Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

domingo, 29 de julho de 2018

Evangelho João 6,41-51


Missa de 12  de  Agosto de 2018


19º DOMINGO DO TEMPO COMUM
- Vocação para a vida em família –
- Dia dos Pais -
Resultado de imagem para atividades sobre Eu sou o pão vivo descido do céu


Leituras
Primeira Leitura (1Rs 19,4-8)
Salmo (Sl 33(34))
Segunda Leitura (Ef 4,30-5,2)
Evangelho (Jo 6,41-51)
Liturgia Diária




Mensagem Principal

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!
 
Os interlocutores de Jesus não aceitam a sua pretensão de Se apresentar como “o pão que desceu do céu”. Eles conhecem a sua origem humana, sabem que o seu pai é José, conhecem a sua mãe e a sua família; e, na sua perspectiva, isso exclui uma origem divina (vers. 41). Em consequência, eles não podem aceitar que Jesus Se arrogue a pretensão de trazer aos homens a vida de Deus.
Em lugar de discutir a questão da sua origem divina, Jesus prefere denunciar aquilo que está por detrás da atitude negativa dos judeus face à proposta que lhes é feita: eles não têm o coração aberto aos dons de Deus e recusam-se a aceitar os desafios de Deus… O Pai apresenta-lhes Jesus e pede-lhes que vejam em Jesus o “pão” de Deus para dar vida ao mundo; mas os judeus, instalados nas suas certezas, amarrados às suas seguranças, acomodados a um sistema religioso ritualista, estéril e vazio, já decidiram que não têm fome de vida e que não precisam para nada do “pão” de Deus. Não estão, portanto, dispostos, a acolher Jesus, “o pão que desceu do céu” (vers. 43-46). Eles não escutam Jesus, porque estão instalados num esquema de orgulho e de auto-suficiência e, por isso, não precisam de Deus.
Para aqueles que, efectivamente, O querem aceitar como “o pão de Deus que desceu do céu”, Jesus traz a vida eterna. Ele “é”, de facto, o “pão” que permite ao homem saciar a sua fome de vida (“Eu sou o pão da vida” – vers. 48). A expressão “Eu sou” é uma fórmula de revelação (correspondente ao nome de Deus – “Eu sou aquele que sou” – tal como aparece em Ex 3,14) que manifesta a origem divina de Jesus e a validade da proposta de vida que Ele traz. Quem adere a Jesus e à proposta que Ele veio apresentar (“quem acredita” – vers. 47) encontra a vida definitiva. O que é decisivo, neste processo, é o “acreditar” – isto é, o aderir efectivamente a Jesus e aos valores que Ele veio propor.
Essa vida que Jesus está disposto a oferecer não é uma vida parcial, limitada e finita; mas é uma vida verdadeira e eterna. Para sublinhar esta realidade, Jesus estabelece um paralelo entre o “pão” que Ele veio oferecer e o maná que os israelitas comeram ao longo da sua caminhada pelo deserto… No deserto, os israelitas receberam um pão (o maná) que não lhes garantia a vida eterna e definitiva e que nem sequer lhes assegurava o encontro com a terra prometida e com a liberdade plena (alimentada pelo antigo maná, a geração saída da escravidão do Egipto nunca conseguiu apropriar-se da vida em plenitude e nem sequer chegou a alcançar essa terra da liberdade que buscavam); mas o “pão” que Jesus quer oferecer ao homem levará o homem a alcançar a meta da vida plena (vers. 49-50). “Vida plena” não indica aqui, apenas, um “tempo” sem fim; mas indica, sobretudo, uma vida com uma qualidade única, com uma qualidade ilimitada – uma vida total, a vida do homem plenamente realizado.
Jesus vai dar a sua “carne” (“o pão que Eu hei-de dar é a minha carne” – vers. 51) para que os homens tenham acesso a essa vida plena, total, definitiva. Jesus estará aqui a referir-se à sua “carne” física? Não. A “carne” de Jesus é a sua pessoa – essa pessoa que os discípulos conhecem e que se lhes manifesta, todos os dias, em gestos concretos de amor, de bondade, de solicitude, de misericórdia. Essa “pessoa” revela-lhes o caminho para a vida verdadeira: nas atitudes, nas palavras de Jesus, manifesta-se historicamente ao mundo o Deus que ama os homens e que os convida, através de gestos concretos, a fazer da vida um dom e um serviço de amor.
 
 
Ideia de roteiro para teatro

(crianças entram)
PA: Oi todo mundo! Oi PB
PB: Oi... Nossa PA! O que são essas coisas nessa sacola?
PA: Ah PB são coisas para fazer pão!
PB: Coisas pra fazer pão?
PA: Sim! Farinha de trigo e fermento ué! Vai dizer que não sabe como se faz um pão?
PB: Ah claro que sei, só não sei por que você trouxe tudo isso pra igreja
(catequista entra)
C: Oi crianças tudo bem?
PA: Oi Catequista tudo bem e a senhora?
C: Tudo bem graças a Deus! PA, o que é isso? Porque trouxe farinha de trigo e fermento pra igreja?
PB: Eu perguntei a mesma coisa C, ele disse que é pra fazer pão.
C: Fazer pão? Que idéia é essa PA?
PA: Ah Catequista eu tive uma idéia e que bom que e senhora esta aqui, vou precisar da sua ajuda!
C: Ai meu Deus! La vem você com suas idéias PA, mas vamos lá! Qual sua idéia?
PA: C escuta! Ouvi no evangelho de hoje que Jesus disse que só ele tem o pão da vida eterna, então pensei em trazer os materiais que se faz o pão, pra pedir pro padre pedir pra Jesus fazer um pão desses pra mim também.
PB: Nossa PA que boa idéia! Eu também quero o pão da vida eterna, e quem mais poderia pedir pra Jesus fazer? Só o padre mesmo neh? Afinal ele é o que esta mais próximo de Jesus neh!
C: Ai crianças, não é disso! Meu Deus a imaginação de vocês vai longe hein!
PA: Ah C, mas tenho certeza que no evangelho de hoje fala sobre o pão da vida eterna e que Jesus que tem esse pão!
C: Crianças, realmente no evangelho fala sobre o pão da vida eterna, mas o que Jesus fala é “Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”.
 
PA: Mas o que ele quer dizer então?
 
C: Jesus estava falando àqueles homens que não estavam acreditando nele, que ele era o filho de Deus, aquele que Deus enviou para trazer a vida eterna.
PA: Mas eles continuaram duvidando de Jesus neh Catequista?
 
C: Sim, Infelizmente! Estavam com o coração tão duro, cheios de raiva, que não quiseram acreditar em Jesus.
 
PA: Mas porque Jesus usa o pão como exemplo?
 
C: Quando Jesus fala Eu sou o pão vivo descido do céu” ele quer dizer que ele é o enviado por Deus. E quando Jesus fala “Quem comer deste pão viverá eternamente” ele quer dizer que, quem acreditar nele de todo coração, esse terá a vida eterna.
 
PB: Mas ainda não entendi sobre o pão.
 
C: Crianças, vocês lembram que em toda a celebração da Santa Missa, temos o momento da comunhão?
PA: Sim! É o momento que recebemos a Eucaristia.
 
PB: E a Eucaristia é o Corpo e o Sangue de Jesus.
 
C: Isso mesmo! E o pão simboliza corpo de Jesus, e o vinho simboliza o sangue de Jesus, certo?
PA: Certo!
 
C: Crianças, quando Jesus fala “E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo” Ele já sabia que daria sua vida por nós! Então, ele usa o pão como exemplo porque nos deixaria esse lindo ensinamento, a Eucaristia, que é o momento que recebemos o pão e o vinho, ou seja, o corpo e o sangue de Jesus.
 
PA: Nossa que lindo!
C: Deus enviou Jesus ao mundo para trazer vida eterna a todos nós, quem acredita em Jesus, acredita em Deus. Deus nos ama e nos enviou seu filho amado para nos salvar do pecado e nos dar a vida eterna.
C: Agora vamos fazer nossa oração. Em especial, vamos fazer uma linda oração por nossos Papais, agradecendo a Deus por suas vidas. Afinal hoje é dia dos Pais!
PA e PB: Vamos!

 
Sugestão de Música



Vídeo Especial para o Dia dos Pais.


 

Ideia para trabalhar esse Evangelho
 


Oração:
Jesus, hoje aprendi que és o pão da vida eterna, quero te receber em meu coração através da Eucaristia. Então peço que me ajude a evitar faltar a Missa, para que sempre prepare meu coração para esse momento.
Agora Jesus, quero fazer um agradecimento, hoje é dia dos pais e quero agradecer por esse incrível paizão que me deu. Obrigado Jesus por me presentear com meu lindo papai.


Amém



 

domingo, 22 de julho de 2018

Missa de 05 de agosto de 2018

18º DOMINGO DO TEMPO COMUM 
Vocação ao Ministério Ordenado 
Dia do Padre 

Leituras
Primeira Leitura Ex 16,2-4.12-15
Salmo 77/78
Segunda Leitura Ef 4,17.20-24
Evangelho Jo 6,24-35
Liturgia | Dehonianos

Mensagem Principal
Queridos irmãos e irmãs, na liturgia de hoje Jesus se revela como o pão da vida, o alimento que sacia nossa fome e sede. Assim, Ele pede que nos esforcemos em buscar sempre o alimento que permanece até a vida eterna. Celebramos também o primeiro domingo do mês vocacional, quando rezamos por todos os ministros ordenados, especialmente por nossos padres. Certos de que pelas mãos dos sacerdotes que a Eucaristia, o pão da vida, chega a nós, nos alegremos por todos os ordenados que se doam ao serviço do Reino. Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM
A liturgia do 18º Domingo do Tempo Comum repete, no essencial, a mensagem das leituras do passado domingo. Assegura-nos que Deus está empenhado em oferecer ao seu Povo o alimento que dá a vida eterna e definitiva.
A primeira leitura dá-nos conta da preocupação de Deus em oferecer ao seu Povo, com solicitude e amor, o alimento que dá vida. A acção de Deus não vai, apenas, no sentido de satisfazer a fome física do seu Povo; mas pretende também (e principalmente) ajudar o Povo a crescer, a amadurecer, a superar mentalidades estreitas e egoístas, a sair do seu fechamento e a tomar consciência de outros valores.No Evangelho, Jesus apresenta-Se como o “pão” da vida que desceu do céu para dar vida ao mundo. Aos que O seguem, Jesus pede que aceitem esse “pão” – isto é, que escutem as palavras que Ele diz, que as acolham no seu coração, que aceitem os seus valores, que adiram à sua proposta.A segunda leitura diz-nos que a adesão a Jesus implica o deixar de ser homem velho e o passar a ser homem novo. Aquele que aceita Jesus como o “pão” que dá vida e adere a Ele, passa a ser uma outra pessoa. O encontro com Cristo deve significar, para qualquer homem, uma mudança radical, um jeito completamente diferente de se situar face a Deus, face aos irmãos, face a si próprio e face ao mundo. Dehonianos.org

Ideia de roteiro para teatro

PA: Amigo, vamos na padaria comigo?

PB: Vamos, o que você vai fazer lá?

PA: Comprar pão, ué...você não está vendo que estão todos trabalhando muito hoje na quermesse, o pessoal tá com fome... já tá na hora do café. Vamos lá, minha mãe pediu...

PB: Amigo, hoje eu já fui a missa, você já foi?

PA: Não ainda, vou com a mamãe e o papai a noite. Agora todos da minha família estão trabalhando lá na barraca.

PB: Sei, amanhã é a escala da minha família, por isso fomos hoje.

PA: É tô sabendo, mas o que você ia dizer sobre a missa?

PB: Hoje o evangelho falou que Jesus é o pão da vida!

PA: Nossa que bonito! Tipo Jesus mata a nossa fome de amor!

PB:Isso ai! Então, ai fiquei pensando, se Jesus é o pão da vida e ele mata nossa fome e enche nosso coração de amor, as pessoas que estão aqui trabalhando para Jesus não precisam comer, né?

PA: Hahaha... claro que não amigo... não misture as coisas!

PB: Ah não?

PA: Tem até uma musica bem linda que diz: "o pão sustenta o homem, Jesus sustenta a alma"!
Jesus vem no nosso coração na eucarístia e com o Espirito Santo de amor deixa o nosso coração cheinho de alegria nos abastece, mata a nossa fome, sustenta a gente!

PB: Nossa... como você tá inteligentão hoje... falou igual o padre!

PA: É... mas eu tenho que confessar uma coisa... eu também já me confundi com este evangelho... não entendia como Jesus podia ser pão!

PB: E ai? quem te ensinou tudo assim?

PA: O nosso padre né...

PB: Ah aí sim!

PA: Ele me ajudou a entender que Jesus é o nosso pão porque nos dá muita força, alimenta nosso coração, faz a gente ter muita energia para enfrentar tudinho!

PB: Já ouvi mesmo dizer que pão da muita energia... Jesus escolheu bem que ele ia usar para explicar para a gente... conhece bem seu povo... quem não gosta de pão, né amigo?

PA: Verdade! Jesus é MUITO inteligente!

PB: É sendo assim, precisamos mesmo ir na padaria... comprar o "pão dos homens"...

PA: Isso, ai todos estarão bem fortes de corpo para conseguir continuar aqui trabalhando para Jesus na quermesse... saco vazio não pára em pé né!

PB: Não mesmo... e depois todos para a Santa Missa, receber a Eucaristia, Jesus o pão da vida... que alimenta nosso coração...

PA: E quem ainda não fez a primeira eucaristia pode pedir para Jesus vir morar no coração e ele vem... e do mesmo jeitinho nos alimenta...

PB: Sim, esta eu já tinha aprendido... Amigo, e olha só este mês de agosto a nossa catequista falou que é o mês das vocações... mas você não sabe o que eu descobri na missa!

PA: O que, amigo?

PB: Hoje é dia do Padre... Dia especial de rezar pela vocação dele que TANTO nos ajuda!

PA: Aaah que legal! O padre que me ensinou esta importante lição de Jesus, pão da vida! Vou rezar MUITOOO por ele hoje...

PB: Isso, eu também. Mas falou que não pode ser só hoje, e não pode ser só para o nosso padre... temos que rezar sempre e por todos!

PA: Entendido... minha vó fala assim:
Não esquece de comer, não pode esquecer de rezar!
Não tem preguiça para comer, não pode ter preguiça de rezar!
Tem que ser todo dia, como uma refeição que alimenta a gente!

PB: Olha... verdade, hein! Sua vovó é muito sabida!

PA: Sim, ela também é muito inteligente! É amigona de Jesus!
Vamos lá, amigo... já ficamos de muita conversa!
Vamos buscar o pão dos homens para o povo e eles vão buscar o pão do céu, Jesus!

PB: Vamos nessa, amigo!


Sugestão de Música

O pão sustenta o homem, Jesus sustenta a alma!




Ideia para trabalhar esse Evangelho

Vamos ensinar as crianças a fazer um pão de verdade?

Leve farinha, fermento, água, ovos e mãos a obra e vamos lá fazer uma correlação com a nossa vida e os ingredientes.

Farinha = oração

água  = Bíblia

ovos = Comunidade

fermento = Espirito Santo

E tudo junto, se transforma em pão pela nossa vontade, pela nossa ação, porque se não mexer, amassar bem e depois de tudo bem junto e misturado não colocar no forno e cuidar não vira pão.

Assim é a nossa vida. Deus nos dá todos os ingredientes, temos que nos esforçar todo dia para manter o ensinamento de que Ele nos alimenta e precisamos agir para que o Reino de Deus aconteça e mais e mais pessoas provem deste amor e saciem a sua fome de amor!




Oração
Jesus querido, pão da vida, fortalece nosso amor por ti e que possamos cada dia trazer mais e mais amigos para perto do seu coração! 
Que também cuide com todo amor e carinho dos nossos queridos, padres! Que tenham muita saúde, força e coragem, sempre! Amém!

.

domingo, 15 de julho de 2018

Evangelho de João 6, 1 - 15

Imagem relacionada
Missa de 29 de julho de 2018

17º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO DO LAICATO – “Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14)

Leituras
Primeira Leitura 2 Re 4,42-44
Salmo Salmo 144 (145)
Segunda Leitura Ef 4,1-6
Evangelho Jo 6,1-15
Liturgia Diária

Mensagem Principal

Amados irmãos e irmãs, neste domingo somos convidados a olhar Jesus que acolhe uma multidão desejosa de milagres e com fome. No evangelho, Jesus partilha os pães e os peixes dando testemunho de um coração enraizado na caridade. Nesta celebração, peçamos ao Senhor a graça de sermos semelhantes a Ele na partilha real de amor.

Fonte: Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do 17º domingo Comum dá-nos conta da preocupação de Deus em saciar a “fome” de vida dos homens. De forma especial, as leituras deste domingo dizem-nos que Deus conta conosco para repartir o seu “pão” com todos aqueles que têm “fome” de amor, de liberdade, de justiça, de paz, de esperança.
Na primeira leitura, o profeta Eliseu, ao partilhar o pão que lhe foi oferecido com as pessoas que o rodeiam, testemunha a vontade de Deus em saciar a “fome” do mundo; e sugere que Deus vem ao encontro dos necessitados através dos gestos de partilha e de generosidade para com os irmãos que os “profetas” são convidados a realizar.
O Evangelho repete o mesmo tema. Jesus, o Deus que veio ao encontro dos homens, dá conta da “fome” da multidão que O segue e propõe-Se libertá-la da sua situação de miséria e necessidade. Aos discípulos (aqueles que vão continuar até ao fim dos tempos a mesma missão que o Pai lhe confiou), Jesus convida a despirem a lógica do egoísmo e a assumirem uma lógica de partilha, concretizada no serviço simples e humilde em benefício dos irmãos. É esta lógica que permite passar da escravidão à liberdade; é esta lógica que fará nascer um mundo novo.
Na segunda leitura, Paulo lembra aos crentes algumas exigências da vida cristã. Recomenda-lhes, especialmente, a humildade, a mansidão e a paciência: são atitudes que não se combinam com esquemas de egoísmo, de orgulho, de auto-suficiência, de preconceito em relação aos irmãos.



Ideia de roteiro para teatro

PB: Oi PA! Que cara de chateado é essa?

PA: Ah tive um problema hoje de manhã! Eu não queria dividir minha bolacha com meu irmão. Minha mãe ficou muito brava comigo. E nem me deixou explicar. Não sou egoísta, mas estava acabando! Não tinha o suficiente para nós dois.

PB: Ah que chato PA, mas sempre podemos dividir o que temos. Minha avó sempre fala que o pouco com Deus se torna muito!

PA: Minha mãe falou isso também! Mas só tinha duas bolachinhas.

PB: Olha só que coincidência. No Evangelho de hoje fala que Jesus repartiu 2 peixinhos e 5 pães.

PA: Com os 12 apóstolos?

PB: Não com uma multidão com mais de 5 mil homens.

PA: Impossível! Cinco pães e dois peixinhos para 5 mil homens!

PB: Fora as mulheres e crianças! E ainda sobrou pão e peixe!

PA: Muito estranha essa história!

PB: Mas foi isso mesmo! Tinha uma multidão seguindo Jesus para ouvir sua palavra, mas depois de muito tempo eles ficaram com fome.
Jesus perguntou aos discípulos como poderiam comprar pão para alimentar toda aquela multidão.

PA: Nossa! Ia precisar de muito dinheiro!

PB: Isso mesmo! Mas eles não tinham dinheiro para alimentar toda aquela multidão.

PA: E então o que fizeram?

Catequista: Oi Crianças tudo bem? Está tudo tão calmo por aqui. Não ouvi nenhuma confusão.

PB: Oi Catequista! Estou contando pro PA sobre a história da multiplicação de pães e peixes!

Catequista: Nossa que legal e em que parte da história você está? Posso te ajudar a contar?

PA: Está na parte que ninguém tinha dinheiro pra alimentar toda aquela gente.

Catequista: Ah foi isso mesmo! E neste momento os discípulos tiveram que acreditar e confiar ainda mais na proposta de Jesus que era levar à todos os povos a libertação de suas dores.
Eles tiveram que confiar que Jesus teria o melhor de todos os planos.

PA: E que plano era esse tão bom Catequista?

Catequista: Jesus recebeu em suas mãos o que tinham disponível de alimentos, ou seja, cinco pães e dois peixes e isso representava tudo o que aquela comunidade tinha disponível. Em seguida ele agradeceu à Deus pelo alimento que não é mais de uma única pessoa que trouxe, mas dom de Deus para ser partilhado com todos.

PA: Nossa! É realmente muito melhor dividirmos o pouco com todos. Minha mãe tinha toda razão. A bolacha era pra ser de todos nós, pois foi dada por Deus.

PB: Isso que eu estava tentando te dizer.

Catequista: Sim crianças! Após abençoar o alimento dom de Deus Jesus mandou que os discípulos distribuíssem para toda aquela multidão de pessoas e assim saciaram a fome de todo aquele povo.
Jesus também quer isso de nós!

PA: Que a gente saia distribuindo pão?

Catequista: Também o pão, mas Jesus quer que a gente leve sua palavra pra saciar a fome que esse mundo tem de Deus. Por isso nos chama a multiplicar.

PB: Quero ser multiplicador do reino de Deus para que mais pessoas possam sentir o coração cheio de Deus.

PA: E eu quero dividir tudo o que eu tenho pois é dom de Deus e sendo assim Jesus pode multiplicar.

Catequista: Isso mesmo crianças! sem nunca nos esquecer de dar graças à Deus por tudo que recebemos e assim poder partilhar com todos os nossos irmãos.



Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

multiplicação dos pães desenho para colorir

Fonte: Amiguinhos de Deus

Oração

.Querido Jesus que você sempre possa saciar nossa fome de Deus.
Nos ajude a te seguir por quem você é e não pelos milagres que realiza!
Amém.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Evangelho de Marcos 6, 7-13

 
Missa de 15 de julho de 2018


15º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO DO LAICATO -
“Sal da terra e luz do mundo” (Mt
5,13-14

 
Leituras
Primeira Leitura Am 7,12-15
Salmo Sl 84,9ab-10.11-12.13-14 (R. 8)
Segunda Leitura Ef 1,3-14
Evangelho Mc 6,7-13
Liturgia Diária





Imagem:blogtiale.blogspot.com


Mensagem Principal

Na liturgia de hoje percebe-se que Deus chama quem Ele quer. Suas escolhas podem parecer surpreendentes como no caso de Amós, aquele que pensava que vida se resumiria em cuidar de gados; no entanto, como afirma Paulo de Tarso: “Em Cristo, ele nos escolheu, antes da fundação do mundo”. É o próprio Deus quem nos convida e nos envia para a missão. De nossa parte, cabe acolhê-la ou não


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do 15º Domingo do Tempo Comum recorda-nos que Deus atua no mundo através dos homens e mulheres que Ele chama e envia como testemunhas do seu projeto de salvação. Esses “enviados” devem ter como grande prioridade a fidelidade ao projeto de Deus e não a defesa dos seus próprios interesses ou privilégios.
A primeira leitura apresenta-nos o exemplo do profeta Amós. Escolhido, chamado e enviado por Deus, o profeta vive para propor aos homens – com verdade e coerência – os projetos e os sonhos de Deus para o mundo. Atuando com total liberdade, o profeta não se deixa manipular pelos poderosos nem amordaçar pelos seus próprios interesses pessoais.
A segunda leitura garante-nos que Deus tem um projeto de vida plena, verdadeira e total para cada homem e para cada mulher – um projeto que desde sempre esteve na mente do próprio Deus. Esse projeto, apresentado aos homens através de Jesus Cristo, exige de cada um de nós uma resposta decidida, total e sem subterfúgios.
No Evangelho, Jesus envia os discípulos em missão. Essa missão – que está no prolongamento da própria missão de Jesus – consiste em anunciar o Reino e em lutar objetivamente contra tudo aquilo que escraviza o homem e que o impede de ser feliz. Antes da partida dos discípulos, Jesus dá-lhes algumas instruções acerca da forma de realizar a missão… Convida-os especialmente à pobreza, à simplicidade, ao despojamento dos bens materiais.



Ideia de roteiro para teatro

PA entra contando as crianças de duas em duas!

PB: Oi PA! O que você está fazendo?

PA: Ah não PB! Você me atrapalhou! Agora vou ter que começar a contar tudo de novo!

PB: Mas porque você está contando todo mundo?

PA: Estou adiantando o trabalho de Jesus!

PB: Xiii lá vem mais uma de suas histórias doidas!

PA: Pois você está muito enganado PB! Hoje eu prestei muita atenção no evangelho, e como estou adiantando a tarefa de Jesus, acho que Ele vai me dar uns pontinhos a mais na gincana!

PB: Já me perdi!

PA: Hoje no evangelho Jesus disse que ia fazer uma gincana e por isso dividiu os apóstolos em equipes de dois em dois.
Não sei muito bem como ele fez essa divisão, mas Jesus é muito esperto e também muito justo, então eu acho que foi feita bem certinha a escolha das duplas.

PB: Pa eu ouvi o evangelho todinho e não tinha nada falando de gincana!

PA: Claro que tinha PB! Senão pra que dividir times? Se eu fosse você parava de ficar aí duvidando e faria alguma coisa pra ganhar pontos extras também!

Catequista: Olá crianças! Que agitação é essa?

PB: É o PA que disse que Jesus vai fazer uma dinâmica e dividiu as pessoas e que precisamos ganhar pontos extras.

Catequista: Já até imagino sobre o que vocês estão falando! Não se trata de nenhuma gincana, mas sim do envio dos apóstolos em missão!

PB: Eu disse que tinha coisa errada aí!

Catequista: SIM PB! Jesus chamou seus 12 apóstolos e os enviou em missão! Mandou que eles caminhassem em dupla e não levassem nada alem da roupa que estavam usando e de uma sandália nos pés!
Jesus ainda deu à eles poder para expulsar os espiritos ruins e para curar os doentes.

PA: Ah não acredito que não era gincana! Mas tinha regras e tudo mais! Eu ouvi Jesus até dizer as regras para os discípulos. Tinha até dinâmicas pra fazer!

PB: Dinâmicas?

PA: Isso mesmo! Jesus disse que eles tinham que sacudir a sandália pra ver quem fazia mais poeira!

Catequista: Não PA! A recomendação de Jesus era para que os discípulos sacudissem a poeira dos pés nos lugares onde não fossem bem recebidos! Isso seria sinal de que deram o seu melhor e por isso não poderiam desanimar, tinham que seguir firmes na missão e deixar para trás tudo o que não pertencia à Jesus, como a poeira e sujeira daqueles que não aceitaram o reino de Deus.

PA: Ah que pena! Eu estava tão animada!!!

Catequista: E pode continuar PA, pois apesar de não ser uma gincana, Jesus também conta conosco para nos enviar em missão, levando sua palavra por onde andarmos.

PA: Mas preciso ter uma dupla né?

Catequista: Jesus nos envia em missão para servimos em comunidade. Ele não quer que estejamos sozinhos e por isso nos chama a servir ao seu reino em comunidade. Chamar os discípulos dois a dois é uma forma de deixar isso claro.

PA: E porque não posso levar nada quando saio em missão?

Catequista: Essa também é uma simbologia PA! Para nos dizer que devemos nos desapegar daquilo que é material e seguir os preceitos do reino de Deus. Nada pode ser impedimento para realização de nossa missão!

PB: Ah ficou bem mais fácil entender agora! PA, podemos ir em dupla falar sobre o que aprendemos para as crianças que não estão aqui! Lá em casa mesmo ficaram vários primos que estão passando as férias e que não quiseram vir à missa.

Catequista: Isso mesmo crianças! Jesus sempre tem missões para nos enviar!

PA: Então vamos! O mais importante é seguir o que Jesus nos pede!





Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho


OraçãoJesus, me ajude a cumprir minha missão.
Quero ser como seus discípulos fazendo bem, ajudando o próximo e falando a todos meus amigos sobre  seu amor por nós.
Amém
 

domingo, 8 de julho de 2018

Evangelho de Marcos 6,30-34

Missa de 22 de Julho de 2018


 
16º DOMINGO DO TEMPO COMUM
- ANO DO LAICATO –
“Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14)
 
 
 
Leituras

Primeira Leitura (Jr 23,1-6)
Salmo (Sl 22(23))
Segunda Leitura (Ef 2,13-18)
Evangelho (Mc 6,30-34)






Imagem: paulabelquice.blogspot.com


Mensagem Principal

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!
O nosso texto começa com a narração do regresso dos discípulos que, entusiasmados, contam a Jesus a forma como se tinha desenrolado a missão que lhes fora confiada (vers. 30). Na sequência, Jesus convida-os a irem com Ele para um lugar isolado e a descansarem um pouco (vers. 31). Os discípulos foram, com Jesus, para um lugar deserto (vers. 32); mas as multidões adivinharam para onde Jesus e os discípulos se dirigiam e chegaram primeiro (vers. 33). Ao desembarcar, Jesus viu as pessoas, teve compaixão delas (“porque eram como ovelhas sem pastor”) e pôs-se a ensiná-las (vers. 34).
O episódio, em si, é banal… No entanto, Marcos vai aproveitá-lo para desenvolver a sua catequese sobre o discipulado. A catequese apresentada por Marcos desenvolve-se à volta dos seguintes pontos:
1. Os apóstolos são os enviados de Jesus, chamados a continuar no mundo a missão de Jesus. Essa missão consiste em anunciar o Reino. Para a concretizar, os apóstolos convidam os homens que escutam a mensagem a mudarem a sua vida e a acolherem a proposta que Jesus lhes faz. Os gestos dos discípulos (“expulsaram demónios, curaram doentes” – Mc 6,13) anunciam esse mundo novo de homens livres e esse projecto de vida verdadeira e plena que Deus quer oferecer a todos os homens.
2. A referência à necessidade de os “apóstolos” descansarem (pois nem sequer tinham tempo para comer) pretende ser um aviso contra o activismo exagerado, que destrói as forças do corpo e do espírito e leva, tantas vezes, a perder o sentido da missão.
3. Os “apóstolos” são convidados por Jesus a irem com Ele para um lugar isolado. Já dissemos, acima, que não se nomeia esse lugar: na realidade, o que interessa aqui não é o lugar geográfico, mas sim que esse “descanso” deve acontecer junto de Jesus. É ao lado de Jesus, escutando-O, dialogando com Ele, gozando da sua intimidade, que os discípulos recuperam as suas forças. Se os discípulos não confrontarem, frequentemente, os seus esquemas e projectos pastorais com Jesus e a sua Palavra, a missão redundará num fracasso.
4. Entretanto, as multidões tinham seguido Jesus e os discípulos a pé – quer dizer, deslocando-se à volta do Lago de Tiberíades, com o barco sempre à vista. Esta busca incansável e impaciente espelha, com algum dramatismo, a ânsia de vida que as pessoas sentem… Jesus, cheio de compaixão, compara a multidão a um rebanho sem pastor. Não é nos líderes religiosos ou políticos da nação que elas encontram segurança e esperança; não é nos ritos da religião tradicional que elas encontram paz e sentido para a vida… Mas é em Jesus e na sua proposta que as multidões encontram vida verdadeira e plena. Na sequência, Marcos vai narrar-nos a cena da multiplicação dos pães e dos peixes, que saciam a fome de cinco mil homens.

Ideia de roteiro para teatro

(Crianças entram cochichando)

(Catequista entra)

C: Oi crianças tudo bem? Oi PA e PB tudo bem?

(Crianças continuam cochichando)

(Catequista fala mais alto)

C: Oi crianças tudo bem?

(PA e PB se assustam)

PA: Aí que susto!

PB: Nossa C, que susto mesmo, nem vimos à senhora chegar!

C: Eu percebi mesmo, fiquei aqui falando com vocês um tempão e nada de me ouvirem, o que aconteceu que estão nesse cochicho todo?

PA: Sabe o que é C, é que estamos pensando com vamos fazer para ajudar Jesus a encontrar suas ovelhas perdidas

C: Mas que história é essa crianças?

PB: É C, é que no evangelho de hoje Jesus fica muito triste porque tem algumas ovelhas que não tem Pastor.

PA: Isso mesmo C, e se as ovelhas não tem Pastor significa que estão perdidas, tadinhas delas!

PB: E por isso Jesus fica muito preocupado com as ovelhas perdidas, então decidimos procurá-las para ajudar Jesus e ele ficar feliz.

C: Ah muito bem crianças, estou vendo que prestaram bastante atenção na missa e que tentaram entender o evangelho, parabéns!

PA: Obrigada C, nós sempre prestamos atenção mesmo!

PB: Então a senhora vai nos ajudar a procurar as ovelhas perdidas?

C: Não crianças!

PA: Mas como não C? Jesus vai ficar triste com a senhora hein!

C: Crianças fico muito feliz por vocês se enforcarem para entender o evangelho e é assim mesmo que deve ser, mas vocês se confundiram uma pouco!

PB: Sério C? Mas em que nos confundimos?

C: Calma PB,  vou explicar pra vocês!

PA: Mas no que será que nos confundimos?

C: Crianças o evangelho fala que os discípulos estavam muito cansados, pois já tinham trabalhado muito, então Jesus os chamou para descansar, mas uma multidão de pessoas foi atrás de Jesus e dos discípulos, pois estavam precisando dos ensinamentos e das orações deles, então Jesus teve compaixão daquelas pessoas e disse; eles são como Ovelhas sem Pastor e começou a ajudá-los com muitos ensinamentos.

PB: Ah! Então Jesus comparou aquelas pessoas a ovelhas perdidas?

C: Isso mesmo PB! Jesus quis dizer que aquelas pessoas precisam de ajuda, assim como ovelhas que se perdem do pastor!

PA: E ai as ovelhas não sabem se defender sozinhas neh C? Elas precisam da ajuda do Pastor para defendê-las!

C: Isso mesmo! E Jesus faz isso, como um bom pastor ele cuida e orienta com seus ensinamentos todas aquelas pessoas.

PB: Então Jesus é o nosso Pastor neh!

C: Sim ele é! E cuida de nós como todo amor, pois ele não quer perder nenhuma de suas ovelhas, e mais! Precisamos imitar Jesus e fazer o mesmo por todas as pessoas que precisam.

PA: Como assim C? Como eu, que sou somente uma criança posso ensinar alguma coisa pra alguém?

PB: Ah Já sei! É só a gente ensinar o que a gente sabe fazer ué, que é brincar, estudar se  divertir, afinal somos crianças e é isso que crianças fazem.

C: Também PB! Mas a mensagem que o evangelho nos trás é que devemos, assim como Jesus, ter compaixão das pessoas que estão perdidas no mundo.

PA: Pessoas perdidas no mundo?

C: Sim, perdidas no mundo! Quer dizer, pessoas que só fazem coisas erradas, que não acreditam no amor de Deus, que não conhecem a Deus, essas pessoas infelizmente estão perdidas no mundo, mas nós podemos ajudá-las, falando sobre Deus para elas e tudo que já conhecemos sobre nosso amado Deus.

PB: Ah então nós podemos ensinar nossos amigos sobre o amor de Deus? Por exemplo, tenho um coleguinha de escola que não sabe nada sobre Deus.

C: Sim PB, você pode falar sobre Deus para seu coleguinha, tudo o que você já sabe, já aprendeu na catequese, e mais! Nas suas atitudes também, sabia?

PB: Nas minhas atitudes, como assim?

C: Sim, nas suas atitudes! Você que é uma criança que tem Deus no coração, nunca fará mal a ninguém, porque quem tem Deus no coração, nunca faz o mal. E assim com suas boas atitudes despertará no coração do outro a vontade de conhecer a Deus e também ter um bom coração e andar no caminho de Deus.

PA: Nossa C, Jesus quer todos nós como suas ovelhas, para cuidar de todos nós, neh?

C: Sim, ele quer a todas, sem deixar nenhuma ovelha perdida.

PB: Que lindo!

C: lindo demais PB! Agora vamos fazer uma oração, pedindo a Jesus que nos ajude, assim como ele, a ter compaixão daqueles que estão andando como ovelhas sem Pastor? E que possamos ajudá-los a encontrar Jesus o nosso Bom Pastor!

PA e PB: Vamos!

 
Sugestão de Música
 

 
 

Ideia para trabalhar esse Evangelho
Oração
Senhor Jesus, me ajude a seguir seus ensinamentos. Quero ser sua ovelha e nunca me perder do seu rebanho e quero ajudar aqueles que se sentem como ovelhas sem Pastor.
Amém