Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

domingo, 10 de março de 2019

Evangelho de Lucas 13,1-9

Missa de 24 de março de 2019
3º DOMINGO DA QUARESMA “Fraternidade e políticas públicas”.
“Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27)


Leituras
Primeira Leitura Ex 3,1-8a.13-15)
Salmo 102/103
Segunda Leitura 1Cor 10,1-6.10-12
Evangelho Lc, 13,1-9
Fonte: http://liturgiadiaria.cnbb.org.br/

Mensagem Principal
Nesta liturgia, Jesus insiste na necessidade de conversão, ao mesmo tempo em que nos encoraja a perseverarmos mesmo tendo vivido fracassos. Sempre há possibilidade de dar frutos. Nessa certeza de que o Senhor é bondoso e compassivo. Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM


O texto apresenta duas partes distintas, embora unidas pelo tema da conversão. Na primeira parte (cf. Lc 13,1-5), Jesus cita dois exemplos históricos que, no entanto, não conhecemos com exactidão (assassínio de alguns patriotas judeus por Pilatos e a queda de uma torre perto da piscina de Siloé). Flávio Josefo, o grande historiador judeu do séc. I, narra como Pilatos matou alguns judeus que se haviam revoltado em Jerusalém. Trata-se do exemplo citado por Jesus? Não sabemos. Também não sabemos nada sobre a queda da torre de Siloé que, segundo Jesus, matou dezoito pessoas… Apesar disso, a conclusão que Jesus tira destes dois casos é bastante clara: aqueles que morreram nestes desastres não eram piores do que os que sobreviveram. Refuta, desta forma, a doutrina judaica da retribuição segundo a qual o que era atingido por alguma desgraça era culpado por algum grave pecado. No caso presente, esta doutrina levava à seguinte conclusão: “nós somos justos, porque nos livramos da morte nas circunstâncias nomeadas”. Em contrapartida, Jesus pensa que, diante de Deus, todos os homens precisam de se converter. A última frase do vers. 5 (“se não vos arrependerdes perecereis todos do mesmo modo”) deve ser entendida como um convite à mudança de vida; se ela não ocorrer, quem vencerá é o egoísmo que conduz à morte. Na segunda parte (cf. Lc 13,6-9), temos a parábola da figueira. Serve para ilustrar as oportunidades que Deus concede para a conversão. O Antigo Testamento tinha utilizado a figueira como símbolo de Israel (cf. Os 9,10), inclusive como símbolo da sua falta de resposta à aliança (cf. Jer 8,13) (uma ideia semelhante aparece na alegoria da vinha de Is 5,1-7). Deus espera, portanto, que Israel (a figueira) dê frutos, isto é, aceite converter-se à proposta de salvação que lhe é feita em Jesus; dá-lhe, até, algum tempo (e outra oportunidade), para que essa transformação ocorra. Deus revela, portanto, a sua bondade e a sua paciência; no entanto, não está disposto a esperar indefinidamente, pactuando com a recusa do seu Povo em acolher a salvação. Apesar do tom ameaçador, há no cenário de fundo desta parábola uma nota de esperança: Jesus confia em que a resposta final de Israel à sua missão seja positiva. Fonte: http://www.dehonianos.org


Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Vovó, ai na sua horta tem alguma coisa que não tá dando fruto, nem flor, assim, só tá dando trabalho?

Vovó: Tem, tem sim... a macieira, a árvore das maças e também o limoeiro, acho que eles estão com preguiça este ano...(risos)

Personagem A: Ah e o que você vai fazer, vovó?

Vovó: Eu vou cuidar dos 2, vou regar mais, vou adubar, dar carinho... dar mais atenção para eles.

Personagem A: O que é adubar?

Vovó: Adubo é uma mistura de vitaminas, de nutrientes que as plantinhas precisam...

Personagem A: Eu não gosto de limão, mas eu adoro maça... A senhora pode colocar mais adubo na macieira, por favor? Eu ainda não comi nenhuma maçãzinha dela este ano...Gosto tanto.

Vovó: Tem o suficiente para os dois, a macieira e o limoeiro, fique tranquilho, querido!

Personagem A: Que bom! Oh vovó a senhora sabia que Jesus salvou uma figueira, a arvore dos figos, no evangelho de hoje? acabei de chegar da missa com o papai e a mamãe e o padre disse... Foi nas historinhas que Jesus contava...

Vovó: Sei, foi a missa com seu avô cedinho e também escutamos o evangelho.

Personagem A: Eu não gosto de figo... Jesus pelo jeito gostava, né... deve ter sido Nossa Senhora que obrigava ele a comer pra ficar forte... coitado...

Vovó: (risos)... Na verdade, a figueira, a historinha da figueira é uma parábola, historinhas que Jesus contava para ficar fácil entender o que ele queria ensinar...

Personagem A: Verdade, é mesmo... eu já aprendi isso na Catequese.

Vovó: Isso mesmo... e nesta historinha Jesus quer nos mostrar que Deus sempre nos dá uma nova chance, nos perdoa quando não damos frutos na época esperada...

Personagem A: Igual a senhora tá fazendo com as plantinhas, dando uma chance... cuidando delas!

Vovó: Sim, to cuidando delas, porque acredito que vão dar frutos logo e porque gosto delas, cuidei delas sempre com tanto amor, desde a sementinha!

Personagem A: Deus também cuidou da gente, né vó... desde de sementinha, desde a barriga da mamãe... quando eramos do tamanho da sementinha...

Vovó: Isso, e eu cuido delas também porque preciso delas, é nosso alimento...

Personagem A: Verdade, eu amo maças.

Vovó: Deus também, precisa de nós... precisa que a gente dê os melhores frutos de amor para trazer as pessoas que ainda não conhecem este doce amor Dele para juntinho do Seu coração. Deus quer salvar a todos e conta muito com a gente.

Personagem A: Então, temos que sempre dar estes frutos, vó!

Vovó: Sim, querido temos. Jesus está sempre pronto a nos ajudar e nos deu poderosos adubos: a bíblia, a oração, a catequese as santas missas.

Personagem A: Ótimo, vovó... eu vou ser uma árvore com muitos frutos e vou ser jardineiro também, como Jesus, vou cuidar das árvores da família, a senhora, o vovô, mamãe, papai... meu irmão, meus primos todo mundo, quando alguém ficar sem frutos, vou adubar com muito amor!

Vovó: Muito bem! Jesus está orgulhoso de você, e eu também!


Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho


Nós somos chamados a dar frutos, a espalhar o amor de Deus pelo mundo. Um amor que alimenta, sustenta, traz sementes, que geram novos frutos. Somos como uma árvore!

E muitas vezes, somos como a figueira, a árvore do evangelho de hoje! Não cumprimos a nossa missão, não damos os frutos que Deus nos pede... não espalhamos o Seu amor!

Vamos construir esta árvore, dar uma a cada criança. Na figura, as duas faces tem frutos, mas a nossa ideia é deixar uma sem frutos e uma com frutos. Assim vamos trabalhar que frutificar é a nossa missão, e não podemos nos esquecer disso.

Ao apresentar a arvore para as crianças mostre os 2 lados: com e sem frutos, diga que é nossa decisão frutificar e mais que isso é a nossa missão. Precisamos adubar a nossa árvore com: a bíblia, a oração, a catequese as santas missas. Tudo nos ajuda! O grande jardineiro que é Jesus, sempre nos auxilia.



 

Fonte: Este modelinho de árvore (fotos) está disponível em passo a passo no: Blogdaebi


Oração

Jesus, que a minha árvore, possa sempre ter os melhores frutos para alegrar o seu coração. Que quando eu tiver preguiça, quando o pecado vier, eu conte com a sua ajuda para logo voltar para o caminho certo. O caminho das árvores mais bonitas, com a sombra do seu amor. Amém!



Nenhum comentário:

Postar um comentário