Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Evangelho de Lucas, 3,15-16.21-22

Missa de 13 de janeiro de 2019


Resultado de imagem para imagem e desenhos infantil sobre o batismo do senhor
1º DOMINGO DO TEMPO COMUM
FESTA DO BATISMO DO SENHOR

Leituras
Primeira Leitura Is 42, 1-4.6-7
Salmo 28 (29)
Segunda Leitura At 10, 34-38
Evangelho Lucas 3, 15-16.21-22

Mensagem Principal

Na pessoa de Jesus, a separação que havia entre Deus e a humanidade se rompeu. Ao ser batizado por João Batista, Jesus faz com que permitamos viver algo além do batismo: a experiência com o Espírito Santo. É a partir dessa experiência que somos impelidos a assumir nossa missão no mundo. 






Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

Numa Palestina em plena efervescência messiânica, a figura e a atividade de João fazem que surjam conjecturas sobre o seu possível messianismo. Será João esse “ungido de Deus” (“messias”), cuja missão é libertar Israel da dominação estrangeira e assegurar ao Povo de Deus vida em abundância e paz sem fim?
João rejeita, de forma categórica, essa possibilidade. Ele não é o “messias”; a sua missão (inclusive como administrador de um “batismo” de penitência e de purificação) é, apenas, preparar o povo para esse tempo novo que vai começar com a chegada do verdadeiro “messias” (vers. 15-16). O “messias” que “vai chegar” é definido por João como “aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias”. “Desatar as correias das sandálias” era tarefa dos escravos (por isso, a tradição rabínica proibia ao discípulo desatar as correias das sandálias do seu mestre). A imagem utilizada define, pois, João como um “escravo” cuja missão é estar ao serviço desse “messias” que está para chegar. O “messias”, além de ser “mais forte” do que João, irá “batizar com o Espírito e com o fogo”. Tanto a fortaleza, como o batismo no Espírito, são prerrogativas que caracterizam o Messias que Israel esperava (cf. Is 9,5-6; 11,2). O testemunho de João não oferece dúvidas: chegou o tempo do “messias”, o tempo da libertação que os profetas anunciaram, o tempo em que o Povo de Deus irá receber o Espírito. Na perspectiva de Lucas, esta “profecia” de João concretizar-se-á no dia de Pentecostes: o “fogo” do “messias”, derramado sobre os discípulos reunidos no cenáculo, fará nascer um Povo novo e livre, a comunidade da nova Aliança.
A cena do “batismo” irá identificar claramente esse “messias” anunciado por João com o próprio Jesus (vers. 21-22). O Espírito Santo, que desce sobre Jesus “como uma pomba”, leva-nos a essa figura de “Servo de Jahwéh” apresentada na primeira leitura, que recebe o Espírito de Deus para levar “a justiça às nações”. Por outro lado, a “voz vinda do céu” apresenta Jesus como “o Filho muito amado” de Deus (vers. 22). A missão de Jesus será como a do “Servo”, “abrir os olhos aos cegos, tirar do cárcere os prisioneiros e da prisão os que habitam nas trevas” (Is 42,7); para concretizar esse projeto, Ele irá “batizar no Espírito” e inserir os homens numa dinâmica de vida nova – a vida no Espírito.
Na cena do “batismo” de Jesus, o testemunho de Deus acerca de Jesus é acompanhado por três fatos estranhos que, no entanto, devem ser entendidos em referência a fatos e símbolos do Antigo Testamento…
Assim, a abertura do céu significa a união da terra e do céu. A imagem inspira-se, provavelmente, em Is 63,19, onde o profeta pede a Deus que “abra os céus” e desça ao encontro do seu Povo, refazendo essa relação que o pecado do Povo interrompeu. Desta forma, Lucas anuncia que a atividade de Jesus vai reconciliar o céu e a terra, vai refazer a comunhão entre Deus e os homens.
O símbolo da pomba não é imediatamente claro… Provavelmente, não se trata de uma alusão à pomba que Noé libertou e que retornou à arca (cf. Gn 8,8-12); é mais provável que a pomba (em certas tradições judaicas, símbolo do Espírito de Deus que, no início, pairava sobre as águas – cf. Gn 1,2) evoque a nova criação que terá lugar a partir da atividade que Jesus vai iniciar. A missão de Jesus é, portanto, fazer aparecer um Homem Novo, animado pelo Espírito de Deus.
Temos, finalmente, a voz do céu. Trata-se de uma forma muito usada pelos rabinos para expressar a opinião de Deus acerca de uma pessoa ou de um acontecimento. Essa voz declara que Jesus é o Filho de Deus; e o faz com uma fórmula tomada desse cântico do “Servo de Jahwéh” que vimos na primeira leitura de hoje (cf. Is 42,1)… A referência ao Servo de Jahwéh sugere que a missão de Jesus, o Filho de Deus, não se desenrolará no triunfalismo, mas na obediência total ao Pai; não se cumprirá com poder e prepotência, mas na suavidade, na simplicidade, no respeito pelos homens (“não gritará, nem levantará a voz; não quebrará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega” – Is 42,2-3).
Porque é que Jesus quis ser batizado por João? Jesus necessitava de um batismo cujo significado primordial estava ligado à penitência, ao perdão dos pecados e à mudança de vida? Ao receber este batismo de penitência e de perdão dos pecados (do qual não precisava, porque Ele não conheceu o pecado), Jesus solidarizou-Se com o homem limitado e pecador, assumiu a sua condição, colocou-Se ao lado dos homens para ajudá-los a sair dessa situação e para percorrer com eles o caminho da libertação, o caminho da vida plena. Esse era o projeto do Pai, que Jesus cumpriu integralmente.
A cena do Batismo de Jesus revela, portanto, essencialmente, que Jesus é o Filho de Deus, que o Pai envia ao mundo a fim de cumprir um projeto de libertação em favor dos homens. Como verdadeiro Filho, Ele obedece ao Pai e cumpre o plano salvador do Pai; por isso, vem ao encontro dos homens, solidariza-Se com eles, assume as suas fragilidades, caminha com eles, refaz a comunhão entre Deus e os homens que o pecado havia interrompido e conduz os homens ao encontro da vida em plenitude. Da atividade de Jesus, o Filho de Deus que cumpre a vontade do Pai, resultará uma nova criação, uma nova humanidade.

Fonte: Dehonianos

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Oi catequista, tudo bem? Preciso te contar uma coisa muito legal que aconteceu hoje. É que eu fui ao batizado do meu priminho. Meu papai e minha mamãe foram padrinhos dele.

Catequista: É mesmo? Que legal, uma importante missão seus pais receberam! Parabéns para a sua família!

Personagem A: É sim, e durante o batizado eu me lembrei bastante do que a Catequese nos ensina sobre Jesus. É que o Padre se chamava João Batista, assim como aquele que batizou Jesus.

Catequista: Que interessante, como no Batismo de Jesus!

Personagem A: Isso mesmo que eu pensei. Aí já aproveitei e quando terminou o batizado eu contei, para meu tio e minha tia, tudo o que aprendi na catequese sobre o batismo de Jesus!

Catequista: Que maravilha. Fico muito, muito feliz! E me conte como foi...

Personagem A: Conto sim... Então, depois que acabou o batizado do meu priminho, que tiramos um monte de fotos eu chamei minha família e o Padre João Batista.

Catequista: Nossa! Chamou o Padre também?

Personagem A: Ah sim, porque se eu me esquecesse de alguma coisa ele me ajudaria, ele é um padre muito legal!

Catequista: Muito bom. Então me conte como foi.

Personagem A: Eu disse que o Batismo é um momento muito rico da nossa igreja. Contei que no Batismo de Jesus Ele foi revelado como o Messias e então conhecemos a Trindade Santa, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Catequista: Isso mesmo, Jesus assume sua missão de libertar o povo que estava cego, oprimido e ainda recebe o Espírito Santo que Deus enviou sobre Ele. Você contou que o Espírito Santo é o nosso amigão, que foi amigão de Jesus também dando a Ele força para cumprir sua missão com humildade, bondade e mansidão? Por isso Jesus é o exemplo que devemos seguir.

Personagem A: É isso que eu disse, e disse mais... Com Jesus passamos a ter uma vida nova. Ele é a justiça e a luz para todos os povos, que quer dizer que Jesus veio para cumprir a missão de salvar todo mundo, sem deixar ninguém de fora.

Catequista: É verdade! Com Jesus passamos a receber o Espírito Santo e assim a ter uma grande ajuda para descobrir o melhor caminho para o céu.

Personagem A: Ah! O Padre me deu uma missão, me disse que como sou filho dos padrinhos do meu priminho eu também posso ajudá-lo a sempre ter o Espírito Santo no coração, a lutar contra o pecado e trazer mais e mais amiguinhos para Jesus!

Catequista: E você? Topou?

Personagem A: Claro! Vou ser o super primo mais velho ajudante dos padrinhos!

Catequista: Dos padrinhos e de Jesus! Parabéns! Vou rezar pela sua missão. Deus abençoe!

Personagem A: Muito Obrigada! Tchau, tchau. Vou pra casa dar uma ligadinha para a minha tia e saber como está o priminho... Tenho que ficar por perto, sempre para ajudá-lo a andar no caminho de Jesus!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Inicie uma conversa falando sobre o batismo de Jesus e perguntando se as crianças sabem qual foi o presente que recebemos de Deus através do batismo? (em quem é o Espírito Santo)
Pergunte as crianças se elas sabem quem é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é um presente que Deus nos deu para nos ajudar a descobrir o melhor caminho para o céu.

Para entendermos melhor como o Espírito Santo age em nós, vamos fazer uma dinâmica. 

Utilizando um balão de festa (bexiga) vazio siga com os passos abaixo.

- Estão vendo esse balão? Para que serve um balão? (brincar, enfeitar, alegrar, jogar, etc.)

- Este balão vazio está pronto para fazer tudo isso? (não)

- O que está faltando? (enchê-lo). O cristão também nasceu para amar p, servir, perdoar, etc. e não ara viver sozinho. Um cristão vazio não consegue servir.

- O que enche este balão que o faz ficar pronto para ser usado? (o ar). E o cristão? Quem o enche e o torna pronto para amar, servir, etc? (o Espírito Santo).

- Para encher o balão temos que fazer o quê? (soprar). Para ficarmos cheios do Espírito Santo é Jesus quem sopra no nosso batismo. (sopra o balão).

- O balão está cheio, mas não vejo nada dentro dele. O Espírito Santo também está em nós e não o vemos, apenas o sentimos como o ar.

- (soltar no ar o balão cheio sem amarrar). Quem está movimentando o balão? (o ar que sai de dentro o empurra para frente). Cristão também deve ser impulsionado pelo Espírito Santo.

- Entenderam? O Espírito Santo nos é dado no nosso batismo e nos direciona ensinando-nos a seguir no caminho reto para o resto de nossas vidas.

Fonte: RCC Criança Uberlândia

Oração

Querido Jesus, obrigado por ter aceitado a missão de Servo Escolhido por Deus e trazer a salvação a todos os povos.
Que possamos também ser guiados e fortalecidos pelo nosso amigão Espírito Santo.
Ensina-nos a ter a sua humildade e mansidão em nossa missão como cristãos ao levar o teu ensinamento a todas as pessoas.

Amém

Nenhum comentário:

Postar um comentário