Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Evangelho de Marcos, 1,1-8

Missa de 10 de Dezembro de 2017

2o DOMNGO DO ADVENTO
"PREPARAI O CAMINHO DO SENHOR"

Leituras
Primeira Leitura Is 40,1-5.9-11
Salmo 84/85
Segunda Leitura   2Pd 3,8-14
Evangelho Mc 1,1-8

Mensagem Principal
Amados irmãos e irmãs, estamos vivendo o tempo do Advento, tempo de renovarmos o nosso coração na esperança da vinda do Salvador. E na liturgia da Palavra de hoje encontramos João Batista, um homem enviado por Deus para preparar os caminhos do Senhor e nos ensinar com muita simplicidade a importância da conversão diária em nossa caminhada. Que, inspirados em seu exemplo, também possamos com nosso testemunho preparar os caminhos do Cristo que vem. Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do segundo domingo de Advento constitui um veemente apelo ao reencontro do homem com Deus, à conversão. Por sua parte, Deus está sempre disposto a oferecer ao homem um mundo novo de liberdade, de justiça e de paz; mas esse mundo só se tornará uma realidade quando o homem aceitar reformar o seu coração, abrindo-o aos valores de Deus.
Na primeira leitura, um profeta anónimo da época do Exílio garante aos exilados a fidelidade de Jahwéh e a sua vontade de conduzir o Povo – através de um caminho fácil e direito – em direcção à terra da liberdade e da paz. Ao Povo, por sua vez, é pedido que dispa os seus hábitos de comodismo, de egoísmo e de auto-suficiência e aceite, outra vez, confrontar-se com os desafios de Deus.
No Evangelho, João Baptista convida os seus contemporâneos (e, claro, os homens de todas as épocas) a acolher o Messias libertador. A missão do Messias – diz João – será oferecer a todos os homens esse Espírito de Deus que gera vida nova e permite ao homem viver numa dinâmica de amor e de liberdade. No entanto, só poderá estar aberto à proposta do Messias quem tiver percorrido um autêntico caminho de conversão, de transformação, de mudança de vida e de mentalidade.A segunda leitura aponta para a parusia, a segunda vinda de Jesus. Convida-nos à vigilância – isto é, a vivermos dia a dia de acordo com os ensinamentos de Jesus, empenhando-nos na transformação do mundo e na construção do Reino. Se os crentes pautarem a sua vida por esta dinâmica de contínua conversão, encontrarão no final da sua caminhada terrena “os novos céus e a nova terra onde habita a justiça”. Fonte: Portal dehonianos.org


Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Ah eu gosto tanto quando vai chegando o Natal e a gente escuta na missa, na Catequese a historia de João Batista!

Personagem B: Ah eu não vejo nada de muito interessante na historia dele!

Personagem A: Não? como não? Ele quem preaparou o caminho para a vinda de Jesus!

Personagem B: Acho que João não aproveitou bem o momento, sabe? Ele recebeu uma missão tão importante e continuou todo maltrapilho, vestido roupa de pele de ovelhinhas, comendo gafanhoto no deserto... Não se preparou bem para a ocasião!

Personagem A: Eu não estou entendendo onde você quer chegar, PB!

Personagem B: Eu vou me explicar, veja bem, João Batista sabia que Jesus era muito, muito importante, certo? Sabia que ele era o filho de Deus e viria para salvar o mundo todo, não sabia?

Personagem A: Sim, sabia.

Personagem B: Pois então, deveria ter se preparado melhor!

Personagem A: Mas ele se preparou bem e anunciou muito bem a vinda de Jesus, muitos passaram a acreditar em Jesus depois que conheceram João e o ouviram falar Dele, do quão importante ele era e de como havia mudado sua vida!

Personagem B: Mas amigo, preste atenção, se eu recebesse esta missão de anunciar Jesus eu me vestiria melhor, colocaria a minha melhor roupa, convidaria as pessoas para comer um lanche bem delioso lá em casa e ai contaria: Jesus vai voltar... acho mais fácil as pessoas acreditarem que sou amigão dele se virem o quão legal ele já foi comigo. Tenho tudo! Sou muito feliz!

Personagem A: João também era muito feliz!

Personagem B: Imagina, ele era primo de Jesus... eu tenho um primo muito rico e que joga muito bem futebol e que tem o melhor video game, eu faço tudo para agradar ele e mostrar para todo mundo que ele é meu amigão... João, perdeu tempo... podia ter aproveitado mais... imagina: Ficar comendo gafanhotos! Ecaa!

Personagem A: Olha PB, você está enganado. Não é isso que Jesus quer de nós! e João Batista fez muito, muito bem seu papel...

Personagem B: Amigo do céu, eu não to falando mal do João não... não é isso... é só minha humilde opinião! Jesus deve ser muito agradecido por ele né, afinal deu tudo certo né... eu acho... num lembro bem...é, acho que deu! Não fique bravo comigo!

Personagem A: PB, não estou bravo não... mas acho que você perde muitas coisas, da muita importancia a coisas que não nos deixam perto de Jesus ou até que nos afastam Dele.

Personagem B: Nossa, mas o que eu fiz... você gosta mesmo de João Batista né... não sabia, é seu santo preferido?

Personagem A: É um deles, um dos que mais gosto e tento imitar...

Personagem B: Pelo amor de Deus, não coma gafanhotos! Isso não pode ser bom pra saúde!

Personagem A:  Não preciso comer gafonhoto não! Jesus quer muito mais de mim e de você!

Personagem B: De mim também?

Personagem A: Claro, de todos nós... Ele precisa que a gente dê importancia para o que realmente é importante e prepare o nosso coração para a volta Dele!

Personagem B: E como fazemos isso?

Personagem A: Se a gente continuar confundindo que dinheiro, roupas, casa bonita e muitos brinquedos trazem a felicidade não vamos conseguir ajudar Jesus!

Personagem B: Mas eu gosto tanto de tudo isso! Não sei se consigo ficar sem, não!

Personagem A: Precisamos nos esforçar PB, a vida de Jesus foi uma vida boa de sombra e água fresca?

Personagem B: Não, não ele sofreu muito para nos salvar!

Personagem A: Então, mas nós muitas vezes queremos somente esperar a volta dele e imaginar o céu aqui na Terra, viver só as alegrias sem esforço nenhum... e vivemos só na vida boa... é um sacrificio ir na catequese e deixar as brincadeiras ou a cama quentinha, não queremos doar nossas roupas nem brinquedos, nem os que não nos servem mais!

Personagem B: É verdade, estou envergonhado!

Personagem A: Você ainda acha que João Batista não preparou bem o caminho e não estava fazendo do jeito certo?

Personagem B: Não, não acho mais... ele fez a coisa certa! Se dedicou de verdade para a missão que Deus lhe confiou, anunciar Jesus! Preparar o Caminho dele!

Personagem A: Isso ai, amigo... e esta também é a nossa missão! Deixar de lado tudo que nos atrapalha a viver a vida bem pertinho do coração de Jesus e anunciar que logo, logo ele virá... não sabemos o dia e nem a hora... mas temos que estar atentos e fazendo coisas que agrade o coração Dele!

Personagem B: Verdade, amigo! Só Jesus vai nos trazer a verdadeira felicidade, nada mais no mundo é tão importante! Eu quero MUITO que o meu coração esteja preparado!
Vou fazer de tudo para isso!

Personagem A: Ótimo, amigo...e vamos nos ajudar! Eu te ajudo e você me ajuda! Isso é preparar o coração, cuidando do coração do irmão também!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Vamos desenhar um grande coração, ele será o nosso coração, nele vamos instigar as crianças a escrever tudo que gostam, gostam de fazer, gostam de brincar, gostam de comer, pessoas que gostam, programas da TV, brinquedos preferidos, deixar bem livre e instigar que participem.

Depois, vamos refletir onde cabe Jesus neste coração?

Será que este montão de coisas nos ajudam a ficar mais pertinho do coração de Jesus?

Será que muitas vezes não deixamos Jesus de lado para "curtir" estas coisas?

Será que alguma coisa que tem ai me atrapalha na minha missão de preparar o caminho de Jesus, da sua volta e trazer mais amigos para conhece-lo?

Será? Será? Será?



Oração

Senhor, que o meu coração se sinta cada dia mais e mais preparado para receber o Senhor e que eu possa espalhar este amor tão grande a todos os meus irmãos para que também esperem sua vinda de coração cheio de esperança e amor! Amém.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Evangelho de Marcos 13, 33-37

Missa de 03 de Dezembro de 2017

Resultado de imagem para atividade Evangelho de Marcos 13,33-371º DOMINGO DO ADVENTO

Leituras
Primeira Leitura Is 63,16b-17.19b;64,2b-7
Salmo 79 / 80
Segunda Leitura 1Cor 1,3-9
Evangelho Mc 13,33-37

Mensagem Principal

Iniciando o tempo sagrado do Advento que marca o início de um novo Ano Litúrgico, seremos convidados pelo Senhor a entrar no mistério da promessa de sua segunda vinda. Ele que veio a primeira vez em Belém, virá uma segunda vez e espera nos encontrar vigilantes e atentos no cumprimento de sua vontade e dos seus mandamentos. Iniciemos esta Eucaristia enchendo nosso coração de santa esperança no Senhor.
Folheto Povo de Deus

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

O nosso texto está integrado na terceira parte do discurso escatológico. Refere-se diretamente ao final dos tempos e à atitude que os discípulos devem ter face a esse encontro último e definitivo com Jesus. O seu objetivo não é transmitir informação objetiva acerca do “como” e do “quando”, mas formar os discípulos e torná-los capazes de enfrentar a história com determinação e esperança.
O Evangelho deste domingo começa com uma parábola – a parábola do homem que partiu em viagem, distribuiu tarefas aos seus servos e mandou ao porteiro que vigiasse (cf. Mc 13,33-34) – e termina com uma admoestação aos discípulos acerca da atitude correta para esperar o Senhor (cf. Mc 13,35-37). Primitivamente, a parábola contada por Jesus seria dirigida aos discípulos e teria como objetivo recordar-lhes o dever de guardar e fazer frutificar os tesouros desse Reino que Jesus lhes confiou antes de partir para o Pai.
O “dono da casa” da parábola é, evidentemente, Jesus. Ao deixar este mundo para voltar para junto do Pai, Ele confiou aos discípulos a tarefa de construir o “Reino” e de tornar realidade um mundo construído de acordo com os valores do Reino. Os discípulos de Jesus não podem, portanto, cruzar os braços, à espera que o Senhor venha; eles têm uma missão – uma missão que lhes foi confiada pelo próprio Jesus e que eles devem concretizar, mesmo em condições adversas. É necessário não esquecer isto: esta espera, vivida no tempo da história, não é uma espera passiva, de quem se limita a deixar passar o tempo até que chegue um final anunciado; mas é uma espera ativa, que implica um compromisso efetivo com a construção de um mundo mais humano, mais fraterno, mais justo, mais evangélico.
Quem é o “porteiro”, com uma tarefa especial de vigilância (vers. 34)? Na perspectiva de Marcos, o “porteiro” parece ser todo aquele que tem uma responsabilidade especial na comunidade cristã… A sua missão é impedir que a comunidade seja invadida por valores estranhos ao Evangelho e à dinâmica do Reino. A figura do “porteiro” adequa-se, especialmente, aos responsáveis da comunidade cristã, a quem foi confiada a missão da vigilância e da animação da comunidade. Eles devem ajudar a comunidade a discernir permanentemente, diante dos valores do mundo, aquilo que a comunidade pode ou não aceitar para viver na fidelidade ativa a Jesus e às suas propostas.
Todos – “porteiro” e demais servos do “senhor” – devem estar ativos e vigilantes. A palavra-chave do Evangelho deste dia é esta: “vigilância”. Contudo, “vigilância” não significará, para os discípulos, o viver à margem da história, num angelismo alienante, evitando comprometer-se para não se sujar com as realidades do mundo e procurando manter a “alminha” pura e sem mancha para que o Senhor, quando chegar, os encontre sem pecados graves; mas será o viver dia a dia comprometido com a construção do Reino, realizando fielmente as tarefas que o Senhor lhes confiou. Essas tarefas passam pelo compromisso efetivo com a construção de um mundo novo, um mundo que viva cada vez mais de acordo com os projetos de Deus.
O nosso texto assegura aos discípulos, em caminhada pelo mundo, que o objetivo final da história humana é o encontro definitivo e libertador com Jesus. “O Senhor vem” – garante-lhes o próprio Jesus; e esta certeza deve animar e dar esperança aos discípulos, sobretudo nos momentos de crise e de confusão. Mesmo que tudo pareça ruir à sua volta, os discípulos são chamados a não perder a esperança e a ver, para além das estruturas velhas que vão caindo, a realidade do mundo novo a nascer.
Que devem os discípulos fazer, enquanto esperam que irrompa definitivamente esse mundo novo prometido? Devem, com coragem e perseverança, dar o seu contributo para a edificação do “Reino”, sendo testemunhas e arautos da paz, da justiça, do amor, do perdão, da fraternidade, cumprindo dessa forma a missão que Jesus lhes confiou.

Ideia de roteiro para teatro

(Personagem A entra segurando uma grande casa nas mãos. Encontra o Personagem B com uma mochila, lanterna e fita crepe nos olhos puxando a pálpebra para não fechar)

PA: Oi todo mundo!! Oi PB!! Meu Deus o que é isso?? (Começa a dar risada)

PB: Oi gente!!! Pode rir a vontade!!! Vamos ver quem vai se dar melhor no final?!

PA: Como assim???

PB: Olha, hoje estou super feliz!! Fui a missa com os meus pais e prestei atenção direitinho. Então fui correndo em casa me preparar para nunca mais dormir!!

PA: Agora estou entendendo....

PB: Peguei tudo o que vou precisar!!! Peguei alimentos, lanterna e para não dormir a fita crepe!! Só espero que ele chegue logo!!!

PA: Quem?

PB: O dono da casa!!

PA: Nossa mas que confusão!! Olha você complicou tudo!!! Também fui a missa com os meus pais e também prestei atenção no evangelho!!! Fiz essa casa aqui para ficar vigiando como um porteiro!

PB: Nossa, claro que não!! Essa casa sua não é de verdade!!!

PA: Mas é uma casa! Pior você que está vigiando não sei o que? No Evangelho fala claramente que devemos vigiar a casa como o porteiro!

PB: Nossa não pensei na casa e sim em vigiar!! Mas podemos fazer o seguinte: você divide a casa comigo e eu todas as coisas que eu tenho! Assim quando o dono chegar, vai nos pegar em alerta!

PA: Ótima ideia!!! Agora quem será esse dono hein? E onde será a casa verdadeira?

PB: Ótimas perguntas!! Olha a nossa Catequista chegando! Vamos perguntar para ela?

PA: Vamos sim!! Catequista...

C: Olá crianças!!! Mas o que está acontecendo??

PA: Então, nós estamos obedecendo o Evangelho e temos umas perguntas!!

PB: Queremos saber quem é o dono e onde está a casa para podermos vigiar?

C: Ah!!!! Agora estou entendendo!!

PA: Pois então!! Fiz essa casa aqui de dobradura para vigiar!!

PB: E eu trouxe muitas coisas, inclusive colocamos fita crepe para não dormir e ficar vigiando igual ao porteiro!! Mas fica mais fácil saber onde está a casa verdadeira!!

C: Crianças lindas do meu coração!!!! Que confusão vocês estão fazendo!! Mas olhem, fiquei feliz em perceber que vocês estão preocupados de obedecer aos ensinamentos do Senhor! Por isso prestem bastante atenção que vou explicar tudo!!

PB: Que ótimo!! Vou anotar tudo!

C: Bom, Jesus contou a parábola do  homem que partiu em viagem, distribuiu tarefas aos seus servos e mandou ao porteiro que vigiasse. O "dono da casa" da parábola é o próprio Jesus!

PA: O Próprio Jesus???

C: Isso mesmo!! A Casa que Ele fala é o Reino de Deus! Os empregados são os discípulos de Jesus. Ou seja, todos os cristãos chamados a construir o Reino de Deus!!

PA: Cada um de nós???

C: Isso mesmo! Os discípulos de Jesus não podem, cruzar os braços à espera que o Senhor venha. Eles precisam colocar a mão na massa e trabalhar para quando Jesus voltar encontre o Reino de Deus construído!! Por isso ele pede ao porteiro que vigie os empregados!

PB: E o porteiro? Quem é?

C: São as pessoas que recebem de Deus a missão de Evangelizar, de Ensinar os Ensinamentos do Senhor!

PA: Como o Padre?

PB: A Sra, nossa Catequista?

C: Isso mesmo!!! São pessoas que recebem a missão de ensinar, animar, motivar a todos a cumprirem o chamado do Senhor de construir o Reino de Deus! O que precisamos entender é que estamos esperando a volta de Jesus! Mas essa espera não pode ser de braços cruzados! Precisamos esperar trabalhando para construir o Reino de Deus, ou seja, a construção de um mundo mais humano, mais fraterno, mais justo, mais evangélico, um mundo melhor!

PA: Que responsabilidade a sua e a nossa?

C: É mesmo! O mais importante que precisamos fazer é estar VIGILANTES! Ou seja, é vigiar para que as nossas atitudes, nossas escolhas e nosso modo de viver esteja construindo o Reino, o mundo melhor!!

PB: Deixa eu ver se entendi: Jesus está preocupado em voltar e encontrar o Reino de Deus construído. Por isso que Ele vem falando sobre vigiar o tempo todo?

C: Exatamente isso!! Por isso é que precisamos cuidar e vigiar para que as nossas atitudes estejam construindo o Reino e não destruindo!!

PA: C, quais atitudes constroem e quais atitudes destroem o Reino?

C: Muito boa pergunta. As atitudes que constroem o Reino são as atitudes do amor, da obediência, da caridade em ajudar o próximo, da oração, ou seja todas as atitudes que obedeçam os ensinamentos do Senhor. As atitudes que destroem o Reino são opostas aos ensinamentos, como o ódio, a desobediência, o egoísmo e tantas outras...

PB: Nossa, por isso precisamos prestar atenção nas atitudes que estamos escolhendo viver não é C?

C: Isso mesmo!! Podemos pedir ajuda ao nosso amigão, o Espirito Santo! Ele está no nosso coração e nos ajudará a vigiar para que as nossas atitudes construam o Reino do Senhor! Então vamos colocar as mãos no nosso coração, fechar os olhos e repetir assim comigo: Espirito Santo, neste dia, quero pedir a sua ajuda, para que eu possa estar sempre vigiando e escolhendo as atitudes que construam o Reino. Assim, quando Jesus voltar, vai encontrar o Reino de Deus ao nosso redor lindo e forte! Amém

Sugestão de Música

Se nos preocuparmos em ser bom como Jesus é bom, estaremos construindo um lindo Reino de Deus!


Ideia para trabalhar esse Evangelho

Após a explicação do Evangelho, é preciso fazer uma reflexão com as crianças!!
Passo a passo
 http://euamoartesanar.blogspot.com.br/2015/04/caixa-de-ferramenta.html
Então podemos sentar em círculo e apresentar para as crianças a caixa de ferramentas da construção do Reino de Deus!

Esse é um modelo muito legal de fazer de sucata uma caixa de ferramentas!!

A reflexão começa dessa forma: Se Jesus nos ensina a ser vigilantes para que tenhamos boas atitudes,o que precisamos ter de ferramentas para construirmos o Reino de Deus??




Trazer algumas ferramentas de crianças para fazer a seguinte reflexão:
- TESOURA: Para que serve a Tesoura?  Quais atitudes nossas que precisamos cortar da nossa vida?
- ÓCULOS DE CORAÇÃO: Para que serve o óculos? Como podemos ver o mundo melhor? Por exemplo, podemos ver com os olhos de Jesus, olhos com amor...
- PINCEL: Para que serve o pincel? Como podemos pintar o mundo melhor? Por exemplo, podemos pintar o mundo com o amor de Deus...
- TRENA: Para que serve para a trena? O que podemos medir  nas nossas atitudes? Por exemplo o tamanho da minha disposição em ajudar o meu próximo...
- BALDE: Para que serve o balde? O que podemos encher para ter mais foça de construir o reino? Por exemplo, da Água do Espirito Santo
- PREGOS: Para que serve os pregos? O que os pregos podem unir? Existem vários tipos de pregos. Então podemos pensar em pregos do amor, do perdão, da oração...
- PARAFUSADEIRA: Para que serve a parafusadeira? Como podemos usar esta parafusadeira especial?? Por exemplo: unir com o prego do perdão duas pessoas que brigaram...
- Quais mais ferramentas podemos usar para a construção do Reino de Deus?

Pode ser feito uma caixa de ferramentas para as crianças pintarem as ferramentas, escreverem para que serve e colocarem na caixa!

Essa caixa pode ser a lembrancinha do encontro!



























                                                     Ou pode ser colocado assim:














Oração

Querido Jesus,
Obrigado(a) pelo ensinamento de hoje!
Quero estar sempre vigiando para que as minhas atitudes sejam atitudes que construam o Reino do Senhor.
Que o Espirito Santo me ajuda a construir o Reino mostrando o caminho e as ferramentas para serem usadas.

Amém

domingo, 12 de novembro de 2017

Evangelho de Mateus 25,31-46

Missa de 26 de Novembro de 2017

34º DOMINGO DO TEMPO COMUM 
SOLENIDADE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO 
INÍCIO DO ANO DO LAICATO

Leituras
Primeira Leitura Ez 34,11-12.15-17
Salmo 22/23
Segunda Leitura 1Cor 15,20-26.28
Evangelho Mt 25,31-46

Mensagem Principal
Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus, como é bom estarmos juntos mais uma vez para alimentar nossa vida pela escuta da Palavra e pela presença real de Jesus na Eucaristia. Pelo batismo somos chamados a ser sal da terra e luz do mundo. Fazemos parte do grande redil do Bom Pastor, que espera de nós uma Igreja em saída, que alcance novos campos, para ali anunciar a Boa-Nova. Que este ano dedicado aos leigos possa renovar em nós um espírito missionário. Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

No 34º Domingo do Tempo Comum, celebramos a Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. As leituras deste domingo falam-nos do Reino de Deus (esse Reino de que Jesus é rei). Apresentam-no como uma realidade que Jesus semeou, que os discípulos são chamados a edificar na história (através do amor) e que terá o seu tempo definitivo no mundo que há-de vir.A primeira leitura utiliza a imagem do Bom Pastor para apresentar Deus e para definir a sua relação com os homens. A imagem sublinha, por um lado, a autoridade de Deus e o seu papel na condução do seu Povo pelos caminhos da história; e sublinha, por outro lado, a preocupação, o carinho, o cuidado, o amor de Deus pelo seu Povo.O Evangelho apresenta-nos, num quadro dramático, o “rei” Jesus a interpelar os seus discípulo acerca do amor que partilharam com os irmãos, sobretudo com os pobres, os débeis, os desprotegidos. A questão é esta: o egoísmo, o fechamento em si próprio, a indiferença para com o irmão que sofre, não têm lugar no Reino de Deus. Quem insistir em conduzir a sua vida por esses critérios ficará à margem do Reino.Na segunda leitura, Paulo lembra aos cristãos que o fim último da caminhada do crente é a participação nesse “Reino de Deus” de vida plena, para o qual Cristo nos conduz. Nesse Reino definitivo, Deus manifestar-Se-á em tudo e actuará como Senhor de todas as coisas (vers. 28) . Fonte: http://www.dehonianos.org



Ideia de roteiro para teatro

PA: Vamos brincar de castelo? Quem você vai ser? Eu quero ser o rei (rainha)! Quero muita riqueza  e um monte de coisas bem chique.

PB: Eu não quero riqueza não!

PA: Ué! Por que? Ser rei é muito bom! Você não ouviu falar na missa que Jesus também era rei?

PB: Sim, mas Jesus era um rei diferente! Ele se preocupava com as suas ovelhas e não com as riquezas.

PA: Mas precisa de riqueza sim. Se ele tivesse riqueza ele poderia contratar detetive para procurar a ovelha perdida, levar as machucadas no veterinário, contratar alguém para cuidar de todas as ovelhas e assim ele poderia descansar.

PB: Aí PA! Lá vem você fazendo confusão com as leituras denovo!

PA: Não é confusão não! Sem a riqueza ele teve que ficar com fome, sede, sem roupa para vestir e agora me responda esta: quem iria cuidar das ovelhas enquanto ele estava preso?

PB (já sem paciência): Ai meu Deus!

Catequista: Olá crianças! o que foi PB? Está com cara brava!

PB: Ai Catequista! PA está falando um monte de besteiras.

PA: Só falei que Jesus sendo rei, deveria querer riquezas para pagar um monte de gente para cuidar das ovelhas e ficar bem tranquilo! e não ir preso também né!

Catequista: Ai, ai, ai! Já entendi tudo! Confusão com as leituras denovo! Hoje nas leituras quando fala das ovelhas, quer dizer que Jesus cuida de cada um de nós como o pastor cuida de suas ovelhas.

PB: Ele vai atras de cada uma né, catequista! Para ele todas são importantes né?

Catequista: É isso mesmo! Para ele todos os filhos, sem excessão, são amados. Ele quer resgatar cada ovelha perdida. E ele espera que cada um de nós o ajude a cuidar destas ovelhas com amor!

PA: Então não era ele que estava preso? ou com fome? ou sem ter o que vestir? Ele não precisava da riqueza?

Catequista: Não PA! Jesus quer nos ensinar a cuidar daqueles que mais precisam! Ele quer nossa ajuda, para atender as necessidades de cada uma das pessoas que passam por nós!

PB: E por que ele diz que Jesus vai separar as ovelhas?

Catequista: Porque Jesus quer que sejamos pessoas boas e espalhemos o seu amor. Devemos ajudar ao próximo e quando ele voltar, vai separar as pessoas que fazem o bem das outras que não fazem para existir um único Reino, onde o mais importante é o amor e não as coisas materiais.

PB: Ah entendi! É, ele diz que quando ajudamos alguém que precisa é a ele que ajudamos, porque asim todo mundo vai querer fazer o bem, né catequista? Porque imagina deixar Jesus passando necessidade!

Catequista: Isso mesmo! Imagine um reino onde todos se ajudem, onde todos se amem e cuidam um dos outros. Este reino é possível, se seguirmos os ensinamentos de Jesus e amarmos ao nosso próximo.

PA: Para Jesus vale muito mais cada um de nós suas ovelhas, do que as riquezas desta vida. Agora entendi porque ele é um rei diferente... Pensando bem este reino é muito melhor!

PB: Quero muito que o mundo seja assim, Catequista. Um lugar onde as pessoas façam o bem e espalhem o amor de Jesus. Isso deixa o coração Dele feliz!

Catequista: Isso mesmo, crianças! Quando fazemos o bem aos irmãos, estamos fazendo a vontade de Deus e espalhando o seu amor. Vamos orar para que Deus nos ajude a perseverar enquanto esperamos que o Reino de Jesus venha até nós?

PA e PB: Vamos!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Faça algumas ovelhas de papel e em cada uma delas escreva ações boas ou ruins. Por exemplo:

❤ Ajudar ao próximo
❤ Dar de comer a quem tem fome
❤ Obedecer papai e mamãe

⇓ Não emprestar os brinquedos
⇓ Ter preguiça de ir a missa
⇓  Contar mentiras

Deixe cada ovelhinha virada para baixo. Separe 2 caixas para separar as ovelhas com boas e más ações. Cada crianças pega uma ovelha, lê e decide em que caixa vai colocar.

Ao final refletir sobre as boas ações que podemos fazer no nosso dia a dia!

Oração

Senhor Jesus, vem nos ensinar a esperar pelo seu Reino fazendo o bem a todos os irmãos. Queremos amar o próximo e fazer o bem para ficar pertinho do Senhor. Que todas as ovelhas que eu esteja como a ovelha perdida o Senhor me encontre e me cure. Amém.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Evangelho Mateus 25,14-30

Missa de 19 de Novembro de 2017

33º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Leituras

Primeira Leitura Pr 31,10-13.19-20.30-31
Salmo Sl 127,1-2.3.4-5 (R. 1a)
Segunda Leitura 1Ts 5,1-6
Evangelho Mateus 25,14-30 

http://www.educris.com

Mensagem Principal

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A “parábola dos talentos” conta que um “senhor” partiu em viagem e deixou a sua fortuna nas mãos dos seus servos. A um, deixou cinco talentos, a outro dois e a outro um. Quando voltou, chamou os servos e pediu-lhes contas da sua gestão. Os dois primeiros tinham duplicado a soma recebida; mas o terceiro tinha escondido cuidadosamente o talento que lhe fora confiado, pois conhecia a exigência do “senhor” e tinha medo. Os dois primeiros servos foram louvados pelo “senhor”, ao passo que o terceiro foi severamente criticado e condenado.
Provavelmente a parábola, tal como saiu da boca de Jesus, era uma “parábola do Reino”. O amo exigente seria Deus, que reclama para Si uma lealdade a toda a prova e que não aceita meias tintas e situações de acomodação e de preguiça. Os servos a quem Ele confia os valores do Reino devem acolher os seus dons e pô-los a render, a fim de que o Reino seja uma realidade. No Reino, ou se está completamente comprometido, ou não se está.
Depois, Mateus pegou na mesma parábola e situou-a num outro contexto: o da vinda do Senhor Jesus, no final dos tempos… A vinda do Senhor é uma certeza; e, quando Ele voltar, julgará os homens conforme o comportamento que tiverem assumido na sua ausência.
Nesta versão da parábola, o “senhor” é Jesus que, antes de deixar este mundo, entregou bens consideráveis aos seus “servos” (os discípulos). Os “bens” são os dons que Deus, através de Jesus, ofereceu aos homens – a Palavra de Deus, os valores do Evangelho, o amor que se faz serviço aos irmãos e que se dá até à morte, a partilha e o serviço, a misericórdia e a fraternidade, os carismas e ministérios que ajudam a construir a comunidade do Reino… Os discípulos de Jesus são os depositários desses “bens”. A questão é, portanto, esta: como devem ser utilizados estes “bens”? Eles devem dar frutos, ou devem ser conservados cuidadosamente enterrados? Os discípulos de Jesus podem – por medo, por comodismo, por desinteresse – deixar que esses “bens” fiquem infrutíferos?
Na perspectiva da nossa parábola, os “bens” que Jesus deixou aos seus discípulos têm de dar frutos. A parábola apresenta como modelos os dois servos que mexeram com os “bens”, que demonstraram interesse, que se preocuparam em não deixar parados os dons do “senhor”, que fizeram investimentos, que não se acomodaram nem se deixaram paralisar pela preguiça, pela rotina, ou pelo medo.
Por outro lado, a parábola condena veementemente o servo que entregou intactos os bens que recebeu. Ele teve medo e, por isso, não correu riscos; mas não só não tirou desses bens qualquer fruto, co
mo também impediu que os bens do “senhor” fossem criadores de vida nova.
Através desta parábola, Mateus exorta a sua comunidade no sentido de estar alerta e vigilante, sem se deixar vencer pelo comodismo e pela rotina. Esquecer os compromissos assumidos com Jesus e com o Reino, demitir-se das suas responsabilidades, deixar na gaveta os dons de Deus, aceitar passivamente que o mundo se construa de acordo com valores que não são os de Jesus, instalar-se na passividade e no comodismo, é privar os irmãos, a Igreja e o mundo dos frutos a que têm direito.
O discípulo de Jesus não pode esperar o Senhor de mãos erguidas e de olhos postos no céu, alheado dos problemas do mundo e preocupado em não se contaminar com as questões do mundo… O discípulo de Jesus espera o Senhor profundamente envolvido e empenhado no mundo, ocupado em distribuir a todos os homens seus irmãos os “bens” de Deus e em construir o Reino.

Ideia de roteiro para teatro

(PA entra todo preocupado)

PB: Oi PA tudo bem com você?

PA: Estou bem sim, só um pouco preocupado

PB: Preocupado com o que?

PA: Fui á missa logo cedo e o evangelho de hoje Jesus conta aos seus discípulos a parábola dos talentos.

PB: A parábola dos talentos? Nossa essa eu não conheço 

PA: Pois é também não conhecia 

PB: Mas PA porque está preocupado? Já sei! Você não entendeu de novo o evangelho. 

(Catequista entra) 

C: Oi crianças, tudo bem com vocês? 

(PA responde todo triste) 

PA: Oi catequista, tudo bem! 

C: Nossa PA que cara é essa? 

PB: Ah catequista ele é assim todo exagerado, está aqui todo preocupado porque não entendeu nada do evangelho de hoje 

PA: Pois é C, dessa vez é isso mesmo! Não entendi nada do evangelho de hoje, essa parábola me deixou confuso 

C: Nossa PA, as parábolas são pequenas histórias, contadas por Jesus para nos ajudar a entender melhor suas mensagens e não para nos deixar confusos. 

PA: Eu sei disso C, mas mesmo assim não entendi nada. 

PB: Ai PA para de fazer tanto drama, pra que ficar tão preocupado só porque não entendeu o evangelho 

PA: Ah PB não é drama não ta! Pra mim é muito importante entender e eu gosto de saber dos ensinamentos de Jesus. 

C: Calma, calma crianças! Vou ajudar vocês entenderem o que Jesus quer nos dizer no evangelho de hoje. Mas antes preciso dar os parabéns para você PA, é muito lindo o seu interesse em procurar entender os ensinamentos de Jesus, tenho certeza que Deus fica muito feliz com você. 

PA: Obrigada Catequista! 

C: Crianças é o seguinte, no evangelho de hoje Jesus fala mais uma parábola para seus discípulos, a parábola dos talentos. Jesus conta que um “senhor” partiu em viagem e deixou a sua fortuna nas mãos dos seus servos. A um, deixou cinco talentos, a outro dois e a outro um. Quando voltou, chamou os servos e pediu-lhes conta. Os dois primeiros tinham duplicado a soma recebida; mas o terceiro tinha escondido o talento que recebeu de seu senhor. 

PA: Catequista, não entendi o que Jesus quer nos dizer com essa parábola. 

C: Para ficar mais fácil de entender vou explicar para vocês assim, o patrão è como a figura de Deus e os talentos são como a figura do amor de Deus por nós, e que esse amor precisa ser multiplicado para todos os nossos irmãos 

PB: Então é como se o patrão fosse Deus e os talentos fosse o amor de Deus por nós, e que precisamos passar esse amor para as outras pessoas? 

C: Isso mesmo! Deus nos da muito amor, em forma de carinho, de cuidado, de proteção e ele quer que todas as pessoas conheçam o seu amor. 

PA: Quer dizer que Deus quer a nossa ajuda para levar o seu amor para todas as pessoas? 

C: Sim! E é essa mensagem que Jesus quer nos passar quando conta essa parábola dos talentos, que precisamos estender o amor de Deus a todas as pessoas, que não podemos deixar guardado todo amor que ele nos da, que temos que distribuir seu amor para todas as pessoas que convivemos 

PA: Ah por isso que o patrão fica bravo com o empregado que não multiplica o seu talento, porque na verdade ele quer se seja multiplicado tudo aquilo que ele recebeu 

C: Isso mesmo PA, Deus nos ama e quer que todos provem do seu amor, se nós guardarmos o seu amor somente pra nós e por qualquer motivo que seja não dividirmos com ninguém, não conseguiremos multiplicá-lo. 

PB: Mas como conseguimos passar o amor de Deus para as pessoas? Com muito amor! Do mesmo jeito que Deus faz com todos nós. Temos que procurar ser crianças obedientes, ter boas atitudes, respeitar as pessoas, isso tudo nos faz mostrar para as pessoas, que somos muito amados por Deus e que temos muito amor no coração. 

PA: E assim todos irão querer o amor Deus e sua proteção. 

C: Isso mesmo PA, quem não vai querer se sentir amado e cuidado por nosso amado Deus não é? 

PA: Verdade! Eu quero sempre 

PB: Eu também! 

C: Vou usar um exemplo para vocês entenderem melhor. Um pé de laranjeira, para dar frutos precisa ser bem regado, bem exposta à luz solar, ou seja, precisa ser cultivada da maneira correta, com muito cuidado e carinho. Se uma pessoa tem um pé de laranjeira só por ter e deixa-a plantada num espaço qualquer. Não rega, não tem cuidado nenhum, com certeza não irá dar frutos. Então é assim que precisamos ser como a pessoa que cuida do pé de laranjeira, para que ela possa dar frutos. Se quisermos multiplicar o amor de Deus, precisamos também cultivar o seu amor, cuidando, buscando seguir os exemplos de Jesus, amando o próximo e respeitando a todos, que assim com certeza daremos muito frutos a Deus. Ajudando, mais e mais pessoas encontrarem o Reino de Deus 

PA: Nossa eu também quero cultivar o amor de Deus para dar bons frutos. 

PB: Eu também quero! 

C: Muito bem crianças, então agora vamos rezar e pedir a Deus que nos ajude a multiplicar seu amor para todas as pessoas? 

PA e PB: Sim! 

Sugestão de Música


Ideia para trabalhar esse Evangelho



http://caroldurand.blogspot.com.br

Oração

Senhor meu Deus, obrigado por todo seu amor por mim. Me ajude a multiplicar todo esse amor, que eu consiga dar bons frutos e que eu seja capaz de contribuir para o crescimento do teu Reino aqui na terra.

Amém.