoístas! Inclusive, isso faz parte da mensagem do evangelho de hoje ensinado por João Batista.

PA: Esse João Batista parece ser uma pessoa boa.

C: Sim PA! João Batista tinha um coração fiel a Deus, ele sabia de sua missão de anunciar a boa nova, ou seja, a chegada de Jesus. Ele fez isso com muito amor e carinho, não deixou que o egoísmo dominasse o coração dele. Assim como João Batista, nós também podemos ter boas atitudes.

PA: Quais atitudes?

C: Podemos começar a partilhar os brinquedos, as roupas, fazendo doações para crianças que precisam, alertar aos pais que há muitas crianças passando fome e podemos partilhar o alimento também.

PB: Que legal.

PA: Ah entendi, por isso que a senhora falou que minha mãe estava certa em me corrigir, fui egoísta e não quis partilhar meus brinquedos.

C: Isso mesmo PA! Devemos sempre ouvir e obedecer a nossos pais, nossos avós, nossa catequista, pois eles também têm uma missão parecida com a de João Batista de ensinar as crianças o melhor caminho a seguir. Eles nos ensinam sobre Jesus, sobre tantas outras coisas importantes para nossa vida e por isso é muito importante estarmos atentos aos ensinamentos deles.

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho




Oração

Senhor Jesus, peço sua ajuda nessa missão de cumprir as lições que João Batista nos deixou, que eu consiga partilhar meus brinquedos, que eu consiga ser justo com meus amigos, e que eu consiga respeitar todas as pessoas.
Amém

sábado, 24 de novembro de 2018

Evangelho de Lucas 3,1-6

Missa de 09 de Dezembro de 2018


Resultado de imagem para desenho preparai o caminho do senhor2º DOMINGO DO ADVENTO

Leituras
Primeira Leitura Br 5,1-9
Salmo 125 / 126
Segunda Leitura Fl 1,4-6.8-11
Evangelho Lc 3,1-6
Fonte: Liturgia Diária

Mensagem Principal


Assim como a palavra de Deus foi dirigida a João Batista para preparar o caminho do Senhor, nós também, hoje, somos convidados a anunciar ao mundo a Salvação trazida por Jesus. Mesmo que “gritemos no deserto” para quem não deseja escutar, poderemos endireitar os caminhos do Senhor na nossa família, no trabalho, e em nossa sociedade, para que assim, todos vejam a salvação que vem de Deus!
Fonte: Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

Lucas, como compete a alguém que “tudo investigou cuidadosamente desde a origem” (Lc 1,3), começa por situar o quadro de João Batista num determinado enquadramento histórico. Nomeia 7 personagens (desde o imperador Tibério César, até ao sumo sacerdote Caifás), num esforço de situar no tempo os acontecimentos da salvação (estaremos aí pelos anos 27/28). Ele sugere, assim, que esta aventura do Deus que vem ao encontro dos homens para lhes apresentar um projeto de salvação e de felicidade não é uma lenda, perdida nas brumas do tempo e da memória dos homens… Mas é uma história concreta, com acontecimentos concretos, que podem ser ligados a um determinado momento histórico e a uma terra concreta.
Num segundo momento, Lucas apresenta a figura de João Batista. Ele é “uma voz que grita no deserto” e que convida a preparar os caminhos do coração para que Jesus, o Messias de Deus, possa ir ao encontro de cada homem. Lucas começa por sugerir
que a missão profética de João lhe é confiada por Deus: o chamamento de João é apresentado com as mesmas palavras do chamamento de Jeremias (cf. Jer 1,1, no texto grego), para marcar o carácter profético do seu anúncio. Depois, Lucas situa num espaço geográfico a atividade profética de João: ele prega em “toda a zona do rio Jordão” (Mateus e Marcos, situam-no no deserto)… Trata-se de uma região bastante povoada, sobretudo depois das construções de Herodes e de Arquelau: o anúncio profético de João destina-se aos homens, que são convidados a acolher o Messias que está para fazer a sua aparição no mundo. Finalmente, concretiza-se o âmbito da missão: João “proclama um batismo de conversão (“batisma metanoias”), para a remissão dos pecados”… A palavra “metanoias” sugere uma revolução total da mentalidade que leva a uma transformação total da forma de pensar e de agir… Para acolher o Messias que está para chegar, é necessário um processo de conversão que leve a um re-equacionar a vida, as prioridades, os valores; só nos corações verdadeiramente transformados, o Messias encontrará lugar.
O Evangelho de hoje conclui-se com uma citação tomada do Deutero-Isaías (cf. Is 40,3-5), onde serve para anunciar aos exilados na Babilónia a libertação e o regresso a casa, num novo e triunfal êxodo. Lucas sugere, desta forma, que está para chegar a libertação: é necessário, no entanto, que os destinatários do projeto libertador de Deus aceitem percorrer esse caminho, se deixem transformar e acolham “a salvação de Deus”.
Fonte: Dehonianos

Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB!

PB: Oi PA tudo bem?

PA: Simmmm tudo ótimo! Você sabia que eu sou a voz?

PB: A voz? Como assim?

PA: Isso mesmo! Eu sou a voz! E isso é muito importante porque eu tenho que ser ouvida por todo mundo.

PB: Ouvida por todo mundo?

PA: Sim! Todo mundo tem que parar tudo o que está fazendo só para me ouvir porque sou muito importante, afinal sou a voz.

PB: Que voz é essa PA? Você fica aí repetindo que é a voz e essa voz fala o que?

PA: Hummm fala... Bem, essa voz, quer dizer, a minha voz fala que... É... Ah não sei ainda, só sei que é importante e se é importante vou fazer!

PB: Mas se você não sabe o que vai dizer como pode saber que é importante?

PA: Ué porque o padre falou dessa voz na missa, então se o padre falou é importante de verdade.

PB: Já to até vendo onde isso vai chegar!

Catequista: Olá crianças tudo bem?

PA: Oi Catequista, ainda bem que você chegou. Tava aqui contando pro PB que agora sou muito importante porque sou a voz! Ainda não sei bem o que vou dizer, só sei que tenho que dizer algumas coisas, ou melhor, gritar! É isso PB! Me lembrei! Além de gritar vou ter que viajar, porque o Padre falou que “a voz” grita no deserto e aqui não tem deserto!

PB: Agora que não entendo mais nada!


Catequista: Ah PA! Você está falando sobre o evangelho que diz que João Batista é a voz que grita no deserto para que todos possam preparar o caminho do Senhor!

PB: Ah! To começando a entender! Isso eu ouvi! Mas PA chegou falando que era a voz, e que era importante, mas que não sabia exatamente o que tinha de tão importante pra dizer. Se eu soubesse que era a voz de João Batista eu saberia!

PA: Ah eu esqueci de falar que era isso!

Catequista: Então crianças, João Batista foi escolhido por Deus para preparar o caminho de Jesus, nosso salvador. Ele anunciava o reino de Deus e pedia que as pessoas mudassem de vida para receber Jesus em seus corações.

PB: E nós também podemos anunciar que Jesus está chegando?

Catequista: Sim crianças! Todos nós podemos ser a voz que grita no deserto e em todo lugar para que as pessoas preparem o coração para receber Jesus.

PA: Mas como podemos preparar nosso coração pra chagada de Jesus?

Catequista: Podemos participar todos os domingos da missa, fazer coisas boas para as pessoas, ajudar quem precisa ser bons em nossa casa, escola, com nossos amigos, dividir o que nós temos e espalhar a alegria do nascimento de Jesus.

PB: Eu quero me preparar e ajudar todos os meus amigos pra gente fazer uma grande festa pra Jesus!

PA: Ah então você também quer ser a voz junto comigo?

PB: Sim! Quero que todos possam esperar Jesus com a gente!

Catequista: Isso mesmo crianças, temos todos que ser mensageiros da boa nova!



Sugestão de Música






Ideia para trabalhar esse Evangelho

Confeccionar para crianças um coração de quebra cabeça GRANDE, para que possam juntos montar e ler as frases de ajuda.







Oração

Querido Jesus,
Aprendi neste dia que devemos preparar o caminho para o Senhor. Esse caminho é o meu coração!
Espírito Santo, me ajude a limpar o meu coração de toda a sujeira e deixá-lo arrumadinho para a chegada de Jesus!!
Amém

sábado, 17 de novembro de 2018

Evangelho de Lucas 21,15-28.34-36

Missa de 02 de dezembro de 2018
Resultado de imagem para imagem da vinda do senhor
1º DOMINGO DO TEMPO DO ADVENTO - ANO C

Leituras
Primeira Leitura Jer 33,14-16
Salmo 24 (25)
Segunda Leitura 1 Tes 3,12-4,2
Evangelho Lc 21,25-28.34-36


Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, O Senhor cumpre sempre suas promessas. Acolhamos com fé o anúncio dos bens que o Senhor prometeu ao seu povo e que se realizaram em seu Filho Jesus.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

O vetor fundamental à volta do qual se estrutura o Evangelho de hoje está na referência à vinda do Filho do Homem “com grande poder e glória” (Lc 21,27) e no convite a cobrar ânimo e a levantar a cabeça porque “a libertação está próxima” (Lc 21,28). A palavra “libertação” (“apolytrôsis” – “resgate de um cativo”) é uma palavra característica da teologia paulina (1 Cor 1,30; cf. Rom 3,24; 8,23; Col 1,14…), onde é usada para definir o resultado da ação redentora de Jesus em favor dos homens. O projeto de salvação/libertação da humanidade, concretizado nas palavras e nos gestos de Jesus, é apresentado como o “resgate” de uma humanidade prisioneira do egoísmo, do pecado, da morte. Trata-se, portanto, da libertação de tudo o que escraviza os homens e os impede de viver na dignidade de filhos de Deus.
A mensagem proposta aos discípulos é clara: espera-vos um caminho marcado pelo sofrimento, pela perseguição (cf. Lc 21,12-19); no entanto, não vos deixeis afundar no desespero porque Jesus vem. Com a sua vinda gloriosa (de ontem, de hoje, de amanhã), cessará a escravidão insuportável que vos impede de conhecer a vida em plenitude e nascerá um mundo novo, de alegria e de felicidade plenas.
Os “sinais” catastróficos apresentados não são um quadro do “fim do mundo”; são imagens utilizadas pelos profetas para falar do “dia do Senhor”, isto é, o dia em que Jahwéh vai intervir na história para libertar definitivamente o seu Povo da escravidão, inaugurando uma era de vida, de fecundidade e de paz sem fim (cf. Is 13,10; 34,4). O quadro destina-se, portanto, não a amedrontar, mas a abrir os corações à esperança: quando Jesus vier com a sua autoridade soberana, o mundo velho do egoísmo e da escravidão cairá e surgirá o dia novo da salvação/libertação sem fim.
Há, ainda, um convite à vigilância (cf. Lc 21,34-36): é necessário manter uma atenção constante, a fim de que as preocupações terrenas e as cadeias escravizantes não impeçam os discípulos de reconhecer e de acolher o Senhor que vem.
Fonte: Dehonianos

Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB, tudo bem? Estou muito preocupado hoje! 

PB: Tudo bem!!! Nossa você está mesmo com cara de preocupado! O que está te deixando assim, me conta!

PA: É que eu tenho um amigo da escola, que está muito triste porque o pai dele está desempregado já faz um bom tempo e ele não sabe como pode ajudar o pai.

PB: Nossa! Coitado? Mas PA, não adianta você ficar preocupado junto com seu amiguinho, você é só uma criança e não pode ajudar mesmo, e outra coisa, nem é seu pai, por que você vai ficar se preocupando desse jeito?

PA: Olha PB, nem parece que você conhece Jesus falando desse jeito!

PB: Como assim?

PA: Claro! Nós já aprendemos na catequese que Deus ama todos os seus filhos e não abandona aqueles que seguem seus ensinamentos. O que me preocupa é que meu amiguinho e a família dele se afastaram de Jesus por causa das dificuldades. Eles deixaram o medo vencer a fé que eles tinham. Eles não estão mais participando da missa, nem da catequese! Preciso pensar num jeito de mostrar o amor de Jesus pra eles e assim eles voltarão a ter esperança de que tudo vai melhorar.

PB: Ah... já sei um jeito? Mas primeiro precisamos pedir a ajuda da nossa catequista.

PA: Então vamos! Preciso muito ajudar meu amigo!

Catequista: Oi PA e PB, estavam me procurando?

PA: Sim, catequista! É que tem um amiguinho meu que não está nada bem. O pai dele está desempregado e toda a família já perdeu a esperança de que as coisas podem melhorar! 

Catequista: Nossa! Triste mesmo perder a esperança! 

PB: Então PB, sabe a ideia que te falei? Podemos aproveitar o Natal que está chegando para levar o amor de Deus para a família do seu amigo. O que acha?

PA: Puxa! Acho uma linda ideia!

Catequista: Linda ideia mesmo PB. O Natal é a prova maior do amor de Deus por nós. O natal é o sinal de que Deus é fiel ás suas promessas. Seu filho amado foi enviado para nos dar a salvação e para isso Jesus foi capaz de morrer por nós, então não podemos desanimar nunca. Devemos sempre estar atentos a seguir os ensinamentos de Jesus. E qual é o seu principal ensinamento?

PB: Amar o próximo?!

Catequista: Isso! Amar e cuidar dos irmão que estão sofrendo e precisando de ajuda. Nós somos sinais de Deus aqui na Terra, por isso não podemos ficar parados diante do sofrimento dos outros. 

PA: Mas como podemos ajudar então?

Catequista: Você pode levar uma ajuda para seu amiguinho, como alimentos, brinquedos que você não usa mais e o principal... o carinho, que será sinal de que Deus os ama e enviou você para ajudar. Tenho certeza que com esse gesto eles voltarão a acreditar que são amados por Deus e que nunca podem perder as esperanças.

PB: Catequista, podemos ajudar outras pessoas também não é??? Quantas famílias estão tristes porque podem passar o Natal sem ter nada o que comer?!

Catequista: Claro! Que tal fazermos uma campanha entre as crianças da catequese? Podemos arrecadar muitas coisas para doar às famílias que estão precisando nesse momento.

PA: Imagina quanta gente vai ficar feliz!!!

PB: E com isso muita gente vai poder sentir o amor de Deus através dos irmãos. E aqueles que já tinham perdido a fé vão voltar a ter a esperança. Esperança que o próprio Deus nos deu quando enviou seu filho no meio de nós. 

Catequista: Estamos iniciando o tempo do advento que é o tempo de restaurar a nossa fé no Menino Deus que veio para nos salvar! E seguir os ensinamentos de Jesus é nos preparar também para sua volta.

PA: Olha catequista, eu me lembrei de um ensinamento que tivemos lá na catequese.

Catequista: E qual é PA?

PA: Jesus veio nos mostrar o caminho para salvação não foi? Mas Ele não ensinou que devemos só ficar ouvindo e guardando no coração os ensinamentos Dele. Ele nos mostrou que devemos sempre agir. Amar o próximo não é só dizer eu te amo, mas fazer coisas que deixem nossos irmãos felizes. Isso é o que estamos fazendo não é?

Catequista: Parabéns crianças! Isso mesmo!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Muitas pessoas estão deixando o medo diante das dificuldades as afastarem do amor de Deus! 

Converse com as crianças que Deus nos ama tanto que enviou seu filho amado para nos salvar. O povo está vivendo com medo, no meio de tanto pecado. Por isso Jesus foi enviado, para nos mostrar como deveríamos viver o amor e assim sermos muito felizes. 

Muitas vezes Jesus envia outras pessoas para nos ajudar como um sinal de que Ele nunca nos abandona. 

Faça uma roda com as crianças onde cada uma vai colocar um medo que tem. As crianças que já sabem escrever, poderão escrever sobre esse medo e as outras menores poderão desenhar.

Depois da roda de conversa, cada criança vai pegar o papel de um amigo. Antes de escrever uma ideia que possa ajudar o amigo a vencer e lutar contra esse medo, todos farão uma pequena oração pedindo ao Espirito Santo que as ilumine nas ideias que darão aos colegas.

Cada criança ficará responsável de rezar, durante a semana, pelo amigo que ajudou.

Oração

Senhor Jesus, dai-me um coração sempre pronto a levar seu amor para todos aqueles que estão necessitados e que sofrem. Que minha atitude mostre a todas as pessoas o sinal do seu amor e do seu cuidado com todos os seus filhos amados. 
Amém

sábado, 10 de novembro de 2018

Missa de 25 de novembro de 2018


34º DOMINGO DO TEMPO COMUM 

SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO 


Leituras
Primeira Leitura Dn 7, 13-14
Salmo 92 (93)
Segunda Leitura Ap 1, 5-8
Evangelho Jo 18, 33b-37
Liturgia Diária




Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, sejam bem-vindos para esta bela solenidade! Jesus Cristo é o nosso Rei e Rei de todo o universo. Por Ele foram feitas todas as coisas, e n’Ele esperamos a vida que há de vir: a vida eterna.


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

No 34º Domingo do Tempo Comum, celebramos a Solenidade de Jesus Cristo, Rei e Senhor do Universo. A Palavra de Deus que nos é proposta neste último domingo do ano litúrgico convida-nos a tomar consciência da realeza de Jesus; deixa claro, no entanto, que essa realeza não pode ser entendida à maneira dos reis deste mundo: é uma realeza que se concretiza de acordo com uma lógica própria, a lógica de Deus. O Evangelho, especialmente, explica qual é a lógica da realeza de Jesus.
A primeira leitura anuncia que Deus vai intervir no mundo, a fim de eliminar a crueza, a ambição, a violência, a opressão que marcam a história dos reinos humanos. Através de um "filho de homem" que vai aparecer "sobre as nuvens", Deus vai devolver à história a sua dimensão de "humanidade", possibilitando que os homens sejam livres e vivam na paz e na tranquilidade. Os cristãos verão nesse "filho de homem" vitorioso um anúncio da realeza de Jesus.
Na segunda leitura, o autor do Livro do Apocalipse apresenta Jesus como o Senhor
do Tempo e da História, o princípio e o fim de todas as coisas, o "príncipe dos reis da terra", Aquele que há-de vir "por entre as nuvens" cheio de poder, de glória e de majestade para instaurar um reino definitivo de felicidade, de vida e de paz. É, precisamente, a interpretação cristã dessa figura de "filho de homem" de que falava a primeira leitura.
O Evangelho apresenta-nos, num quadro dramático, Jesus a assumir a sua condição de rei diante de Pontius Pilatus. A cena revela, contudo, que a realeza reivindicada por Jesus não assenta em esquemas de ambição, de poder, de autoridade, de violência, como acontece com os reis da terra. A missão "real" de Jesus é dar "testemunho da verdade"; e concretiza-se no amor, no serviço, no perdão, na partilha, no dom da vida. (Fonte: www.dehonianos.org)


Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Olá amigo! Tudo bem?

Personagem B: Oi!!! 

PA: PB, você já foi à missa hoje?

PB: Ainda não, por quê?

PA: É que eu queria tirar uma dúvida, pois achei o evangelho tão estranho...

PB: Como assim?

PA: É que o evangelho diz que Jesus é Rei!

PB: E o que há de estranho nisso?

Entra a catequista

Catequista: Oi meninos!

PB: Oi catequista! Que bom que a senhora chegou, pois o PA está achando estranho Jesus ser Rei...

Catequista: PA, como assim estranho Jesus ser Rei?

PA: É que eu nunca vi rei sem castelo, sem um exército de soldados, sem cavalo, sem uma enorme coroa de ouro, sem manto chique, sem empregados, que dê ordens... essas coisa, sabe!?!

PB: Ah, isso é verdade! Eu também nunca vi um rei que não tenha todas essas coisas!

Catequista: Pois bem crianças! Jesus não tem mesmo todas essas coisa, mas Ele é Rei!!!

PA: Puxa!

Catequista: O reino de Jesus Cristo não é aqui na Terra! O reino de Jesus não é um reino de poder e riquezas materiais, de guerras, de luxos, como o dos outros reis por aí!

PB: Mas então como Jesus é rei?

Catequista: O reino de Jesus é um reino de amor! Deus enviou Jesus para nos ensinar amar, a servir, a perdoar, a partilhar... E Jesus nos deu uma missão!

PA: Uma missão? Adoro missões!

Catequista: Jesus nos deixou a missão de  construir seu Reino aqui na Terra!

PB: Mas como faremos isso??? 

Catequista: Espalhando o amor, trazendo mais amigos pra junto do coração de Deus, semeando a paz, vivendo seus ensinamentos! E Jesus é um Rei muito simples, e pede que sejamos também! Que nos preocupemos com o 'ser' e não com o 'ter'!

PA: Nossa catequista! Num reino como o de Jesus deve haver muita paz, não é!?

PB: E vemos tanta coisa ruim no noticiário, tantas pessoas pedindo paz!

Catequista: É verdade! Por isso mesmo devemos ser fiéis à missão que Jesus nos confiou de construir seu reino aqui na Terra!

PA: Entendi! Pois sempre que estivermos espalhando seu amor, estaremos construindo seu reino!

Catequista: Exatamente! Por isso dizemos que Jesus é nosso Rei! É o Rei das nossas vidas, das nossas famílias! Pois devemos fazer que seu Reino aconteça todo dia na nossa casa, na nossa vida! 

PB: Nossa catequista, agora entendi direitinho o evangelho! 

PA: Eu também! E acho que Jesus é um grande Rei! Um Rei que ama seu povo!

Catequista: É tão lindo ter Jesus como Rei das nossas vidas, que temos um dia especial para celebrar esse reinado! Celebramos a festa de Cristo Rei! Viva Jesus!

PA e PB: Viva!

Catequista: Viva Nosso Rei Jesus Cristo!

PA e PB: Vivaaa!!!



Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho

O nosso Rei Jesus nos deixou um grande ensinamento: Amar! 

Sempre vemos na TV e internet muitos exemplos de falta de amor... Conte aos pequenos um caso de falta de amor que ocorre no dia a dia...  e deixe que eles falem também.

Peça às crianças, como se fossem reis e a rainhas por um dia, inspirados pelo ensinamento do amor, que escrevam ou desenhem seu decreto!

O que é preciso para cumprir o mais importante mandamento de Deus? O que os nossos pequenos vão nos dizer...

Faça a reflexão e conclua com a oração!
Depois reafirme a realeza eterna de Jesus... só ele é nosso Rei, nós somos seus seguidores... seus soldados...
Se houver a oportunidade coloque os pergaminhos na caixinha de oração da sua paróquia!




Oração

Espírito Santo, me guie para que eu sempre caminhe rumo ao Reino de Deus! Que eu viva a missão de espalhar seu amor e construir seu Reino no coração de todos! Que sempre reconheça e celebre Jesus como o único Rei da minha vida!