Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

domingo, 15 de julho de 2018

Evangelho de João 6, 1 - 15

Imagem relacionada
Missa de 29 de julho de 2018

17º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO DO LAICATO – “Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14)

Leituras
Primeira Leitura 2 Re 4,42-44
Salmo Salmo 144 (145)
Segunda Leitura Ef 4,1-6
Evangelho Jo 6,1-15
Liturgia Diária

Mensagem Principal

Amados irmãos e irmãs, neste domingo somos convidados a olhar Jesus que acolhe uma multidão desejosa de milagres e com fome. No evangelho, Jesus partilha os pães e os peixes dando testemunho de um coração enraizado na caridade. Nesta celebração, peçamos ao Senhor a graça de sermos semelhantes a Ele na partilha real de amor.

Fonte: Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do 17º domingo Comum dá-nos conta da preocupação de Deus em saciar a “fome” de vida dos homens. De forma especial, as leituras deste domingo dizem-nos que Deus conta conosco para repartir o seu “pão” com todos aqueles que têm “fome” de amor, de liberdade, de justiça, de paz, de esperança.
Na primeira leitura, o profeta Eliseu, ao partilhar o pão que lhe foi oferecido com as pessoas que o rodeiam, testemunha a vontade de Deus em saciar a “fome” do mundo; e sugere que Deus vem ao encontro dos necessitados através dos gestos de partilha e de generosidade para com os irmãos que os “profetas” são convidados a realizar.
O Evangelho repete o mesmo tema. Jesus, o Deus que veio ao encontro dos homens, dá conta da “fome” da multidão que O segue e propõe-Se libertá-la da sua situação de miséria e necessidade. Aos discípulos (aqueles que vão continuar até ao fim dos tempos a mesma missão que o Pai lhe confiou), Jesus convida a despirem a lógica do egoísmo e a assumirem uma lógica de partilha, concretizada no serviço simples e humilde em benefício dos irmãos. É esta lógica que permite passar da escravidão à liberdade; é esta lógica que fará nascer um mundo novo.
Na segunda leitura, Paulo lembra aos crentes algumas exigências da vida cristã. Recomenda-lhes, especialmente, a humildade, a mansidão e a paciência: são atitudes que não se combinam com esquemas de egoísmo, de orgulho, de auto-suficiência, de preconceito em relação aos irmãos.



Ideia de roteiro para teatro

PB: Oi PA! Que cara de chateado é essa?

PA: Ah tive um problema hoje de manhã! Eu não queria dividir minha bolacha com meu irmão. Minha mãe ficou muito brava comigo. E nem me deixou explicar. Não sou egoísta, mas estava acabando! Não tinha o suficiente para nós dois.

PB: Ah que chato PA, mas sempre podemos dividir o que temos. Minha avó sempre fala que o pouco com Deus se torna muito!

PA: Minha mãe falou isso também! Mas só tinha duas bolachinhas.

PB: Olha só que coincidência. No Evangelho de hoje fala que Jesus repartiu 2 peixinhos e 5 pães.

PA: Com os 12 apóstolos?

PB: Não com uma multidão com mais de 5 mil homens.

PA: Impossível! Cinco pães e dois peixinhos para 5 mil homens!

PB: Fora as mulheres e crianças! E ainda sobrou pão e peixe!

PA: Muito estranha essa história!

PB: Mas foi isso mesmo! Tinha uma multidão seguindo Jesus para ouvir sua palavra, mas depois de muito tempo eles ficaram com fome.
Jesus perguntou aos discípulos como poderiam comprar pão para alimentar toda aquela multidão.

PA: Nossa! Ia precisar de muito dinheiro!

PB: Isso mesmo! Mas eles não tinham dinheiro para alimentar toda aquela multidão.

PA: E então o que fizeram?

Catequista: Oi Crianças tudo bem? Está tudo tão calmo por aqui. Não ouvi nenhuma confusão.

PB: Oi Catequista! Estou contando pro PA sobre a história da multiplicação de pães e peixes!

Catequista: Nossa que legal e em que parte da história você está? Posso te ajudar a contar?

PA: Está na parte que ninguém tinha dinheiro pra alimentar toda aquela gente.

Catequista: Ah foi isso mesmo! E neste momento os discípulos tiveram que acreditar e confiar ainda mais na proposta de Jesus que era levar à todos os povos a libertação de suas dores.
Eles tiveram que confiar que Jesus teria o melhor de todos os planos.

PA: E que plano era esse tão bom Catequista?

Catequista: Jesus recebeu em suas mãos o que tinham disponível de alimentos, ou seja, cinco pães e dois peixes e isso representava tudo o que aquela comunidade tinha disponível. Em seguida ele agradeceu à Deus pelo alimento que não é mais de uma única pessoa que trouxe, mas dom de Deus para ser partilhado com todos.

PA: Nossa! É realmente muito melhor dividirmos o pouco com todos. Minha mãe tinha toda razão. A bolacha era pra ser de todos nós, pois foi dada por Deus.

PB: Isso que eu estava tentando te dizer.

Catequista: Sim crianças! Após abençoar o alimento dom de Deus Jesus mandou que os discípulos distribuíssem para toda aquela multidão de pessoas e assim saciaram a fome de todo aquele povo.
Jesus também quer isso de nós!

PA: Que a gente saia distribuindo pão?

Catequista: Também o pão, mas Jesus quer que a gente leve sua palavra pra saciar a fome que esse mundo tem de Deus. Por isso nos chama a multiplicar.

PB: Quero ser multiplicador do reino de Deus para que mais pessoas possam sentir o coração cheio de Deus.

PA: E eu quero dividir tudo o que eu tenho pois é dom de Deus e sendo assim Jesus pode multiplicar.

Catequista: Isso mesmo crianças! sem nunca nos esquecer de dar graças à Deus por tudo que recebemos e assim poder partilhar com todos os nossos irmãos.



Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

multiplicação dos pães desenho para colorir

Fonte: Amiguinhos de Deus

Oração

.Querido Jesus que você sempre possa saciar nossa fome de Deus.
Nos ajude a te seguir por quem você é e não pelos milagres que realiza!
Amém.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Evangelho de Marcos 6, 7-13

 
Missa de 15 de julho de 2018


15º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO DO LAICATO -
“Sal da terra e luz do mundo” (Mt
5,13-14

 
Leituras
Primeira Leitura Am 7,12-15
Salmo Sl 84,9ab-10.11-12.13-14 (R. 8)
Segunda Leitura Ef 1,3-14
Evangelho Mc 6,7-13
Liturgia Diária





Imagem:blogtiale.blogspot.com


Mensagem Principal

Na liturgia de hoje percebe-se que Deus chama quem Ele quer. Suas escolhas podem parecer surpreendentes como no caso de Amós, aquele que pensava que vida se resumiria em cuidar de gados; no entanto, como afirma Paulo de Tarso: “Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo”. É o próprio Deus quem nos convida e nos envia para a missão. De nossa parte, cabe acolhê-la ou não


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do 15º Domingo do Tempo Comum recorda-nos que Deus atua no mundo através dos homens e mulheres que Ele chama e envia como testemunhas do seu projeto de salvação. Esses “enviados” devem ter como grande prioridade a fidelidade ao projeto de Deus e não a defesa dos seus próprios interesses ou privilégios.
A primeira leitura apresenta-nos o exemplo do profeta Amós. Escolhido, chamado e enviado por Deus, o profeta vive para propor aos homens – com verdade e coerência – os projetos e os sonhos de Deus para o mundo. Atuando com total liberdade, o profeta não se deixa manipular pelos poderosos nem amordaçar pelos seus próprios interesses pessoais.
A segunda leitura garante-nos que Deus tem um projeto de vida plena, verdadeira e total para cada homem e para cada mulher – um projeto que desde sempre esteve na mente do próprio Deus. Esse projeto, apresentado aos homens através de Jesus Cristo, exige de cada um de nós uma resposta decidida, total e sem subterfúgios.
No Evangelho, Jesus envia os discípulos em missão. Essa missão – que está no prolongamento da própria missão de Jesus – consiste em anunciar o Reino e em lutar objetivamente contra tudo aquilo que escraviza o homem e que o impede de ser feliz. Antes da partida dos discípulos, Jesus dá-lhes algumas instruções acerca da forma de realizar a missão… Convida-os especialmente à pobreza, à simplicidade, ao despojamento dos bens materiais.



Ideia de roteiro para teatro

PA entra contando as crianças de duas em duas!

PB: Oi PA! O que você está fazendo?

PA: Ah não PB! Você me atrapalhou! Agora vou ter que começar a contar tudo de novo!

PB: Mas porque você está contando todo mundo?

PA: Estou adiantando o trabalho de Jesus!

PB: Xiii lá vem mais uma de suas histórias doidas!

PA: Pois você está muito enganado PB! Hoje eu prestei muita atenção no evangelho, e como estou adiantando a tarefa de Jesus, acho que Ele vai me dar uns pontinhos a mais na gincana!

PB: Já me perdi!

PA: Hoje no evangelho Jesus disse que ia fazer uma gincana e por isso dividiu os apóstolos em equipes de dois em dois.
Não sei muito bem como ele fez essa divisão, mas Jesus é muito esperto e também muito justo, então eu acho que foi feita bem certinha a escolha das duplas.

PB: Pa eu ouvi o evangelho todinho e não tinha nada falando de gincana!

PA: Claro que tinha PB! Senão pra que dividir times? Se eu fosse você parava de ficar aí duvidando e faria alguma coisa pra ganhar pontos extras também!

Catequista: Olá crianças! Que agitação é essa?

PB: É o PA que disse que Jesus vai fazer uma dinâmica e dividiu as pessoas e que precisamos ganhar pontos extras.

Catequista: Já até imagino sobre o que vocês estão falando! Não se trata de nenhuma gincana, mas sim do envio dos apóstolos em missão!

PB: Eu disse que tinha coisa errada aí!

Catequista: SIM PB! Jesus chamou seus 12 apóstolos e os enviou em missão! Mandou que eles caminhassem em dupla e não levassem nada alem da roupa que estavam usando e de uma sandália nos pés!
Jesus ainda deu à eles poder para expulsar os espiritos ruins e para curar os doentes.

PA: Ah não acredito que não era gincana! Mas tinha regras e tudo mais! Eu ouvi Jesus até dizer as regras para os discípulos. Tinha até dinâmicas pra fazer!

PB: Dinâmicas?

PA: Isso mesmo! Jesus disse que eles tinham que sacudir a sandália pra ver quem fazia mais poeira!

Catequista: Não PA! A recomendação de Jesus era para que os discípulos sacudissem a poeira dos pés nos lugares onde não fossem bem recebidos! Isso seria sinal de que deram o seu melhor e por isso não poderiam desanimar, tinham que seguir firmes na missão e deixar para trás tudo o que não pertencia à Jesus, como a poeira e sujeira daqueles que não aceitaram o reino de Deus.

PA: Ah que pena! Eu estava tão animada!!!

Catequista: E pode continuar PA, pois apesar de não ser uma gincana, Jesus também conta conosco para nos enviar em missão, levando sua palavra por onde andarmos.

PA: Mas preciso ter uma dupla né?

Catequista: Jesus nos envia em missão para servimos em comunidade. Ele não quer que estejamos sozinhos e por isso nos chama a servir ao seu reino em comunidade. Chamar os discípulos dois a dois é uma forma de deixar isso claro.

PA: E porque não posso levar nada quando saio em missão?

Catequista: Essa também é uma simbologia PA! Para nos dizer que devemos nos desapegar daquilo que é material e seguir os preceitos do reino de Deus. Nada pode ser impedimento para realização de nossa missão!

PB: Ah ficou bem mais fácil entender agora! PA, podemos ir em dupla falar sobre o que aprendemos para as crianças que não estão aqui! Lá em casa mesmo ficaram vários primos que estão passando as férias e que não quiseram vir à missa.

Catequista: Isso mesmo crianças! Jesus sempre tem missões para nos enviar!

PA: Então vamos! O mais importante é seguir o que Jesus nos pede!





Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho


OraçãoJesus, me ajude a cumprir minha missão.
Quero ser como seus discípulos fazendo bem, ajudando o próximo e falando a todos meus amigos sobre  seu amor por nós.
Amém
 

domingo, 8 de julho de 2018

Evangelho de Marcos 6,30-34

Missa de 22 de Julho de 2018


 
16º DOMINGO DO TEMPO COMUM
- ANO DO LAICATO –
“Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14)
 
 
 
Leituras

Primeira Leitura (Jr 23,1-6)
Salmo (Sl 22(23))
Segunda Leitura (Ef 2,13-18)
Evangelho (Mc 6,30-34)






Imagem: paulabelquice.blogspot.com


Mensagem Principal

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!
O nosso texto começa com a narração do regresso dos discípulos que, entusiasmados, contam a Jesus a forma como se tinha desenrolado a missão que lhes fora confiada (vers. 30). Na sequência, Jesus convida-os a irem com Ele para um lugar isolado e a descansarem um pouco (vers. 31). Os discípulos foram, com Jesus, para um lugar deserto (vers. 32); mas as multidões adivinharam para onde Jesus e os discípulos se dirigiam e chegaram primeiro (vers. 33). Ao desembarcar, Jesus viu as pessoas, teve compaixão delas (“porque eram como ovelhas sem pastor”) e pôs-se a ensiná-las (vers. 34).
O episódio, em si, é banal… No entanto, Marcos vai aproveitá-lo para desenvolver a sua catequese sobre o discipulado. A catequese apresentada por Marcos desenvolve-se à volta dos seguintes pontos:
1. Os apóstolos são os enviados de Jesus, chamados a continuar no mundo a missão de Jesus. Essa missão consiste em anunciar o Reino. Para a concretizar, os apóstolos convidam os homens que escutam a mensagem a mudarem a sua vida e a acolherem a proposta que Jesus lhes faz. Os gestos dos discípulos (“expulsaram demónios, curaram doentes” – Mc 6,13) anunciam esse mundo novo de homens livres e esse projecto de vida verdadeira e plena que Deus quer oferecer a todos os homens.
2. A referência à necessidade de os “apóstolos” descansarem (pois nem sequer tinham tempo para comer) pretende ser um aviso contra o activismo exagerado, que destrói as forças do corpo e do espírito e leva, tantas vezes, a perder o sentido da missão.
3. Os “apóstolos” são convidados por Jesus a irem com Ele para um lugar isolado. Já dissemos, acima, que não se nomeia esse lugar: na realidade, o que interessa aqui não é o lugar geográfico, mas sim que esse “descanso” deve acontecer junto de Jesus. É ao lado de Jesus, escutando-O, dialogando com Ele, gozando da sua intimidade, que os discípulos recuperam as suas forças. Se os discípulos não confrontarem, frequentemente, os seus esquemas e projectos pastorais com Jesus e a sua Palavra, a missão redundará num fracasso.
4. Entretanto, as multidões tinham seguido Jesus e os discípulos a pé – quer dizer, deslocando-se à volta do Lago de Tiberíades, com o barco sempre à vista. Esta busca incansável e impaciente espelha, com algum dramatismo, a ânsia de vida que as pessoas sentem… Jesus, cheio de compaixão, compara a multidão a um rebanho sem pastor. Não é nos líderes religiosos ou políticos da nação que elas encontram segurança e esperança; não é nos ritos da religião tradicional que elas encontram paz e sentido para a vida… Mas é em Jesus e na sua proposta que as multidões encontram vida verdadeira e plena. Na sequência, Marcos vai narrar-nos a cena da multiplicação dos pães e dos peixes, que saciam a fome de cinco mil homens.

Ideia de roteiro para teatro

(Crianças entram cochichando)

(Catequista entra)

C: Oi crianças tudo bem? Oi PA e PB tudo bem?

(Crianças continuam cochichando)

(Catequista fala mais alto)

C: Oi crianças tudo bem?

(PA e PB se assustam)

PA: Aí que susto!

PB: Nossa C, que susto mesmo, nem vimos à senhora chegar!

C: Eu percebi mesmo, fiquei aqui falando com vocês um tempão e nada de me ouvirem, o que aconteceu que estão nesse cochicho todo?

PA: Sabe o que é C, é que estamos pensando com vamos fazer para ajudar Jesus a encontrar suas ovelhas perdidas

C: Mas que história é essa crianças?

PB: É C, é que no evangelho de hoje Jesus fica muito triste porque tem algumas ovelhas que não tem Pastor.

PA: Isso mesmo C, e se as ovelhas não tem Pastor significa que estão perdidas, tadinhas delas!

PB: E por isso Jesus fica muito preocupado com as ovelhas perdidas, então decidimos procurá-las para ajudar Jesus e ele ficar feliz.

C: Ah muito bem crianças, estou vendo que prestaram bastante atenção na missa e que tentaram entender o evangelho, parabéns!

PA: Obrigada C, nós sempre prestamos atenção mesmo!

PB: Então a senhora vai nos ajudar a procurar as ovelhas perdidas?

C: Não crianças!

PA: Mas como não C? Jesus vai ficar triste com a senhora hein!

C: Crianças fico muito feliz por vocês se enforcarem para entender o evangelho e é assim mesmo que deve ser, mas vocês se confundiram uma pouco!

PB: Sério C? Mas em que nos confundimos?

C: Calma PB,  vou explicar pra vocês!

PA: Mas no que será que nos confundimos?

C: Crianças o evangelho fala que os discípulos estavam muito cansados, pois já tinham trabalhado muito, então Jesus os chamou para descansar, mas uma multidão de pessoas foi atrás de Jesus e dos discípulos, pois estavam precisando dos ensinamentos e das orações deles, então Jesus teve compaixão daquelas pessoas e disse; eles são como Ovelhas sem Pastor e começou a ajudá-los com muitos ensinamentos.

PB: Ah! Então Jesus comparou aquelas pessoas a ovelhas perdidas?

C: Isso mesmo PB! Jesus quis dizer que aquelas pessoas precisam de ajuda, assim como ovelhas que se perdem do pastor!

PA: E ai as ovelhas não sabem se defender sozinhas neh C? Elas precisam da ajuda do Pastor para defendê-las!

C: Isso mesmo! E Jesus faz isso, como um bom pastor ele cuida e orienta com seus ensinamentos todas aquelas pessoas.

PB: Então Jesus é o nosso Pastor neh!

C: Sim ele é! E cuida de nós como todo amor, pois ele não quer perder nenhuma de suas ovelhas, e mais! Precisamos imitar Jesus e fazer o mesmo por todas as pessoas que precisam.

PA: Como assim C? Como eu, que sou somente uma criança posso ensinar alguma coisa pra alguém?

PB: Ah Já sei! É só a gente ensinar o que a gente sabe fazer ué, que é brincar, estudar se  divertir, afinal somos crianças e é isso que crianças fazem.

C: Também PB! Mas a mensagem que o evangelho nos trás é que devemos, assim como Jesus, ter compaixão das pessoas que estão perdidas no mundo.

PA: Pessoas perdidas no mundo?

C: Sim, perdidas no mundo! Quer dizer, pessoas que só fazem coisas erradas, que não acreditam no amor de Deus, que não conhecem a Deus, essas pessoas infelizmente estão perdidas no mundo, mas nós podemos ajudá-las, falando sobre Deus para elas e tudo que já conhecemos sobre nosso amado Deus.

PB: Ah então nós podemos ensinar nossos amigos sobre o amor de Deus? Por exemplo, tenho um coleguinha de escola que não sabe nada sobre Deus.

C: Sim PB, você pode falar sobre Deus para seu coleguinha, tudo o que você já sabe, já aprendeu na catequese, e mais! Nas suas atitudes também, sabia?

PB: Nas minhas atitudes, como assim?

C: Sim, nas suas atitudes! Você que é uma criança que tem Deus no coração, nunca fará mal a ninguém, porque quem tem Deus no coração, nunca faz o mal. E assim com suas boas atitudes despertará no coração do outro a vontade de conhecer a Deus e também ter um bom coração e andar no caminho de Deus.

PA: Nossa C, Jesus quer todos nós como suas ovelhas, para cuidar de todos nós, neh?

C: Sim, ele quer a todas, sem deixar nenhuma ovelha perdida.

PB: Que lindo!

C: lindo demais PB! Agora vamos fazer uma oração, pedindo a Jesus que nos ajude, assim como ele, a ter compaixão daqueles que estão andando como ovelhas sem Pastor? E que possamos ajudá-los a encontrar Jesus o nosso Bom Pastor!

PA e PB: Vamos!

 
Sugestão de Música
 

 
 

Ideia para trabalhar esse Evangelho
Oração
Senhor Jesus, me ajude a seguir seus ensinamentos. Quero ser sua ovelha e nunca me perder do seu rebanho e quero ajudar aqueles que se sentem como ovelhas sem Pastor.
Amém

domingo, 24 de junho de 2018

Evangelho de Marcos 6, 1-6


Missa de 08 de julho de 2018


Imagem relacionada



14º DOMINGO DO TEMPO COMUM



Leituras
Primeira Leitura Ez 2,2-5
Salmo Salmo 122 (123)
Segunda Leitura 2Cor 12,7-10
Evangelho Mc 6,1-6
Liturgia Diária

Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, estamos reunidos, como família, ao redor daquele que se encarnou e nos ensinou o caminho do amor, mas que foi rejeitado por ser uma pessoa tão comum como as outras de seu tempo. Ser profeta, na maioria das vezes, é enfrentar rejeição. Deus, contudo, sempre acompanha seus escolhidos.


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia deste domingo revela que Deus chama, continuamente, pessoas para serem testemunhas no mundo do seu projeto de salvação. Não interessa se essas pessoas são frágeis e limitadas; a força de Deus revela-se através da fraqueza e da fragilidade desses instrumentos humanos que Deus escolhe e envia.
A primeira leitura apresenta-nos um extrato do relato da vocação de Ezequiel. A vocação profética é aí apresentada como uma iniciativa de Jahwéh, que chama um “filho de homem” (isto é, um homem “normal”, com os seus limites e fragilidades) para ser, no meio do seu Povo, a voz de Deus.
Na segunda leitura, Paulo assegura aos cristãos de Corinto (recorrendo ao seu exemplo pessoal) que Deus atua e manifesta o seu poder no mundo através de instrumentos débeis, finitos e limitados. Na ação do apóstolo – ser humano, vivendo na condição de finitude, de vulnerabilidade, de debilidade – manifesta-se ao mundo e aos homens a força e a vida de Deus.
O Evangelho, ao mostrar como Jesus foi recebido pelos seus conterrâneos em Nazaré, reafirma uma ideia que aparece também nas outras duas leituras deste domingo: Deus manifesta-Se aos homens na fraqueza e na fragilidade. Quando os homens se recusam a entender esta realidade, facilmente perdem a oportunidade de descobrir o Deus que vem ao seu encontro e de acolher os desafios que Deus lhes apresenta.


Ideia de roteiro para teatro

PA entra chateado.

PB: Oi PA! Tudo bem com você?

PA: Não muito! Estou um pouco triste! Deixei minha mãe meio chateada hoje!

PB: Ah é? E Por que?

PA: Ela disse que tem que falar mil vezes a mesma coisa e que ninguém em casa a escuta.

PB: Minha mãe sempre diz isso!

PA: A minha também! Mas hoje achei que ela estava um pouco mais chateada hoje!

PB: Você sabia que isso também aconteceu com Jesus?

PA: Sério?

PB: É sim! No Evangelho de hoje fala que Jesus foi ensinar em uma sinagoga na sua terra, Nazaré na Galiléia e que depois Dele falar as pessoas duvidaram que seria mensagens de Deus.

PA: Mas as pessoas não sabiam que Jesus é o filho de Deus?

PB: Não sabiam! Para eles era só o filho de Maria e conhecido por ser carpinteiro.

PA: Eles não davam muita importância porque já conheciam Jesus né?

PB: Isso mesmo!

PA: Jesus também deve ter se chateado, assim como minha mãe! Ela deve achar que não dei importância para o que ela me pediu porque já a conheço.

PB: Poxa PA! É verdade! Mas você não é igual aquele povo de cabeça dura! Você já está entendendo que agiu mal.

Catequista: Olá crianças! Tudo bem?

PB: Sim catequista!

PA: Mais ou menos catequista! Hoje me comportei igual o povo de Nazaré que não aceitou muito bem os ensinamentos de Jesus. E minha mãe estava como Jesus, o profeta que não foi bem recebido em sua terra.

Catequista: PA não precisa ficar triste! Você já está sendo diferente daquele povo, pois está percebendo que não teve uma atitude legal.
Vamos olhar um outro lado dessa história?

PA: Outro lado?

Catequista: Sim! Olha a perseverança de Jesus que não desistiu de evangelizar e levar a mensagem de Deus mesmo quando não foi bem recebido em sua própria terra. Isso tem dois motivos: O primeiro é que Ele dava muita importância para o plano de salvação de Deus e segundo porque ele ama todo seu povo.

PA: Minha mãe também Catequista. Ela fala mil vezes pra gente aprender e nunca desiste de nos ensinar porque nos ama.

Catequista: Sim isso mesmo! Jesus ainda realizou algumas curas no meio daquele povo.

PB: Mas catequista, por que não acreditaram em Jesus e trataram ele mal?

Catequista: As pessoas daquele época que esperavam o Messias que viria para libertá-los, imaginavam que o Deus todo poderoso em toda sua glória se manifestaria de maneiras grandiosas e não de uma forma simples e humilde através do filho de Maria e de um carpinteiro. Então não achavam que Jesus podia ser profeta e mensageiro de Deus pois ele não estudava as escrituras com os grandes mestres.

PB: Eles nem imaginavam que estavam diante do próprio Jesus o filho de Deus.

Catequista: Não imaginavam mesmo! E por isso não estavam de coração aberto para receber tudo aquilo que Jesus tinha para levar à eles.

PA: Se eu abrir meu coração e ouvir o que a mamãe tem para me ensinar terei uma vida bem melhor!

Catequista: Isso mesmo PA e se abrirmos o coração para mensagem de Jesus e nos tornarmos profetas como Ele poderemos levar mais pessoas à terem uma vida melhor.

PB: E quando as pessoas não quiserem nos ouvir, assim como fizeram com Jesus?

Catequista: Continuaremos firmes pois não é algo para sermos vaidosos e sim perseverantes pois o mais importante na nossa missão é apresentar o amor de Deus para todos!

PA: Sim catequista queremos ser profetas e ensinar à todos sobre o grande amor de Deus por nós.



Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Fazer com as crianças bilhetinhos para que possam levar para casa e evangelizar seus familiares.

Ressaltar que podem ter pessoas que não aceitem muito bem a mensagem, mas que mesmo assim temos que sere perseverantes, pois fazemos por Jesus!


Oração

Jesus meu bom amigo, assim como você também quero anunciar as maravilhas de Deus!
Me dá fé e perseverança para não desanimar onde não puder te anunciar.Amém.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Evangelho de Mateus 16, 13 - 19

Missa 01 de Julho de 2018


Resultado de imagem para são pedro e são paulo desenho
SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO APÓSTOLOS.

Leituras
Primeira Leitura At 12,1-11
Salmo Sl 33(34)
Segunda Leitura 2Tm 4,6-8.17-18
Evangelho Mt 16,13-19

Liturgia Diária

Mensagem Principal

 Irmãos e irmãs, celebrando a Eucaristia neste dia do Senhor, tornamos presentes as figuras de Pedro e de Paulo, dois pilares que sustentam nossa fé eclesial. Neles estão presentes a unidade, o ardor missionário e a adesão sem medida ao projeto de Jesus

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

Desde o século III que a Liturgia une na mesma celebração as duas colunas da Igreja, Pedro e Paulo. Mestres inseparáveis de fé e de inspiração cristã pela sua autoridade, simbolizam todo o Colégio Apostólico. Pedro era natural de Betsaida, onde exercia a profissão de pescador. Jesus chamou-o e confiou-lhe a missão de guiar e confirmar os irmãos na fé. É uma das primeiras testemunhas de Jesus ressuscitado e, como arauto do Evangelho, toma consciência da necessidade de abrir a Igreja aos gentios (At 10-11). Paulo de Tarso, perseguidor acérrimo da Igreja, converte-se no caminho de Damasco. A partir daí, a sua vivacidade e brilhantismo são postos ao serviço do Evangelho. Fortemente apaixonado por Cristo, percorre o Mediterrâneo para anunciar o Evangelho da salvação, especialmente aos pagãos. Depois de terem sofrido toda a espécie de perseguições, ambos são martirizados em Roma. Regando com o seu sangue o mesmo terreno, “plantaram” a Igreja de Deus.

Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB! Vim aqui pedir sua ajuda! Preciso fazer muitas placas para pendurar pela igreja.

PB: Placas? Que placas?

PA: Placas com uma foto de Jesus escrita assim: Jesus esse aqui é você! Você é Jesus!

PB: Você está ficando doido PA? Pra que fazer isso?

PA:Porque Jesus não está sabendo mais quem Ele é! Precisamos ajudar! Ele está perguntando pra todo mundo! Quem sou eu? Quem sou eu? O pessoal acha que eu sou quem?

PB: Nossa! É verdade! Vou te ajudar então! Será que tem mais gente que pode nos ajudar?

PA: Eu acho que podemos pedir ajuda da catequista! Talvez ela tenha palavras mais bonitas para explicar direitinho pra Jesus quem Ele é!

PB: Eu acho que a gente só precisa responder pra Jesus o mesmo que Pedro respondeu!

PA: Ah não! assim vamos confundir mais ainda a cabeça dele! Porque ele fala em João Batista, Elias, Profeta... Acho que vai ficar confuso! Vamos só escrever: Jesus você é Jesus!

PB: Mas se Ele não sabe quem é, como vai saber que a placa é pra ele?

PA: Nossa! Não tinha pensado nisso! Mais uma coisa pra gente perguntar pra catequista!

Catequista: Olá crianças! O que estão fazendo?

PB: Oi catequista! Vamos ajudar Jesus a se lembrar quem ele é!

Catequista: Como assim crianças?

PA: Sim catequista você não ouviu no Evangelho que dizia  que Jesus estava perguntando pra Pedro quem Ele era? Então vamos espalhar placas pra ajuda-lo. Só não sabemos como vamos fazer pra Ele entender que essa é uma mensagem pra Ele!

Catequista: Ah crianças! Fazendo confusão com o evangelho de novo?
Jesus sabia muito bem quem era, mas perguntou à Pedro pois queria ouvir a profissão de fé de seu discípulo.

PA: Mas catequista é muito estranho! Jesus estava meio confuso sim, tanto que Ele chamou Pedro de Pedra.

Catequista: Sim! E com isso Ele quis dizer que Pedro seria a força, a base da Igreja de Jesus. Foi dado à Pedro o poder de perdoar os pecados e de ligar no céu tudo o que ele ligasse na Terra. Pedro ganha as chaves do Reino dos Céus.

PB: Então Jesus sabia quem era?

Catequista: Sim PB. E Pedro ao falar que Jesus era o Messias, o filho enviado de Deus, faz à Jesus não só uma profissão de fé, mas também diz algo que foi revelado pelo próprio Deus.

PA: Nossa Catequista! Então Pedro foi o fundador da nossa igreja?

Catequista: Sim! Jesus deu à Ele a missão de edificar a igreja e ser testemunho para nós!

PB: E São Paulo Catequista? Ele também é importante assim?

Catequista:  Sim PB! Paulo é um dos maiores sinais de conversão. De perseguidor dos cristãos ele se tornou um anunciador ardoroso da palavra de Cristo e levou muitos a também se converterem!

PA: Que legal Catequista! Ainda bem que você chegou para nos ajudar a entender melhor o Evangelho. Quero assim como São Pedro e São Paulo seguir e anunciar à Cristo.

Catequista: Sim precisamos anunciar tudo aquilo que Jesus nos ensina para que mais pessoas tenham a chance de conhece-lo e todos que o conhecem o amam e tem a vida transformada. Que São Pedro e São Paulo sejam sempre exemplos para nossa caminhada na fé!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho


Que tal este joguinho dos 7 erros do site Espaço do Roquinho

Resultado de imagem para são pedro e são paulo desenho

Oração

Jesus meu bom amigo e salvador, dai-me um coração puro para que eu creia em ti e declare todos os dias que você é o meu melhor amigo e está sempre comigo!
Quero sempre andar em seus caminhos! Me ajude a ser fiel a ti todos os dias! Amém!

domingo, 10 de junho de 2018

Evangelho de Lucas 1,57-66.80

Missa de 24  de Junho de 2018

NATIVIDADE DE SÃO JOÃO BATISTA
- O PRECURSOR DE JESUS -
ANO DO LAICATO: “Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14)
 

Resultado de imagem para desenhos de joão batista




Leituras
Primeira Leitura (Is 49,1-6)
Salmo (Sl 138(139))
Segunda Leitura (At 13, 22-26)
Evangelho (Lc 1, 57-66.80)
Liturgia Diária
 
 
 
 
 
 
Mensagem Principal
 
 
Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

Ao conhecermos a vida de João Batista, percebemos que nada pode impedir que Deus realize seus desejos na vida de seus filhos. Isabel era estéril. A mulher que não podia gerar ao menos um filho, aumentar a sua descendência, era considerada como um “ramo seco”,uma nulidade e podia ser rejeitada. O esposo, ao descobrir a esterilidade da esposa, podia abandoná-la e casar-se com outra mulher. Não se podia admitir um casal sem descendência. Todo homem tinha que deixar herdeiros. O nome da família tinha um valor imenso e precisava ser passado adiante. Por isso, quando observamos que, apesar da incapacidade de Zacarias e a esterilidade de Isabel, ambos de idade avançada, foram agraciados por Deus com um filho, somos induzidos a entender que Deus tem também projetos para cada um de nós. Mas isso não será suficiente se não nos dispusermos a fazer Sua vontade, não nos colocarmos por inteiro nas mãos de Deus. Deus lhes deu João, que veio com uma importantíssima e maravilhosa missão: anunciar a chegada do tempo da salvação, trazida por Jesus, o Filho de Deus.
Deus fez maravilhas na vida de Zacarias e Isabel e continua de modo admirável agindo na nossa vida hoje. No dia em que deixarmos a vontade Deus prevalecer na nossa vida, tudo o que está travado, parado, será solto. O Senhor tem um projeto já traçado para nós muito antes de sermos gerados no ventre de nossas mães. Assim como o Pai enviou João, um profeta, para preparar a chegada do Seu Filho, precisamos preparar o nosso coração para os dons que o Senhor nos quer derramar. Todo cristão tem também, a exemplo de João Batista, a missão de anunciar e testemunhar Jesus Cristo
Fonte: Folheto Nova Aliança

Ideia de roteiro para teatro

(Personagem A e B entram)

PA: Oi tudo mundo!

PB: Oi, tudo bem PA?

PA: Tudo bem PB e com você?

PB: Tudo bem também!

PA: PB, você ouviu que o evangelho de hoje fala sobre o nascimento de um bebê?

PB: Sim, ouvi sim! Mas quem será que era esse bebe?

PA: Ah isso não sei! Só sei que o nome dele era João! Depois, não entendi mais nada.

PB: Também não!

PA: Mas tem uma coisa, eu percebi que na segunda leitura fala de novo desse tal João.

PB: É verdade fala mesmo! Mas porque será que está falando tanto desse João?

PA: Então! Eu acho que sei porque.

PB: Sabe? Então me fala

PA: Ele estava triste porque disse que não conseguia nem desamarrar as sandálias do nosso salvador, que é Jesus!

PB: Mas porque ele precisava desamarrar as sandálias de Jesus?

PA: Não sei! Vai ver Jesus fez um teste com ele, pra saber se ele era inteligente suficiente pra ser seu amigo.

PB: Mas desamarrar é tão fácil, ainda mais uma sandália que é só abrir. Difícil mesmo é amarrar os cadarços do tênis!

PA: Verdade! Mas eu sei amarrar meus cadarços.

PB: Eu também sei!

PB: PA tive uma ideia! vamos ensinar todo mundo amarrar os cadarços?

PA: Ah PB, mas quem é que hoje em dia não sabe amarrar os cadarços?

PB: Tenho certeza que muita gente não sabe!

PA: Será?

PB: Claro! Olha ai o pé de todo mundo aqui, o pessoal já compra esses sapatos que nem tem cadarços pra não passar vergonha!

(PA começa olhar o pé de todo mundo)

PB: E não é que você tem razão PA! Olha aqui o tanto de sapato sem cadarços.

PA: Viu! E ensinando todo esse pessoal que não sabe, vamos ajudar Jesus a ter mais amigos

(PA e PB começam a explicar para todos como se amarra os cadarços, mostrando em seus próprios tênis)

(Catequista entra)

 C: Oi crianças, tudo bem?

PA: Oi C, tudo bem! Que bom que a senhora chegou!

PB: Que bom mesmo! Assim a senhora pode ajudar.

C: Ajudar em que crianças?

PA: Estamos ensinando para o pessoal aqui, como se amarra os cadarços do tênis, assim ninguém precisa ficar triste, assim como João ficou!

C: Nossa! Crianças, vocês tem uma imaginação incrível.

PA: Obrigada, obrigada!

C: É mais, ás vezes a imaginação é tanta que acabam se enrolando no entendimento das coisas.

PB: Ah C, mas em que nos confundimos dessa vez?

C: Vou explicar! Eu percebi que vocês entenderam que o evangelho de hoje fala sobre João, certo?

PA: Certo!

C: Muito bem! Esse João que o evangelho fala é João Batista.

PB: João Batista, que batizou Jesus?

C: Sim, esse mesmo! João Batista é o filho de Isabel prima de Maria nossa mãezinha do céu. João Batista nasceu para cumprir uma linda missão aqui na terra.

PA: Missão, qual missão João Batista tinha que cumprir?

C: A missão de João Batista era de anunciar a vinda do nosso salvador.

PA: Que é Jesus!

C: Certíssimo PA, João foi preparado por Deus desde quando ele estava na barriguinha de sua mãe, para que pudesse cumprir essa missão tão importante para todos nós, que era avisar a todas sobre a chegada de Cristo!

PB: E ele conseguiu cumprir sua missão?

C: Sim! João além de falar a todas as pessoas sobre a chegada de Jesus nosso salvador, ele também os ensinou sobre o batismo, que todos precisavam ser batizados em nome do PAI do FILHO e do ESPIRÍTO SANTO.

PA: Nossa e eu pensando tanta bobagem sobre João. Ai que vergonha!

C: Crianças, João foi enviado por Deus ao mundo para preparar o coração de todas as pessoas para a chegada de Jesus, ele já nasceu com uma grande vontade de servir a Deus.

PA: Como assim servir a Deus?

C: Isso mesmo, servir a Deus! Servir, significa fazer a vontade de Deus e colocar em prática a missão que ele veio cumprir.

PB: Nossa então! João foi uma pessoa muito especial neh!

C: João é muito especial, ate hoje sabem por quê?

PB: Por quê?

C: Porque, ele é um exemplo para todos nós, e que precisamos aprender com ele essa vontade de servir a Deus, afinal todos nós temos uma missão a cumprir.

PA: Sério? Todos nós temos uma missão? Mas qual será nossa missão?

C: Cumprimos nossa missão de servir a Deus quando fazemos a vontade dele.

PB: E como sei qual é a vontade de Deus?

C: A vontade de Deus é que você fala de Jesus para todas as pessoas, que você faça somente o bem, que você ama a Deus e ao seu próximo e que sempre seja caridoso com quem precisa, assim você com certeza estará cumprindo a vontade de Deus.

PA: Nossa, eu quero servir a Deus assim como João serviu e cumpriu sua missão

PB: Eu também quero!

C: Que ótimo! vocês alegram muito o coração de Deus com essa vontade de servi-lo. Agora vamos fazer uma oração, pedindo que Deus nos ajude a sermos seus servos assim como João?

PA e PB: Vamos! 


Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho




Oração

Senhor, peço que meu coração seja parecido ao de João, que eu tenha a vontade de te anunciar e te servir, amando, ajudando e  respeitando e assim fazer a sua vontade.

Amém

domingo, 3 de junho de 2018

Evangelho de Marcos 4, 26-34


 

Missa de 17 de junho de 2018

11º DOMINGO DO TEMPO COMUM - A SEMENTE É A PALAVRA DE DEUS!


Primeira Leitura Ez 17, 22-24
Salmo Salmo 91 (92)
Segunda Leitura 2 Cor 5, 6-10
Evangelho Mc 4, 26-34
Liturgia Diária

Mensagem Principal

Nesta liturgia, somos convidados a meditar sobre a força do Amor, que faz da semente espalhada na terra uma grande árvore, que produz muitos frutos, e de um grão de mostarda, uma das maiores hortaliças. Assim é a força da Palavra de Deus que se implanta na história e a transforma no Reino de Deus. O Reino, de força irresistível, cresce, lenta e ocultamente, como uma semente. Os seus frutos vão se produzindo, sem que ninguém se dê conta. Jesus nos encoraja e nos exorta a continuar trabalhando no seu projeto, buscando ajuda para superar as crises e dificuldades da caminhada, com fé e esperança, mesmo sem ver os resultados.
Fonte: Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!



A liturgia do 11º Domingo do Tempo Comum convida-nos a olhar para a vida e para o mundo com confiança e esperança. Deus, fiel ao seu plano de salvação, continua, hoje como sempre, a conduzir a história humana para uma meta de vida plena e de felicidade sem fim.
Na primeira leitura, o profeta Ezequiel assegura ao Povo de Deus, exilado na Babilónia, que Deus não esqueceu a Aliança, nem as promessas que fez no passado. Apesar das vicissitudes, dos desastres e das crises que as voltas da história comportam, Israel deve continuar a confiar nesse Deus que é fiel e que não desistirá nunca de oferecer ao seu Povo um futuro de tranquilidade, de justiça e de paz sem fim.
O Evangelho apresenta uma catequese sobre o Reino de Deus – essa realidade nova que Jesus veio anunciar e propor. Trata-se de um projeto que, avaliado à luz da lógica humana, pode parecer condenado ao fracasso; mas ele encerra em si o dinamismo de Deus e acabará por chegar a todo o mundo e a todos os corações. Sem alarde, sem pressa, sem publicidade, a semente lançada por Jesus fará com que esta realidade velha que conhecemos vá, aos poucos, dando lugar ao novo céu e à nova terra que Deus quer oferecer a todos.
A segunda leitura recorda-nos que a vida nesta terra, marcada pela finitude e pela transitoriedade, deve ser vivida como uma peregrinação ao encontro de Deus, da vida definitiva. O cristão deve estar consciente de que o Reino de Deus (de que fala o Evangelho de hoje), embora já presente na nossa atual caminhada pela história, só atingirá a sua plena maturação no final dos tempos, quando todos os homens e mulheres se sentarem à mesa de Deus e receberem de Deus a vida que não acaba. É para aí que devemos tender, é essa a visão que deve animar a nossa caminhada.


Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB você está aqui ainda?

PB: Eu estou por quê?

PA: Ué! Você não via se arrumar? Essa sua roupa não é roupa de ir pra plantação!

PB: Plantação? Que plantação é essa?

PA: Oras PB e depois sou eu que não presto atenção nos evangelhos! Hoje na missa só falou de plantação, de sementes, de cuidar da terra e coisas assim. Então acredito que hoje Jesus quer que a gente vá pra plantação.

PB: Não é nada disso PA! Jesus só contou essas parábolas para ensinar ao povo de uma maneira mais fácil!

PA: Jesus contou o que?

PB: Parábolas! Essas histórias que ele conta!

PA: Nossa PB agora ficou difícil!

PB: A Catequista explicou que Jesus usava várias histórias e imagens pras pessoas entenderem melhor o que ele tinha pra ensinar. E essas histórias são chamadas de parábolas.

PA: Ah! agora sim entendi! Então não vai ter plantação nenhuma?

PB: Não PA! Nada de plantação!

PA: Entendi o que são parábolas, mas agora que não vai ter plantação de nada não entendi muito bem o Evangelho!

Catequista: Olá crianças! Que bom encontrar vocês aqui! No último encontro da catequese esqueci de entregar pra vocês essas sementes de mostarda!

PA: Ahá! Então vai ter plantação!

Catequista: Não PA! Era pra vocês guardarem com muito cuidado pois a semente de mostarda é muito pequenina! E eu queria propor uma experiência para vocês! Guardar esta sementinha com muito cuidado até nosso próximo encontro.

PA: Mas catequista por que precisamos guardar essa semente?

PB: Uma vez guardamos uma semente dessa pra falar sobre a fé você não se lembra? A Catequista falou que se a nossa fé for pequenina como um grão de mostarda ainda assim dará mutos frutos!

Catequista: Sim! Já fizemos isso! Mas dessa vez a semente de mostarda é pra ser comparada com o Reino de Deus! Quando a semente de mostarda é semeada, é a menor de todas as sementes, mas torna-se uma planta enorme que serve até de abrigo para os pássaros!

PA: Mas reino não tem nada a ver com sementes pequenas e nem com plantas grandes! Reino são os castelos, as festas e as pessoas importantes.

PB: Mas é reino de Deus né catequista?

Catequista: Sim! E o reino de Deus é comparado com um pequena semente que pode ser plantado a cada dia nos corações e quando cresce dá muitos frutos. Mas é muito importante lembrar que o tempo de florescer é determinado por Deus! Não podemos apressar o crescimento da planta!

PA: Que legal catequista! temos que plantar essa sementinha em todos os corações para que o reino de Deus comece a acontecer aqui na Terra.

Catequista: Podemos viver os ensinamentos de Jesus e com isso a cada dia ficar mais perto do Reino que Jesus anunciava.

PA: E nem precisa plantar nada além da palavra de Deus né?

PB: Podemos não só plantar, mas cuidar do lugar onde será plantada essas sementes e podemos fazer isso amando os nossos irmãos não é catequista?

Catequista: Isso mesmo PB. Seguindo os ensinamentos de Jesus vamos trazer muitas pessoas para servir a Deus conosco e a cada dia mais gente vai entender e querer fazer parte do Plano de salvação.
Deus não precisa, mas Ele nos quer participando do seu projeto. Ele quer trazer o Reino até nós e quer que todos os seus filhos façam parte deste reino.

PA: Eu quero fazer parte destes planos e vocês?

PB: Eu também quero!

Catequista: Então crianças vamos pedir sabedoria e paciência para semear o reino de Deus e esperar o tempo de vê-lo florescer!



Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Levar para as crianças sementes de mostarda e algumas outras sementes maiores. Levar fotos das arvores de cada semente apresentada. Falar sobre os frutos e sobre nossa fé que mesmo pequenininha pode gerar muitos frutos.



Oração


Senhor Jesus meu amigo e salvador. Fale em meu coração sobre o Reino de Deus e me ajuda a ser fiel aos seus ensinamentos para seguir rumo à este reino levando comigo todos os que eu amo e todos aqueles q quem eu anunciar teu Reino. Amém!

domingo, 27 de maio de 2018

Evangelho de Marcos 3, 20-35

Missa de 10 de Junho de 2018


10º DOMINGO DO TEMPO COMUM - SOMOS A FAMÍLIA DE JESUS!

Leituras
Primeira Leitura Gen 3, 9-15
Salmo Salmo 129 (130)
Segunda Leitura 2 Cor 4, 13 – 5, 1
Evangelho Mc 3, 20-35
Liturgia Diária

Mensagem Principal
Jesus nos ensina que a sua missão é libertar todas as pessoas de qualquer opressão que as despersonaliza e de toda alienação social e religiosa. A sua verdadeira família se constitui a partir do cumprimento da vontade do Pai. A relação mais íntima com ele não se faz através do parentesco de sangue, mas na sintonia com sua prática libertadora. Ele é o libertador e nós, sua família, devemos lutar com ele.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

Neste 10º Domingo do Tempo Comum, a Palavra de Deus leva-nos a meditar sobre a nossa resposta de vida ao projeto de Deus para nós, na liberdade de optar pelo bem e pelo mal.
O Evangelho centra o nosso olhar na pessoa de Jesus, que os seus conterrâneos, entre eles tantos familiares, não aceitaram como enviado de Deus e não perceberam, até se opuseram, à vontade de Deus revelada em Jesus. Na caminhada da fé, cada um é livre de optar: ou ficar pelos dispersos sentidos de vida, ou permanecer na única família de Jesus, de quem quiser fazer a vontade de Deus.
A segunda leitura realça que, para o cristão, viver só faz sentido na certeza da ressurreição, na caminhada de vida interior que se renova dia a dia em perspcetiva da etermidade.
Neste horizonte neo-testamentário, meditemos em particular a primeira leitura que nos mostra, recorrendo à história mítica de Adão e Eva, o que acontece quando rejeitamos as propostas de Deus e preferimos caminhos de egoísmo, de orgulho e de auto-suficiência… Viver à margem de Deus leva, inevitavelmente, a trilhar caminhos de sofrimento, de destruição, de infelicidade e de morte.

Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB tudo bem?

PB: Oi PA tudo bem e você?

PA: Eu estou ótimo! Só com um pouco de dúvida! Estou pensando se quero estar do lado de dentro ou de fora da família e também se quero trocar de família.

PB: Trocar de família? Por que isso?

PA: PB você não prestou atenção no evangelho? Jesus trocou de família! Disseram pra ele que a mãe e os irmãos dele estavam chamando e ele não quis atender. Disse que mãe, irmãos e irmãs dele era todo aquele povo que ele ensinava.

PB: Mas PA, não foi...

PA interrompendo PB: Então eu to pensando em trocar de família, porque as vezes minha mãe briga um pouco comigo, as vezes meu irmão bagunça minhas coisas, meu pai chega  muito cansado e tem dias que nem quer brincar. Se até Jesus trocou de família, eu também posso!

PB: PA tenho certeza que você entendeu errado! Não é que Jesus trocou!

PA: Ué, você não ouviu?

PB: Não é bem isso PA!

Catequista: Olá Crianças tudo bem?

PB: Ai catequista que bom que você chegou! PA está fazendo a maior confusão! Dizendo que quer trocar de família como Jesus fez!

Catequista: Não crianças! Neste evangelho Jesus não trocou de família! Quando ele diz que sua família são aqueles que ouvem suas palavras e as colocam em prática, ele quer nos dizer que cada um de nós que escolhermos fazer a vontade de Deus somos da família de Jesus!

PA: Então ele não trocou?

Catequista: Não PA! A família de Jesus quando foi busca-lo queriam que Ele fosse embora, que Ele fosse pra casa com Eles e Jesus tinha a missão de anunciar o reino de Deus. Falar à todos os povos sobre a boa nova e o plano de libertação e salvação de Deus. Se Jesus fosse embora com eles, não estaria fazendo a vontade de Deus e eles levando Jesus embora também não estavam fazendo o plano de Deus acontecer. Por isso Jesus disse que sua família era quem ouvisse e praticasse seus ensinamentos, pois estariam vivendo como os filhos de Deus devem viver.

PB: E nós somos chamados à fazer a vontade de Deus em nossa própria família não é catequista?

Catequista: Sim PB! Isso mesmo! Somos chamados a fazer a vontade de Deus em todos os lugares. Principalmente em nossas casas, junto de nossas famílias que foram escolhidas por Deus para nós!

PA: Achei que poderia trocar! As vezes nossa família é chata!

Catequista: Sim PA, todos nós temos dias bons e outros ruins! As vezes nossos pais tem muitas preocupações e por isso nem sempre estão de bom humor! E nós também nem sempre sabemos entender. Mas nossa família é a melhor que podemos ter e quando nossa família também decide ser parte da família de Jesus, tudo fica muito melhor! Nossos problemas não desaparecem, mas ficamos muito mais fortes!

PB: E o que precisamos fazer pra ser parte da família de Jesus catequista?

Catequista: Para ser parte da família de Jesus temos que ouvir o que Ele nos ensina na palavra, na missa, na catequese, o que Ele nos fala através de outras pessoas também! Temos que transmitir a mensagem de amor e salvação por onde formos.

PA: Escolher nossa família né catequista? E viver com muito amor mesmo quando estiver chato né?

Catequista: Sim! Respeitar todos aqueles que convivem conosco. E levar o amor de Deus!

PB: Que legal! Quero ser da família de Jesus!

PA: Eu também! E também quero levar a minha família pra fazer parte da família de Jesus junto comigo! Pensando bem, eu não quero trocar ninguém da minha casa.

Catequista: Isso mesmo crianças! Vamos deixar a família de Jesus bem grande e linda!!


Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Vamos juntos fazer um lindo convite para nossos amigos também fazerem parte da família de Jesus!

Como em uma festa, vamos desenhar um convite bem bonito e escrever ou desenhar sobre o amor de Deus para convidar todos os nossos amigos para serem da família de Jesus?

Depois vamos levar este convite para alguém que ainda não participa sempre dos grupinhos, encontros e catequese!




Oração

Querido Jesus queremos ser parte da sua grande família! 
Nos ajude a fazer sempre a sua vontade! 
Queremos levar as suas palavras para todos aqueles que ainda não te conhecem para serem da sua família também!

Obrigada por este lindo convite!

.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Evangelho de Marcos 2, 23-3-6

Missa 03 de Junho de 2018


IX Domingo do Tempo Comum
"Jesus é o Senhor do Tempo e do Eterno"

Leituras
Primeira Leitura Dt 5, 12-15
Salmo 80/81
Segunda Leitura 2Cor, 4, 6-11
Evangelho Mc, 2, 23-3-6
Liturgia Diária

Mensagem Principal
Jesus, o Senhor do tempo, da história e da eternidade, nos reúne aqui e nos convida a participar da vida e da liberdade dos filhos e filhas do Pai. Com alegria, neste domingo, Dia do Senhor e da vida. Fonte: Folheto Comununhão e Participação Arquidiocese de Goiania

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

O Filho do Homem é o Senhor também do sábado! Segundo Jesus, o critério da Lei deve ser o ser humano e não o descanso sabático. Qualquer lei que oprima, marginaliza ou exclua não é de Deus. Seja no caso das espigas que na cura do homem da mão seca. Jesus depara-se com os corações duros, que só se importavam com a transgressão da lei e não com a cura das pessoas doentes. Jesus depara-se com o silêncio eloquente dos seus oponentes. Não tendo o que responder, calam-se, mas tramam prende-lo e mata-lo. Quantas vezes somos nós quem calamos diante dos desmandos, das injustiças e das barbaridades. Que o Senhor Jesus, ajuda- nos a dicernir quando uma lei é libertadotra ou opressora para que possamos na verdade e na justiça anunciar o Reino de amor.
Fonte: Diário Bíblico 2018 - Ed Ave Maria - comentário e reflexão do evangelho de 03 de junho de 2018.

Ideia de roteiro para teatro

PA: Olha, Jesus foi mesmo um cara muito paciente.

PB: Por que você tá falando isso, amigo?

PA: Ah você não prestou atenção no evangelho?

PB: Prestei, claro que prestei... mas não sei do que tá falando.

PA: PB, Jesus, foi sempre bom e curou mais uma pessoa...

PB: Verdade eu vi...ai ficaram falando que não podia, porque era sábado...nada a ver né...

PA: Ah isso a tia já explicou para a gente, que no sábado não se trabalhava...

PB: E curar era o trabalho de Jesus, né amigo!

PA: Isso, mas pense comigo... Jesus era muito paciente, se fosse eu, ia mandar um raio na cabeça de quem ficou falando que não podia... imagina... não podia curar uma pessoa...

PB: É Jesus não mandou raio nenhum, teve mesmo paciência e se explicou...

PA: Pois é... muito paciente mesmo!

Catequista: Crianças, não pude deixar de ouvir vocês... teve uma parte ainda que vocês se esqueceram de falar, dos discipulos colhendo espigas, pois tinham fome...

PA: Ah sim, foi mesmo e eles disseram também que não podia, que isso era trabalho, né tia!

C: Foi e logo depois foi o epsódio da cura da mão do homem...

PA: Sim, e ele ficou ali explicando que pegaram porque tinham fome e que ele curou porque tava doente. Simples né... que coisa... nada inteligentes estes caras...

C: Inteligentes eles eram sim, eram entendedoras de todas as leis daquela época!

PB: Nossa... todas?

C: Sim e viviam repetindo elas e investigando quem não cumprisse...

PA: Não acredito! Estavam espionando Jesus!!!!

PB: Que malvados!

C: É estavam... queriam que ele errasse e queriam entrega-lo para ser morto! Tinham inveja dele. Jesus não fez nada de errado, pagava seus impostos como todos, cumpria sim as leis, mas ele sempre pensava no amor de Deus primeiro e depois tomava sua atitude.

Por isso sempre pergunto para vcs: Como Jesus faria?

PA: Sim, sim, Jesus faria tudo certinho... uma injustiça isso! Eu tava aqui falando, Jesus, super poderoso... podia ter lançado um raio paralisante neles... e eles iam ver quem manda!

PB: É podia, mas eu nunca vi Jesus fazer isso...

PA: É nem eu, mas fico com pena... ele só fazia coisas boas e maltrataram tanto ele...

C: Sim, mas era a lei...  Eles interpretavam como queriam, mas Jesus interpretava e cumpria a partir do amor Deus pelas pessoas.

PA: Verdade...

PB: Sabe, to aqui pensando Jesus tinha mesmo que continuar sendo paciente e não brigar quando ficaram questionando ele, das espigas, da cura do moço...

PA: É? porque?

PB: Porque a lei de Deus é amor. Tinha que explicar com todo o amor... isso que ele fez...

PA: A lei de Deus é amor e compaixão para com o próximo.

PA: Sim é verdade...

PB: E eu já sei quem é que nos ajuda nesta missão de detetives das boas leis!

PA: Eu também sei!

C: Ah é, então me contem...

PA e B: O Espirito Santo, nosso amigão!

C: Isso, ele mesmo!

PA: Que legal! eu vou para casa... vou pensar em tudo que eu já sei que é lei e que ajudam as pessoas... e claro vou lembrar das leis de Deus, dos mandamentos... ai vou fazer uma listinha de que eu preciso ir fazendo...

PB: Que ótima ideia... vou com você!

C: Excelente, queridos! Amar sempre! Quem obedece esta lei, nunca erra!

Sugestão de Música

A quem primeiro devo amar?



Ideia para trabalhar esse Evangelho

O que são leis?
São ordens que devem ser seguidas, foram criadas pensando em fazer com que todos tenham o mesmo comportamento diante de um direcionamento, uma lei. 

Se você pudesse fazer uma lei que ajudaria as pessoas, o que faria?

**Provavelmente eles dêem ideias de leis que "já existem" mas não são olhadas pelo olhar do amor. Fale sobre isso, do quanto hoje o egoísmo nos impede de ajudar o irmão.

Vamos ajudar os pequenos aguçar o seu senso crítico e tomar a melhor decisão quando chegar a missão de ajudar um irmão que necessita.

Vamos fazer nossa listinha?


Oração
Jesus querido, me ajude a ter sempre no coração a diferença das leis que vem do seu amor e das leis que me afastam do seu amor..