Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

sexta-feira, 29 de março de 2019

Evangelho de João 8, 1 - 11


Missa de 06 de abril de 2019Resultado de imagem para jesus e a adultera desenho


4º DOMINGO DA QUARESMA 
“Fraternidade e políticas públicas”.
 “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27)
Leituras
Primeira Leitura Is 43,16-21
Salmo Salmo 125 (126)
Segunda Leitura Filipenses 3,8-14
Evangelho Jo 8,1-11
Fonte: Liturgia diária CNBB

Mensagem Principal


Eis que se aproxima a Páscoa! Por esta Eucaristia, unamo-nos mais profundamente a Cristo, cultivemos em nós os seus sentimentos de total confiança no Pai e total entrega amorosa aos irmãos e irmãs. Celebrando o memorial da sua morte e ressurreição, fortalecemos nossos laços de comunhão e de solidariedade que a Campanha da Fraternidade nos ajudou a compreender.

Fonte: Folheto Povo de Deus

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

A liturgia de hoje fala-nos (outra vez) de um Deus que ama e cujo amor nos desafia a ultrapassar as nossas escravidões para chegar à vida nova, à ressurreição.
A primeira leitura apresenta-nos o Deus libertador, que acompanha com solicitude e amor a caminhada do seu Povo para a liberdade. Esse “caminho” é o paradigma dessa outra libertação que Deus nos convida a fazer neste tempo de Quaresma e que nos levará à Terra Prometida onde corre a vida nova.
A segunda leitura é um desafio a libertar-nos do “lixo” que impede a descoberta do fundamental: a comunhão com Cristo, a identificação com Cristo, princípio da nossa ressurreição.
O Evangelho diz-nos que, na perspectiva de Deus, não são o castigo e a intolerância que resolvem o problema do mal e do pecado; só o amor e a misericórdia geram ativamente vida e fazem nascer o homem novo. É esta lógica – a lógica de Deus – que somos convidados a assumir na nossa relação com os irmãos.



Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB!

PB: Oi PA! Tudo bem com você?

PA: Sim PB! Mas estou aqui um pouco brava com minha irmã. Ela é muito chata, briguenta e não gosta de dividir as coisas dela comigo.

PB: Nossa PA!

PA: Eu vou falar pra todo mundo o quanto ela é chata e ela vai ficar morrendo de vergonha!

PB: PA! Você não pode fazer isso!

PA: Posso sim! Ela é minha irmã e só eu sei como é difícil toda a chatice dela.

PB: E se ela também falar a mesma coisa de você?

PA: Ah não, impossível! Sou muito mais legal do que ela. Eu divido as coisas, empresto meus brinquedos, ajudo meus amigos...

PB: Fala mal da sua irmã, esconde a tarefa da sua mãe, falta na catequese... A Catequista até me perguntou de você no último sábado. E como você faltou na missa você nem ouviu o Evangelho onde um monte de gente queria jogar pedras em uma mulher e Jesus não deixou.

PA: Nossa PB! Não precisa falar das coisas que eu faço errado não!

PB: Acho que você está fazendo com a sua irmã a mesma coisa que estavam querendo fazer com a mulher do evangelho.

PA: Nossa PB! Eu nunca ia jogar pedras em ninguém!

Catequista: Oi Crianças! Oi PA! Já faz um tempo que não te vejo hein!

PA: Ai Catequista! Sabe o que é? É que... É que... Bom...

Catequista: Você está faltando muito na catequese hein!

PB: Acabei de falar isso pro PA Catequista! E além da Catequese, PA também não foi à missa!

PA: Xiuuu! Não precisa ficar contando!

PB: Mas é verdade! Catequista você acredita que PA estava falando um monte de coisas sobre a irmã dela e acusando igual fizeram com a mulher no evangelho, aquela que Jesus não deixou o pessoal jogar pedra nela.

Catequista: Assim como você está falando de PA agora?

PB: Não, eu não... Verdade catequista! Eu também estou fazendo a mesma coisa.

Catequista: Sim PB, mas não fique chateada! As vezes fazemos isso sem nem perceber. A parte boa é que em todas as situações sempre temos algo pra aprender. Quando no evangelho Jesus ordena que quem não tem pecado comece a atirar as pedras, todas as pessoas que estavam lá desistiram.

PA: E por que Catequista?

Catequista: Porque muitas vezes nós prestamos atenção no que julgamos que o outro está fazendo errado e não olhamos nossos próprios erros, ai quando nos encontramos com Jesus, com toda sua bondade ele nos lembra que todos nós cometemos erros.

PB: Nossa catequista é verdade! Eu estava falando que a PA não podia falar da irmã dela e logo já comecei a falar dela. Estou envergonhada.

PA: Ah não tem problema PB, as vezes fazemos sem perceber.

Catequista: |Por isso crianças temos que sempre estar atentos. Temos que cuidar das pessoas que estão perto de nós e leva-las cada vez mais pra perto de Deus e de Jesus. Assim nosso coração também ficará cheio do amor de Deus e quanto mais perto de Jesus nós ficamos, mais queremos ser como ele. E quanto mais parecidos com Ele, mais amor espalhamos pelo mundo e mais pessoas trazemos para Jesus.

PB: Me desculpa PA!

PA: Tudo bem PB! Também preciso ir pra casa me desculpar com minha irmã. Até sábado pessoal, não vou mais perder a catequese, quero ficar mais perto de Jesus a cada encontro.

Catequista: Isso mesmo PA! Até mais crianças!


Sugestão de Música





Ideia para trabalhar esse Evangelho


Colocar uma caixa com alguns adjetivos ruins dentro.

Colocar em uma segunda caixa, adjetivos positivos, de afirmação.

Cada criança deverá pegar pra si própria um "rotúlo" na caixa de adjetivos ruins e sentar no centro do círculo.

As demais crianças deverão pegar bons adjetivos e colocar sobre o ruim, fazendo com que a criança no centro se sinta melhor e mais valorizada.

Demonstrar o quanto é bom sermos valorizados e não julgados.


Oração
Senhor Jesus que o Senhor sempre venha nos defender com seu amor e nos ensinar a cuidar de nossos irmãos para sempre conduzir as pessoas pra perto de Ti. Amém!

domingo, 17 de março de 2019

Evangelho de Lucas 15,1-3.11-32

Missa de 31 de Março de 2019
4º DOMINGO DA QUARESMA

"Fraternidade e Políticas Públicas"
"Serás libertado pelo direito e pela justiça" (Is 1,27)





Leituras

Primeira Leitura Js 5,9a.10-12
Salmo 33(34)
Segunda Leitura 2Cor 5,17-21
Evangelho Lc 15, 1-3,11-32

(LITURGIA DIÁRIA DA CNBB)



Mensagem Principal

Jesus nos quer participantes de seu Reino. Ele nos convida a viver em sua casa como filhos amados. Que o mistério que hoje celebramos nos leve a buscar esta experiência, pois em Cristo somos novas criaturas. (Fonte: Folheto Nova Aliança)


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!


MENSAGEM

A liturgia de hoje convida-nos à descoberta do Deus do amor, empenhado em conduzir-nos a uma vida de comunhão com Ele.
O Evangelho apresenta-nos o Deus/Pai que ama de forma gratuita, com um amor fiel e eterno, apesar das escolhas erradas e da irresponsabilidade do filho rebelde. E esse amor lá está, sempre à espera, sem condições, para acolher e abraçar o filho que decide voltar. É um amor entendido na linha da misericórdia e não na linha da justiça dos homens.
A segunda leitura convida-nos a acolher a oferta de amor que Deus nos faz através de Jesus. Só reconciliados com Deus e com os irmãos podemos ser criaturas novas, em quem se manifesta o homem Novo.
A primeira leitura, a propósito da circuncisão dos israelitas, convida-nos à conversão, princípio de vida nova na terra da felicidade, da liberdade e da paz. Essa vida nova do homem renovado é um dom do Deus que nos ama e que nos convoca para a felicidade. (Fonte: DEHONIANOS.ORG)



Ideia de roteiro para teatro


Catequista: Olá crianças!

Personagem A: Olá catequista! O que vamos fazer hoje?

Personagem B: No nossa último encontro a senhora disse que faríamos algo especial!

Catequista: É verdade! Bem lembrado!

PA: E o que é? 

PB: Será uma festa?

Catequista: Não, não é isso não!! Nós vamos fazer um teatro para aprendermos sobre a história contada no Evangelho de hoje. Alguém sabe qual é?

PA: Eu sei!! Hoje escutamos a história do filho prodígio!

PB: Filho prodígio?

Catequista: Quase isso... é a história do Filho Pró-di-go!

PA: Ah... pensei que era prodígio!! Mas Catequista o que significa filho pródigo?

Catequista: Filho pródigo significa um filho que volta para a família após um longo tempo afastado e que escolheu viver de forma errada, gasta tudo o que tem e vive longe do amor de Deus!

PA: Entendi!!

Catequista: Bom, então vamos sortear os personagens. Precisamos do p
ai, do filho mais velho e do filho pródigo! Cada um vai pegar um personagem!

Catequista: Todos pegaram os personagens? Então vou contar a história rapidinho para vocês entenderem: Havia um homem que tinha 2 filhos. O filho mais novo pediu ao pai a parte dele da herança que ele queria ir embora.

P B: Herança? O que é isso?

Catequista: Nessa história, o pai tem muitos bens. Ele tem uma fazenda, tem dinheiro... Então é normal que o pai divida com os filhos tudo o que tem. Normalmente recebemos a herança, que é essa partilha, depois que o pai morre. Mas esse filho pediu essa herança com o pai ainda vivo.

PB: Agora estou entendendo.

PA: Uma vez escutei uma coisa: Deus Pai é Pai de Jesus e Jesus é o nosso irmão. Então somos herdeiros do céu, como Jesus é, porque Deus é o nosso Pai.

Catequista: Isso mesmo!!! Vocês entenderam direitinho!! Bom, voltando a história: O filho recebeu a herança, foi embora e gastou tudo o que o pai havia dado para ele! Então ele ficou sem nada, foi trabalhar em uma fazenda e tinha que comer o resto da comida dos porcos.

PA: Que horror!


PB: Bem feito... quem mandou gastar a herança toda!

Catequista: Daí ele se lembrou como o pai tratava seus empregados bem e resolveu voltar. 


PA: Só soube dar valor às coisas do pai quando perdeu tudo!

PB: Tomara que pai não o aceite de volta...

Catequista: Quando o pai o viu chegando, ficou muito feliz e preparou uma grande festa. Mas o filho mais velho não gostou nada, nada, pois ele havia ficado fiel ao lado do pai e não achou justo o pai preparar festa para aquele filho que não deu valor ao pai que tinha! Então o pai disse: Fico feliz porque achei que tinha perdido esse filho e agora ele voltou! Tenho muito motivo para festejar!!

Personagem A: Catequista, eu não gostei do meu personagem. Eu peguei o Filho Pródigo! E não quero ser ele no teatrinho porque não concordo com a atitude dele! 

Personagem B: Eu tirei o pai e também não gostei! Ele teve que perdoar o filho!!! Eu não perdoaria...

Catequista: Então vou contar uma coisa para vocês! Nessa história, Jesus está nos ensinando que somos um pouco de cada personagem.

Personagens A e B: Como assim??

Catequista: Vou explicar. Muitas vezes agimos como o filho pródigo, quando nos afastamos da nossa família, de Deus, quando nossas atitudes são ruins, quando queremos tudo para nós sem nos importar com as pessoas!!! Já tivemos atitudes assim?

Personagens A e B: Sim!

Catequista: E o que faremos?

Personagem A: Precisamos pensar, nos arrepender e voltar!

Catequista: Exatamente o que o filho pródigo fez!!! Agora, tem momentos que agimos como o filho mais velho, que julga o erro do outro, que não sabe perdoar... Já vivemos momentos assim?

Personagens A e B: Já sim!!

Personagem B: É que existe momentos que é tão difícil perdoar! E acho que o filho pródigo nem merecia o amor do pai...

Catequista: Nessa parábola o pai é Deus!!! E todos merecem o amor do Pai! Precisamos aprender com Deus a aceitar e perdoar alguém que está arrependido. Assim como Deus que nos acolhe, nos perdoar e nos dá força para continuar pertinho dele e de Jesus com o auxilio do nosso amigão Espirito Santo.

Personagem A: Puxa, essa história nos ensinou muitas coisas!!

Personagem B: Agora entendi a importância de fazermos um teatro muito legal!!

Catequista: Muito bem crianças!! Jesus contou essa Parábola para nos mostrar que precisamos estar sempre atentos as nossas atitudes. Precisamos pensar nas atitudes que temos conosco mesmo, com os outros e com Deus! Assim se errarmos, precisamos voltar para o caminho de Deus. E se errarem conosco, precisamos pedir força ao Espirito Santo para perdoar e mostrar o caminho para nosso irmão, perdoando-o!


Personagem A: Isso é amar!

Catequista: Na verdade se aprendemos a agir sempre com amor, estaremos obedecendo ao maior mandamento de Deus: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos!!!



Sugestão de Música





Ideia para trabalhar esse Evangelho


Como vimos no teatrinho, durante nossa vida, as vezes somos filho pródigo e as vezes somos o filho mais velho. Então, para aprenderem bem a lição de hoje, que tal entrar no mundo de cada personagem do evangelho para refletir com as crianças sobre suas atitudes!?

O Filho Pródigo 

-  Como ele agiu na história?

- Quando parecemos com ele?

- Algum dia você já esteve no caminho errado, fez algo que te trouxe muita tristeza? Como foi?

- O pai do filho pródigo, simboliza Deus, que nos ama e sempre nos perdoa. Você está perdoando o que precisa ser perdoado, assim como Deus faz com a gente? 

- Devemos obediência ao papai e a mamãe, eles nos amam e foram os grandes guardiões da nossa vida, Deus nos confiou a eles. Como você pode fazer para melhorar algumas coisas que machucam o coração do papai e mamãe? O que você pode mudar?


O Filho mais velho

- Como será que ele se sentiu quando o pai permitiu que seu irmão fosse embora de casa levando sua parte da herança, para curtir a vida. Com raiva? Inveja? 
Será que já não sentimos o mesmo e julgamos os outros sem saber de seus sentimentos, suas motivações?

- E como será que ele se sentiu quando o pai comemorou o retorno de seu irmão, recebendo-o de braços abertos, mesmo após ter deixado tudo pra trás e ter perdido toda a heranças? Com raiva? Ciúme? 
Será que não alimentamos maus sentimentos pelos outros, por não sabermos  perdoar o irmão? Será que não ficamos querendo que todos sejam como nós, que não aceitamos os outros que fazem escolhas diferentes das nossas?


Oração

Espírito Santo, me dê entendimento e aceitação, para que eu não julgue meus irmãos, para que eu saiba acolher, perdoar e que eu viva sempre a certeza que Deus ama a todos da mesma maneira, independente de suas escolhas. Amém!

domingo, 10 de março de 2019

Evangelho de Lucas 13,1-9

Missa de 24 de março de 2019
3º DOMINGO DA QUARESMA “Fraternidade e políticas públicas”.
“Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27)


Leituras
Primeira Leitura Ex 3,1-8a.13-15)
Salmo 102/103
Segunda Leitura 1Cor 10,1-6.10-12
Evangelho Lc, 13,1-9
Fonte: http://liturgiadiaria.cnbb.org.br/

Mensagem Principal
Nesta liturgia, Jesus insiste na necessidade de conversão, ao mesmo tempo em que nos encoraja a perseverarmos mesmo tendo vivido fracassos. Sempre há possibilidade de dar frutos. Nessa certeza de que o Senhor é bondoso e compassivo. Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM


O texto apresenta duas partes distintas, embora unidas pelo tema da conversão. Na primeira parte (cf. Lc 13,1-5), Jesus cita dois exemplos históricos que, no entanto, não conhecemos com exactidão (assassínio de alguns patriotas judeus por Pilatos e a queda de uma torre perto da piscina de Siloé). Flávio Josefo, o grande historiador judeu do séc. I, narra como Pilatos matou alguns judeus que se haviam revoltado em Jerusalém. Trata-se do exemplo citado por Jesus? Não sabemos. Também não sabemos nada sobre a queda da torre de Siloé que, segundo Jesus, matou dezoito pessoas… Apesar disso, a conclusão que Jesus tira destes dois casos é bastante clara: aqueles que morreram nestes desastres não eram piores do que os que sobreviveram. Refuta, desta forma, a doutrina judaica da retribuição segundo a qual o que era atingido por alguma desgraça era culpado por algum grave pecado. No caso presente, esta doutrina levava à seguinte conclusão: “nós somos justos, porque nos livramos da morte nas circunstâncias nomeadas”. Em contrapartida, Jesus pensa que, diante de Deus, todos os homens precisam de se converter. A última frase do vers. 5 (“se não vos arrependerdes perecereis todos do mesmo modo”) deve ser entendida como um convite à mudança de vida; se ela não ocorrer, quem vencerá é o egoísmo que conduz à morte. Na segunda parte (cf. Lc 13,6-9), temos a parábola da figueira. Serve para ilustrar as oportunidades que Deus concede para a conversão. O Antigo Testamento tinha utilizado a figueira como símbolo de Israel (cf. Os 9,10), inclusive como símbolo da sua falta de resposta à aliança (cf. Jer 8,13) (uma ideia semelhante aparece na alegoria da vinha de Is 5,1-7). Deus espera, portanto, que Israel (a figueira) dê frutos, isto é, aceite converter-se à proposta de salvação que lhe é feita em Jesus; dá-lhe, até, algum tempo (e outra oportunidade), para que essa transformação ocorra. Deus revela, portanto, a sua bondade e a sua paciência; no entanto, não está disposto a esperar indefinidamente, pactuando com a recusa do seu Povo em acolher a salvação. Apesar do tom ameaçador, há no cenário de fundo desta parábola uma nota de esperança: Jesus confia em que a resposta final de Israel à sua missão seja positiva. Fonte: http://www.dehonianos.org


Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Vovó, ai na sua horta tem alguma coisa que não tá dando fruto, nem flor, assim, só tá dando trabalho?

Vovó: Tem, tem sim... a macieira, a árvore das maças e também o limoeiro, acho que eles estão com preguiça este ano...(risos)

Personagem A: Ah e o que você vai fazer, vovó?

Vovó: Eu vou cuidar dos 2, vou regar mais, vou adubar, dar carinho... dar mais atenção para eles.

Personagem A: O que é adubar?

Vovó: Adubo é uma mistura de vitaminas, de nutrientes que as plantinhas precisam...

Personagem A: Eu não gosto de limão, mas eu adoro maça... A senhora pode colocar mais adubo na macieira, por favor? Eu ainda não comi nenhuma maçãzinha dela este ano...Gosto tanto.

Vovó: Tem o suficiente para os dois, a macieira e o limoeiro, fique tranquilho, querido!

Personagem A: Que bom! Oh vovó a senhora sabia que Jesus salvou uma figueira, a arvore dos figos, no evangelho de hoje? acabei de chegar da missa com o papai e a mamãe e o padre disse... Foi nas historinhas que Jesus contava...

Vovó: Sei, foi a missa com seu avô cedinho e também escutamos o evangelho.

Personagem A: Eu não gosto de figo... Jesus pelo jeito gostava, né... deve ter sido Nossa Senhora que obrigava ele a comer pra ficar forte... coitado...

Vovó: (risos)... Na verdade, a figueira, a historinha da figueira é uma parábola, historinhas que Jesus contava para ficar fácil entender o que ele queria ensinar...

Personagem A: Verdade, é mesmo... eu já aprendi isso na Catequese.

Vovó: Isso mesmo... e nesta historinha Jesus quer nos mostrar que Deus sempre nos dá uma nova chance, nos perdoa quando não damos frutos na época esperada...

Personagem A: Igual a senhora tá fazendo com as plantinhas, dando uma chance... cuidando delas!

Vovó: Sim, to cuidando delas, porque acredito que vão dar frutos logo e porque gosto delas, cuidei delas sempre com tanto amor, desde a sementinha!

Personagem A: Deus também cuidou da gente, né vó... desde de sementinha, desde a barriga da mamãe... quando eramos do tamanho da sementinha...

Vovó: Isso, e eu cuido delas também porque preciso delas, é nosso alimento...

Personagem A: Verdade, eu amo maças.

Vovó: Deus também, precisa de nós... precisa que a gente dê os melhores frutos de amor para trazer as pessoas que ainda não conhecem este doce amor Dele para juntinho do Seu coração. Deus quer salvar a todos e conta muito com a gente.

Personagem A: Então, temos que sempre dar estes frutos, vó!

Vovó: Sim, querido temos. Jesus está sempre pronto a nos ajudar e nos deu poderosos adubos: a bíblia, a oração, a catequese as santas missas.

Personagem A: Ótimo, vovó... eu vou ser uma árvore com muitos frutos e vou ser jardineiro também, como Jesus, vou cuidar das árvores da família, a senhora, o vovô, mamãe, papai... meu irmão, meus primos todo mundo, quando alguém ficar sem frutos, vou adubar com muito amor!

Vovó: Muito bem! Jesus está orgulhoso de você, e eu também!


Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho


Nós somos chamados a dar frutos, a espalhar o amor de Deus pelo mundo. Um amor que alimenta, sustenta, traz sementes, que geram novos frutos. Somos como uma árvore!

E muitas vezes, somos como a figueira, a árvore do evangelho de hoje! Não cumprimos a nossa missão, não damos os frutos que Deus nos pede... não espalhamos o Seu amor!

Vamos construir esta árvore, dar uma a cada criança. Na figura, as duas faces tem frutos, mas a nossa ideia é deixar uma sem frutos e uma com frutos. Assim vamos trabalhar que frutificar é a nossa missão, e não podemos nos esquecer disso.

Ao apresentar a arvore para as crianças mostre os 2 lados: com e sem frutos, diga que é nossa decisão frutificar e mais que isso é a nossa missão. Precisamos adubar a nossa árvore com: a bíblia, a oração, a catequese as santas missas. Tudo nos ajuda! O grande jardineiro que é Jesus, sempre nos auxilia.



 

Fonte: Este modelinho de árvore (fotos) está disponível em passo a passo no: Blogdaebi


Oração

Jesus, que a minha árvore, possa sempre ter os melhores frutos para alegrar o seu coração. Que quando eu tiver preguiça, quando o pecado vier, eu conte com a sua ajuda para logo voltar para o caminho certo. O caminho das árvores mais bonitas, com a sombra do seu amor. Amém!



domingo, 3 de março de 2019

Evangelho de Lucas 9,28b-36

Missa de 17 de março de 2019

2º DOMINGO DA QUARESMA 
“Fraternidade e políticas públicas”.
 “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1, 27)


Leituras
Primeira Leitura Gn 15,5-12.17-18
Salmo 26/27
Segunda Leitura Fl 3,17-4,1
Evangelho Lc 9,28b-36
Fonte: Liturgia Diária CNBB

Mensagem Principal
Neste domingo Jesus leva seus discípulos a viver uma experiência da presença de Deus, que os convida a ouvir a Palavra de seu Filho: “Escutai o que Ele diz”. Somos chamados também a nos colocar na presença de Deus e depois de ouvir o que Ele nos diz, descer a montanha, voltar às nossas casas e proclamar as maravilhas do Senhor. Fonte:  Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM
O relato da transfiguração de Jesus, mais do que uma crónica fotográfica de acontecimentos, é uma página de teologia; aí, apresenta-se uma catequese sobre Jesus, o Filho amado de Deus, que através da cruz concretiza um projecto de vida.
O episódio está cheio de referências ao Antigo Testamento. O “monte” situa-nos num contexto de revelação (é “no monte” que Deus Se revela e que faz aliança com o seu Povo); a “mudança” do rosto e as vestes de brancura resplandecente recordam o resplendor de Moisés, ao descer do Sinai (cf. Ex 34,29); a nuvem indica a presença de Deus conduzindo o seu Povo através do deserto (cf. Ex 40,35; Nm 9,18.22;10,34).Moisés e Elias representam a Lei e os Profetas (que anunciam Jesus e que permitem entender Jesus); além disso, são personagens que, de acordo com a catequese judaica, deviam aparecer no “dia do Senhor”, quando se manifestasse a salvação definitiva (cf. Dt 18,15-18; Mal 3,22-23). Eles falam com Jesus sobre a sua “morte” (“exodon” – “partida”) que ia dar-se em Jerusalém. A palavra usada por Lucas situa-nos no contexto do “êxodo”: a morte próxima de Jesus é, pois, vista por Lucas como uma morte libertadora, que trará o Povo de Deus da terra da escravidão para a terra da liberdade.A mensagem fundamental é, portanto, esta: Jesus é o Filho amado de Deus, através de quem o Pai oferece aos homens uma proposta de aliança e de libertação. O Antigo Testamento (Lei e Profetas) e as figuras de Moisés e Elias apontam para Jesus e anunciam a salvação definitiva que, n’Ele, irá acontecer. Essa libertação definitiva dar-se-á na cruz, quando Jesus cumprir integralmente o seu destino de entrega, de dom, de amor total. É esse o “novo êxodo”, o dia da libertação definitiva do Povo de Deus.E o “sono” dos discípulos e as “tendas”? O “sono” é simbólico: os discípulos “dormem” porque não querem entender que a “glória” do Messias tenha de passar pela experiência da cruz e da entrega da vida; a construção das “tendas” (alusão à “festa das tendas”, em que se celebrava o tempo do êxodo, quando o Povo de Deus habitou em “tendas, no deserto?) parece significar que os discípulos queriam deter-se nesse momento de revelação gloriosa, de festa, ignorando o destino de sofrimento de Jesus. Fonte: Dehonianos.org

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A entra toda feliz com uma câmera na mão para tirar fotos. Ao encontrar o Personagem B, começa a tirar fotos

Personagem B: Oi amiguinhos!! Mas Personagem A, o que significa isso?? Por que você está tirando fotos assim de mim??

Personagem A: Oi galerinha!! Então você não está sabendo da novidade??

Personagem B: Que novidade?

Personagem A: Então fui a missa hoje e escutei o comentarista falando que a Transfiguração mostrou Jesus para os discípulos!

Personagem B: Transfiguração??

Personagem A: Então vou explicar: Transfiguração é um dia muito legal! Nesse dia Jesus está transformando fotos em figurinhas!

Personagem B: Jesus está transformando fotos em figurinhas???

Personagem A: Isso mesmo!!! São figurinhas iluminadas!!

Personagem B: Nossa que legal! Então vamos tirar muitas fotos!!!

(Começam a tirar as fotos e a Catequista chega)

Catequista: Oi Crianças!! Crianças o que vocês estão fazendo???

Personagem A: Estamos tirando fotos para Jesus transformar em figurinhas!

Catequista: Como assim?

Personagem B: Catequista, hoje é o dia da Transfiguração de Jesus! Nós tiramos as fotos e Ele transforma as fotos em figurinhas!

Catequista: Meu Deus!! Claro que não!! Vocês estão fazendo uma enorme confusão! Vou explicar!! No Evangelho de hoje, Jesus levou Pedro, Tiago e João para rezarem. Chegando lá, Jesus se transfigurou!! Sua roupa ficou iluminada, muito iluminada!

Personagem A: E por que aconteceu isso com Ele?

Catequista: Deus Pai quis mostrar aos discípulos e a todos nós que Jesus é seu Filho muito amado e que precisamos escutar o que Ele diz e colocar em prática todos os Seus ensinamentos!

Personagem B: Ah, então a nuvem que falou na verdade foi a voz de Deus Pai?

Catequista: Isso mesmo!! Deus mostrou para nós a luz que brilha em Seu Filho Jesus! É essa luz que precisamos buscar viver em nossas vidas!!

Personagem A: E Moisés e Elias?

Catequistas: Eles são verdadeiros profetas, são mensageiros da Palavra de Deus! Assim como Jesus. Vamos pedir ao Espirito Santo que abra os nossos ouvidos para escutarmo sempre a palavra de Jesus e toque o nosso coração para que esta Palavra dê frutos nas nossas atitudes e na nossa maneira de viver!
Amém!

Sugestão de Música

A Campanha da Fraternidade traz o tema das políticas publicas e quem é que vai fazer isso acontecer? Nós? e como, fazendo como Jesus fez, amando nossos irmãos, buscando partilhar e amar!



Ideia para trabalhar esse Evangelho


Essa é uma ideia ótima para explicar o Evangelho!!!
A sugestão é a seguinte:
- Deixar o Espirito Santo escondido dentro do Copinho!
- Puxa a cordinha de Jesus e conte que a nuvem cobriu Jesus e Deus Pai disse: Eis o meu Filho muito amado. Escutai o que Ele disser!
- Falar da importância de escutarmos o que Jesus nos ensina e coloque em prática.
- E para colocar em prática, temos a ajuda do nosso amigão o Espirito Santo!! Então desce o Espirito Santo que estava escondido no copinho!!

Pode ser ser dado este copinho de lembrancinha para que a criança leve e explique para os pais o que aprendeu!




Neste blog da CNBB você pode encontrar materiais para encontros da Catequese ou Grupinho sobre a Campanha da Fraternidade: Encontros Catequeticos - Campanha da Fraternidade 2019

Oração

Querido Jesus, nos ajude a encher nosso coração do seu amor e trazer a todos os nossos irmãos a luz e o carinho que ser seu amigo nos dá! Amém!