Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Evangelho de Mateus 1, 18-24

Missa de 18 de Novembro de 2016


Resultado de imagem para desenho presépio tia adelita
Fonte: blog.cancaonova.com/cantinho
4º DOMINGO DO ADVENTO 
“ABRI AS PORTAS PARA QUE ELE POSSA ENTRAR!”
                                               
Leituras
Primeira Leitura Is 7,10-14
Salmo 23 / 24
Segunda Leitura Rm 1,1-7 
Evangelho Mt 1,18-24

Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! Para se compreender pela fé o nascimento de Jesus é preciso, muitas vezes, fechar os olhos e os ouvidos aos ruídos do mundo para poder se abrir às verdades de Deus. Talvez entrar num sono profundo, fugindo das armadilhas do racionalismo, para despertar, com o balbuciar da criança na manjedoura, para uma nova vida.
(Fonte: folheto Nova Aliança)

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

HOMILIA DIÁRIA
NASCE O FILHO DE DAVI

O nascimento de Jesus é precedido pela Anunciação, em Mateus e em Lucas. Neste, a Anunciação é feita a Maria. Em Mateus, o anjo aparece em sonho a José, “filho de Davi”, com a intenção teológica de demonstrar a origem davídica de Jesus, através da genealogia inicial. Jesus é o Messias (Cristo) dos judeus-cristãos para quem Mateus escreve. João inicia seu Evangelho, afirmando a eternidade do Verbo em Deus. Sem origem, existia desde o princípio. Essa é a última realidade de Jesus. Mas, enquanto homem, qual foi sua origem? Mateus e Lucas descrevem o início do homem Jesus de modo diferente, porém, essencialmente idêntico. Lucas apela ao testemunho da mãe, Maria. Mateus, pelo contrário, descreve a situação do ponto de vista do marido, José. Ambos os relatos convergem para afirmar que o concebido no ventre de Maria não tinha pai humano. Que a concepção foi um ato do poder do Espírito Divino. Esse Espírito, que pairava presente sobre as águas no início (Gn 1,2), agora paira sobre Maria para uma realidade que se parece com uma criação.                                                     Jesus não é um homem qualquer; na sua humanidade existe uma intervenção direta do poder de Deus. Ele tem uma mãe terrena, mas o Pai d’Ele (“meu Pai” dirá Ele) e vosso Pai, é o próprio Deus. Porém, essa sua permanência desde a concepção até seu nascimento no seio de Maria o torna semelhante a nós em tudo. Se o primeiro homem foi feito espírito vivente pelo Sopro Divino, o segundo Adão, Cristo, foi feito homem pelo Espírito Divino que transforma um óvulo humano em ser divino totalmente dependente da divindade. Será chamado Filho de Deus (Lc 1, 35) ou Deus conosco.   É admirável a simplicidade da narração. Mas também é apreciável o modo como é efetuada: José conhece o caso pelas palavras do mensageiro de Deus, como num sonho. Este sonho implica uma duplicata da realidade que temos que conhecer, em profundidade, unicamente com os olhos e ouvidos interiores. Por meio de uma fé que depende de um relato humano, mas que unicamente aceitamos porque avaliado pela palavra divina.                                                                                                       A dúvida de José era se podia aceitar uma mulher que, em termos legais, era uma idólatra e, portanto, maculava o matrimônio de modo a atingir de forma pecaminosa o esposo, cuja infâmia, portanto, deve ser extirpada. Aceitá-la era impossível. O meio de recusá-la era a dúvida principal de José. Como temos exposto, escolheu um método que a deixava fora de suspeitas adúlteras, mas que impediria a união matrimonial, porque nesse caso, como marido de uma mulher infiel, comparável a uma idólatra, estaria ele colaborando com o mal. O escrito de repúdio antigo, foi a forma escolhida por José. Não era preciso relatar causas, mas deixar claro que não deviam existir vínculos ulteriores. Tudo estava terminado.                                                                                                                           A visão em sonhos declara os fatos e inocenta Maria. Mais: a eleva à categoria de especial escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador esperado. Existe um outro aspecto a ser tomado em conta: pede a José que atue como pai. Ninguém saberá o acontecido e todos pensarão numa concepção, gravidez e nascimento comuns.                                                                                                                             José aceitou o encargo e se tornará pai –todos assim o pensavam- de um menino a quem impõe o nome, Salvador dos pecados de seu povo, não dos inimigos externos ou do poder estrangeiro, mas dessa ruptura essencial do homem com Deus que Cristo inicia a dissolver e da qual sempre será causa de anulação por meio da reconciliação. Era o antigo decreto de morte que acompanhava o afastamento do homem. Agora, por parte de Deus, todos somos filhos em seu Filho. Por parte humana, individual, essa nova realidade é assumida particularmente por meio da fé e a conversão em que não é o homem quem dita a ética vital, mas o Homem Jesus quem a proclama no seu Evangelho.   Pai, ajuda-me a contemplar tua ação maravilhosa em relação à concepção de teu Filho Jesus. Que eu reconheça nela tua oferta gratuita de salvação para toda a humanidade.                                                    (Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/nasce-o-filho-de-davi-mt-118-24/)

Ideia de roteiro para teatro


Personagem A entra de pijama, carregando um coberto e travesseiro e encontra com Personagem B.

Personagem B: Nossa Personagem A você está bem? O que aconteceu com você?

Personagem A: Ué, é claro que estou bem, por quê?

Personagem B: Como por quê? Olha só pra você! Saiu de casa sem tirar o pijama, ainda veio pra igreja desse jeito, só pode esta ficando louquinho.

Personagem A: Que nada Personagem B, como sempre você não entendeu nadinha do que a catequista explicou na catequese, né mesmo?

(Nesse momento, Catequista entra e percebe que estão falando sobre o que aprenderam na catequese então fica de lado bem quietinha ouvindo a conversa deles, pois quer saber o que eles entenderam na catequese).

Personagem B: Na catequese? Não lembro da catequista nos falar pra vir de pijama para igreja.

Personagem A: Olha, presta atenção pra ver se agora você entende ta! Na catequese nós aprendemos que devemos fechar os olhos e os ouvidos para os barulhos do mundo e assim conseguirmos ouvir a voz de Deus. Igualzinho como aconteceu com José no evangelho, o anjo apareceu para ele enquanto dormia e aí eles conseguiram conversar porque estava tudo bem calminho.

Personagem B: Claro que o anjo teve que aparecer!! Ele queria desistir da Maria! Deus não podia deixar!!

Personagem A: Ai Personagem B!! Claro que não!! José estava preocupado com Maria, por isso decidiu ir embora sem que ninguém percebesse! Mas nos planos de Deus, José seria o homem escolhido para ser pai de Jesus!!

Personagem B: Verdade!! Mas ainda não estou entendendo nada!! A catequista nos ensinou que é preciso vir dormir na igreja?

Personagem A: Não, ela não ensinou não... mas eu até tentei escutar Deus na minha casa, mas lá é muito barulhento! O único momento que fica tudo bem quietinho já é bem de noitão, bem tarde mesmo e aí eu já estou muito cansado e desse jeito não consigo ver o anjo quando ele chega.

Personagem A: Nossa verdade, na minha casa também é assim!!!

Personagem B: Então lá em casa tem o celular, o vídeo game, o computador a TV, todos falando o tempo inteiro, aí fica difícil né conseguir ficar quietinho pra ouvir a voz de Deus. Como podemos escutar a Deus?

Personagem A: Nossa que difícil responder essa pergunta!!

Personagem B: Mas ai resolvi vir pra igreja, aqui vou conseguir fechar os olhos e ficar quietinho, além disso, Jesus está la no sacrário aí vou conseguir ficar mais pertinho de Deus.

Personagem B: Sabe que agora acho que você tem razão! Vou deitar aqui com você, também quero ouvir a voz de Deus. Ooooooba!

(Então, os dois deitam).

Catequista ouvindo toda a conversa, chega falando: Oi Oi crianças, vamos levantar todo mundo!

Personagem A e B se assustam e falam: Que susto!! Mas que bom que a senhora estava aí?

Personagem A: Viu que idéia ótima nós tivemos para ouvir a voz de Deus?

Personagem B: O Personagem A me convenceu!!!

Catequista: Pois é, estava sim! E ouvi tudo o sim. Mas olha crianças vou explicar melhor pra vocês, achei muito legal vocês terem interesse de ouvir a voz de Deus, é isso mesmo! Todos nós precisamos procurar ouvir a Deus, porque Deus é amor e ele quer o nosso bem sempre. Então ele tem muitos ensinamentos para todos nós e quer que estejamos atentos ao seu chamado.

Personagem A: Ficou orgulhosa dos seus catequizandos não?

Catequista: Fiquei sim! Mas não precisamos vir dormir aqui na igreja para poder ouvir a Deus, o que o evangelho quer dizer é que precisamos acalmar nosso coração, nossos pensamentos para conseguirmos ouvir a Deus.

Personagem B: Mas como podemos fazer isso?

Catequista: Vou explicar. Vocês prestaram atenção no Evangelho de hoje que conta sobre José, pai de Jesus?

Personagem A e B: Prestamos atenção sim!!

Catequista: Então, quando José soube que Maria teria um Bebe ele ficou muito confuso, pois os dois ainda não eram casados. Ele ficou preocupado porque mulheres que ficavam grávidas antes do casamento eram apedrejadas em praça diante de todos.

Personagem A: Minha nossa!!

Catequista: José não queria que acontecesse isso com Maria. Como ele era um homem de coração muito bom e ficou em silêncio.

Personagem B: José era um homem muito bom mesmo!!! E ele devia amar muito Maria!

Catequista: Amava muito!! Ficou muito triste, pois achou que Maria tivesse o traído. Então Deus enviou o anjo para explicar tudo para José, que Maria ficaria grávida pela ação do espírito santo e que ele podia confiar e se casar com ela, pois ela daria a luz a um menino que iria salvar o mundo e que José daria o nome de Jesus a esse lindo menino.

Personagem A: Foi assim que José aceitou a vontade e o chamado de Deus, não é mesmo?

Catequista: Isso mesmo! José aceitou Maria e Jesus na sua vida e amou e cuidou deles para que se cumprisse a vontade de Deus.

Personagem B: Então, José precisou dormir para o anjo aparecer e ele poder escutar a voz de Deus. Então para eu também escutar a voz de Deus preciso dormir? Aí o anjo virá falar comigo?

Personagem A: Ele está falando isso Catequista, porque na casa dele e até na minha tem muito barulho!!

Catequista: Vocês estão falando da questão do vídeo game, o celular e a TV, não é?

Personagens A e B: Isso mesmo!!

Catequista: Vocês têm razão! Nós podemos utilizar tudo isso com moderação, sem deixar de cumprir nossas tarefas! Assim conseguiremos tempo para acalmar nosso coração e ouvir a Deus. Tem uma receita maravilhosa para escutarmos Deus!

Personagens A e B: Qual?

Catequista: É a oração. Todas as vezes paramos tudo para rezar, Deus encontra o momento ideal para falar conosco! E Ele quer falar! Quer dizer que nos ama muito e que tem planos maravilhosos para a nossa vida!!

Personagem A: Nossa que legal!! Eu quero escutar a Deus sempre!!

Personagem B: Eu também!!

Catequista: Muito importante escutar a Deus sim!! Mas mais ainda é obedecer e fazer a vontade Dele. Como José que escutou e aceitou ser o pai de Jesus!
O que acham de pedimos agora ajuda do nosso amigão, o Espirito Santo?

Personagens: Vem Espírito Santo!

Catequista: Repitam comigo: Espírito Santo, acalma meu coração, me ajude a fechar os meus olhos e abrir os meus ouvidos para escutar a voz do Senhor. Quero também te pedir força e coragem para ser obediente e fazer a vontade de Deus. Amém

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Este é um rico Evangelho! Uma ótima oportunidade de motivarmos às crianças a deixarem seus ouvidos bem abertos a voz do Senhor!
Como vivemos em um mundo de muita agitação, onde tem tantas e tantas coisas que nos afastam da voz do Senhor, precisamos ensinar às crianças como escutar a voz do Senhor!

Para isso, tem uma dinâmica muito legal! Se for um grupo pequeno, pode passar todas as crianças pela vivência!

Dinâmica: Quem estamos escutando?

Organização: Dividir as crianças

GRUPO DA VOZ DE DEUS

GRUPO DA VOZ DO MUNDO













UMA CRIANÇA
SERÁ JOSÉ
O JOSÉ SERÁ
VENDADO
Material:
Imagem de Jesus
Um coração grande de EVA vermelho

Objetivo da Dinâmica:
A Criança que será José deve levar o coração vermelho até Jesus.

Como viver a dinâmica:
O grupo que será voz de Deus para José deverá dizer como José deve chegar à Jesus. Por exemplo: vai para esquerda, siga em frente...
Já o grupo que será a voz do mundo deve atrapalhar José. Por exemplo dando indicações erradas. Se é para ir direita o grupo pode falar esquerda....

A Dinâmica termina quando José conseguir levar seu coração até a imagem de Jesus!

Reflexão:
Foi fácil levar o coração à Jesus?
O que atrapalhou?
O que as vozes do mundo representam para nós? Televisão, videogame, celular, preguiça, desobediência.
As crianças poderão perceber o quanto é difícil ouvir a voz de Deus em meio a tanto barulho que o mundo faz e que mesmo com tanto barulho e confusão, Deus continua nós chamando para seu lado, continua chamando a todos nós para ouvir, servir e amá-lo de todo o coração.

Assim como José, precisamos estar com os olhos fechados as coisas que nos atrapalham e com os ouvidos bem abertos para escutar a voz do Senhor. Dessa forma podemos chegar a Deus em meio a tanta bagunça, porém é muito mais difícil, pois o pecado sempre tentará nós atrapalhar, fazendo bastante barulho para nos atrapalhar a ouvir a Deus.
Mas para isso precisamos nos acalmar e prestar a atenção naquilo que Deus quer nós falar e o que espera de todos nós.

Oração

Senhor Deus, pedimos ao senhor que nos ajude a acalmar nosso coração, que possamos fechar nossos olhos e ouvidos para as vozes do mundo e conseguirmos prestar a atenção nas suas orientações e que estejamos sempre atentos a tua voz.


Amém


Nenhum comentário:

Postar um comentário