Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Evangelho de Lucas 4, 1 - 13


Resultado de imagem para tentação no deserto desenho

Missa de 10 de Março de 2019.

1º DOMINGO DA QUARESMA


Leituras
Primeira Leitura  Deut 26,4-10
Salmo Salmo 90 (91)
Segunda Leitura  Rom 10,8-13
Evangelho Lc 4,1-13

Fonte: Liturgia Diária CNBB


Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, tendo iniciado nosso caminho quaresmal, recordamos neste domingo a vitória de Cristo sobre as tentações do deserto. Caminhemos neste santo tempo rumo à Páscoa; usemos como instrumentos de combate a oração, a penitência e a esmola do amor fraterno para que, ao final do caminho, sejamos mais conformes à imagem bendita do Cristo Jesus ressuscitado, nosso Senhor e Deus, vencedor do Maligno e da morte.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

No início da Quaresma, a Palavra de Deus apela a repensar as nossas opções de vida e a tomar consciência dessas “tentações” que nos impedem de renascer para a vida nova, para a vida de Deus.
A primeira leitura convida-nos a eliminar os falsos deuses em quem às vezes apostamos tudo e a fazer de Deus a nossa referência fundamental. Alerta-nos, na mesma lógica, contra a tentação do orgulho e da auto-suficiência, que nos levam a caminhos de egoísmo e de desumanidade, de desgraça e de morte.
O Evangelho apresenta-nos uma catequese sobre as opções de Jesus. Lucas sugere que Jesus recusou radicalmente um caminho de materialismo, de poder, de êxito fácil, pois o plano de Deus não passava pelo egoísmo, mas pela partilha; não passava pelo autoritarismo, mas pelo serviço; não passava por manifestações espetaculares que impressionam as massas, mas por uma proposta de vida plena, apresentada com simplicidade e amor. É claro que é esse caminho que é sugerido aos que seguem Jesus.
A segunda leitura convida-nos a prescindir de uma atitude arrogante e auto-suficiente em relação à salvação que Deus nos oferece: a salvação não é uma conquista nossa, mas um dom gratuito de Deus. É preciso, pois, “converter-se” a Jesus, isto é, reconhecê-lo como o “Senhor” e acolher no coração a salvação que, em Jesus, Deus nos propõe.

Ideia de roteiro para teatro

PA: Oi PB! 

PB: Oi PA! Tudo bem?

PA: Tudo! Eu passei aqui só pra te falar um oi rapidinho e dizer que agora não vou mais poder ficar brincando com você.

PB: E por que não? 

PA: Ah PB é que agora tenho um novo amigo e vou ficar muito ocupado brincando com ele.

PB: Nossa mas podemos brincar todos juntos né?

PA: Claro que não PB! O pai desse meu amigo novo tem uma loja de doces. Então não pode ir muita gente lá!

PB: Mas o que tem demais a gente brincar com a loja de doces?

PA: Ué PB se a casa estiver cheia de crianças ele vai ter que oferecer os doces maravilhosos pra todo mundo! E se for só eu, eu posso ganhar muito mais doce!

PB: Nossa PA como você está sendo egoísta!

PA: Não estou não PB é que eu conheci esse amigo primeiro então tenho o direito de ganhar todos os doces. 

PB: Nossa! Não acho isso legal não. 

Catequista: O que não é legal PB?

PB: Ah catequista é o PA que disse que não pode mais brincar comigo porque tem um amigo novo e que o pai desse amigo tem uma loja de doces e aí se eu for brincar junto PA fica com menos doces que o pai do novo amigo oferece! 

Catequista: Nossa PA você está trocando um amigo por um monte de doces?

PA: Ah Catequista não é bem assim! Eu até pensei em chamar o PB, mas são os brigadeiros mais gostosos que eu já vi! Não consigo resistir! Eu vejo e quero comer tudinho! 

Catequista: Ah PA!

PA: E tem mais uma coisa, todo mundo vai saber que eu fiz amizade primeiro com os vizinhos novos! 

Catequista: Ah PA! Isso não é legal!

PA: Mas Catequista todo mundo gosta de ser especial e ter mais amigos e comer mais doces e ganhar mais presentes.

Catequista: Sim PA, mas isso não é o mais importante!

PB: E ninguém gosta de ser esquecido pelos amigos né?

Catequista: O mais legal é que quando temos bastante coisa, podemos dividir com as pessoas. Quando conhecemos bastante gente, podemos ter um grupo ainda maior de amigos, quando temos uma casa grande, podemos acolher ainda mais gente para que todos se sintam especiais. A melhor coisa que podemos fazer é deixar a vida daqueles que nos conhecem ainda melhor.

PA: Ah Catequista eu não tinha pensado nisso! PB tem razão, estou sendo um pouco egoísta!

PB: Um pouco? Muito egoísta! Nem deu tempo pra eu falar com PA sobre a história que minha mãe me contou!

PA: Que história?

PB: Minha mãe disse em casa hoje que nós precisamos ser muito fortes assim como Jesus e resistir as tentações que aparecem. Ela falou porque meu irmão e eu queríamos acabar com uma caixa de chocolates deliciosos, mas pensando bem, essa história das tentações vai servir muito pra você hoje PA. Pra você resistir a tentação de querer os doces só pra você, de querer ser o único amigo do novo vizinho. Pode me ajudar a contar como foi com Jesus catequista? Minha mãe contou porque foi a história do Evangelho!

Catequista: Sim PB. Jesus foi para o deserto e passou 40 dias lá em oração, aí apareceu o diabo e começou a tentar Jesus. Ele sabia que Jesus estava com fome então pediu pra Jesus transformar as pedras em pães, mas Jesus disse que devemos também nos alimentar da palavra de Deus. Depois o diabo disse que daria a Jesus todos os reinos da terra se Jesus o adorasse, mas Jesus prontamente respondeu que devemos adorar somente à Deus. Por último, Ele queria que Jesus mostrasse seu poder e Jesus o mandou ir embora pois não devia tentar o Senhor. 
Jesus mesmo tendo todo o poder pra fazer todas aquelas coisas e mostrar que era o melhor, não fez, escolheu ser simples e humilde!

PB: E não deve ter sido fácil né?

Catequista: Não PB, mas se seguimos os ensinamentos de Jesus, escolhemos sempre viver conforme a vontade de Deus e isso nos ajuda a vencer as tentações.

PA: Nossa pessoal acho que estava mesmo sendo egoísta e assim como Jesus fez, preciso orar mais pra não ficar fraco e cair nessas pegadinhas de querer tudo só pra mim. No final ia ficar sem as coisas mais importantes né?

Catequista: Isso mesmo PA! Jesus nos ensina à buscar o que realmente importa e a partilhar o que temos com aqueles que precisam, essa é a verdadeira riqueza! Porque o que mais importa nessa vida Jesus já nos deu sem cobrar nada, a nossa Salvação!

PA: Sim catequista! PB me desculpas tá? Vamos brincar sim todos juntos, vai ser muito mais divertido!




Sugestão de Música


Ideia para trabalhar esse Evangelho



Levar para o encontro uma caixa enfeitada com laços e fitas. enfatizar que a caixa não pode ser aberta. Deixar a caixa durante todo o encontro em um lugar visível de forma a atrair a atenção da criança. 
Levar uma caixa menos bonita e também deixar em um cantinho. Na caixa menos bonita colocar chocolates dentro para serem distribuídos ao final do encontro. 
Ao termino do encontro deixar as crianças abrirem a caixa bonita que estará vazia e explicar que as tentações são como essa caixa, enchem nossos olhos, mas deixam nossas vidas vazias.
Abrir a caixa menos bonita e distribuir o doce. Explicar que nem sempre seguir os caminhos de Jesus parece fácil, bonito ou agradável, mas sempre deixa nossa vida mais doce e feliz.


Oração
Senhor Jesus queremos ser fortes e vencer as tentações! Nos ajude a escolher sempre o caminho da partilha, do amor, da oração. Que possamos ser gratos pela salvação que já nos foi concedida! Amém!



segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Evangelho de Lucas 6, 39-45

Missa de 03 de Março de 2019


8º DOMINGO DO TEMPO COMUM



Leituras
Primeira Leitura Eclo 27, 5-8 (gr.4-7)
Salmo 91,2-3.13-14.15-16 (R. Cf. 2a)
Segunda Leitura 1Cor 15,54-58
Evangelho Lc 6,39-45

(Liturgia Diária CNBB)




Mensagem Principal

Não elogies a ninguém, antes de ouvi-lo falar.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!


MENSAGEM

O tema central da liturgia deste domingo convida-nos a refletir sobre esta questão: aquilo que nos enche o coração e que nós testemunhamos é a verdade de Jesus, ou são os nossos interesses e os nossos critérios egoístas?
O Evangelho dá-nos os critérios para discernir o verdadeiro do falso “mestre”: o verdadeiro “mestre” é aquele que apenas apresenta a proposta de Jesus gerando, com o seu testemunho, comunhão, união, fraternidade, amor; o falso “mestre”, ao contrário, é aquele que manifesta intolerância, hipocrisia, autoritarismo e cujo testemunho gera divisões e confusões: o seu anúncio não tem nada a ver com o de Jesus.
A primeira leitura, na mesma linha, dá um conselho muito prático, mas muito útil: não julguemos as pessoas pela primeira impressão ou por atitudes mais ou menos teatrais: deixemo-las falar, pois as palavras revelam a verdade ou a mentira que há em cada coração.
A segunda leitura não tem, aparentemente, muito a ver com esta temática: é a conclusão da catequese de Paulo aos coríntios sobre a ressurreição. No entanto, podemos dizer que viver e testemunhar com verdade, sinceridade e coerência a proposta de Jesus é o caminho necessário para essa vida plena que Deus nos reserva. Do nosso anúncio sincero de Jesus, nasce essa comunidade de Homens Novos que é anúncio do tempo escatológico e da vida que nos espera. 
(Fonte: dehonianos.org)


Ideia de roteiro para teatro


Personagem A: Oi amigo, tudo bem?

Personagem B: Oi! Tudo bem! E você, como está na escola nova? Está gostando?

PA: Puxa, pior que não... eu até gosto da escola, mas não das pessoas...

PB: Que pena, mas o que houve?

PA: Não aconteceu nada de mais... mas as pessoas de lá são muito antipáticas e metidas.

PB: Mas você nem as conhece direito...

PA: Pois é! Não conheço, mas já não gosto delas...

Entra a catequista perguntando: Oi crianças! De quem você não gosta PA?

PB: Ele não gosta dos colegas da nova escola.

Catequista: Mas PA, você está há pouco tempo na escola nova, já conheceu a todos?

PA: Não catequista, não conheci... São metidos e antipáticos, nem vieram falar comigo, não me chamaram pra brincar no intervalo...

Catequista: Mas, e você foi falar com eles? Se apresentou e pediu para brincar  junto?

PA: Não...

PB: Puxa, mas então eles também devem estar te achando metido e antipático!

PA: Como assim? Claro que não!

Catequista: Veja bem PA! Se você quer que seus colegas sejam legais com você, seja antes legal com eles!

PB: Isso é verdade... o PA está culpando os colegas de não irem falar com ele... mas ele mesmo não foi se apresentar aos colegas!

Catequista: Crianças, o evangelho de hoje vem nos ensinar que não devemos julgar as pessoas... E quando só nos preocupamos em só olhar o outro, esquecemos de olhar para nós mesmos. Nós como cristãos devemos ser reconhecidos por nossas atitudes de misericórdia!

PA: Atitudes de misericórdia?

Catequista: Se olharmos com olhos de misericórdia, com os olhos do coração, assim como faz Jesus, veremos as fragilidades dos outros, assim poderemos ajudá-los, ao invés de julgá-los. E se tivermos um olhar misericordioso, agiremos com misericórdia, sem julgamentos, sem vaidades e preconceitos!

PB: Nossa catequista!

Catequista: É muito fácil falar dos erros dos outros e sair criticando e falando mal das pessoas... o difícil é olhar para as nossas atitudes com a mesma exigência quando os erros são nossos. 

PB: Catequista, a minha mãe sempre fala que eu coloco a culpa de tudo nos outros...

Catequista: E é verdade... Muitos de nós também. 

PA: Eu não tinha pensado assim...

Catequista: Pois temos sempre que pensar se somos tão exigentes conosco como somos com os outros. Temos que querer ajudar o irmão ao invés de apenas julgá-lo.

PB: Mas catequista, os meus colegas bem que poderiam vir até mim...

Catequista: Poderiam! Mas o que te impede de ter a humildade de dar o primeiro passo para conhecê-los? O que te impede de olhar para seu colega com caridade, com misericórdia, ao invés de sair criticando e julgando? Você como cristão deve viver a Palavra de Deus!

PA: Como assim, viver a Palavra?

Catequista: Meninos, a Palavra dita só terá valor quando vivida! Em todas as situações da nossa vida, a melhor maneira de evangelizar alguém é através da nossa atitude!

PA: E como o PB deve viver a Palavra de Deus nesse caso?

Catequista: Deixando de apontar o dedo para os colegas e dizendo que são metidos sem ao menos conhecê-los!

PB: Devo ir até eles para conhecê-los de verdade! É isso catequista?

Catequista: Exatamente! Só assim você saberá quem são, do que gostam, o que vocês têm em comum, se conhecem Jesus!

PA: Poderão ser mais que colegas! Poderão ser amigos para sempre!

Catequista: É verdade! Devemos sempre olhar com misericórdia e compaixão para todos, sem julgamentos e preconceitos! É o que Jesus nos pede! Devemos viver os ensinamentos de Jesus ao invés de ficar controlando quem está ou não vivendo esses ensinamentos!

PB: Eu entendo catequista, mas nem sempre é fácil olhar com misericórdia!

Catequista: Nunca é! Mas devemos olhar pra dentro de nós, perceber o que é preciso mudar para sermos melhores a cada dia! Quando olhamos pra dentro de nós, nosso olhar para o mundo e para os irmãos se abre!



Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho


Como vimos no evangelho e na sugestão de teatro, é muito fácil falar dos erros dos outros! 
Então, para trabalhar esse tema, que tal propor às crianças que deem exemplos de situações e pessoas que as chateiam e depois ajudá-las a ter um outro olhar sobre a mesma pessoa e situação citadas.

A proposta é mostrar que se tivermos um olhar misericordioso para com o outro e se olhar antes para as nossas atitudes e os nossos erros, poderemos enxergar que o outro tem muito mais valor que imaginávamos.

Exemplo:

Situação/Julgamento - Minha mãe é uma chata que manda que eu arrume minha cama todo dia!

Olhar para dentro - Sou desobediente e preciso que todo dia minha mãe se/me chateie para que eu arrume minha cama.

Olhar misericordioso - Minha mãe me ama, se preocupa com minha educação, minha formação pessoal, quer me ensinar a ser uma pessoa responsável e organizada, tudo isso para o meu próprio bem!


Oração

 Senhor, envia Teu Santo Espírito para que eu sempre olhe meu irmão com caridade e misericórdia, que eu nunca o julgue, que antes eu olhe para dentro de mim e busque ser o evangelho vivo na vida do próximo. Amém!



domingo, 17 de fevereiro de 2019

Evangelho de Lucas 6,27-38

Missa 24 de Fevereiro de 2019

papa francisco desenho  
7º DOMINGO DO TEMPO COMUM
MISERICORDIOSOS COMO O PAI

Leituras
Primeira Leitura 1Sm 26,2.7-9.1213.22-23
Salmo  Sl 102/ 103
Segunda Leitura 1Cor 15,45-49
Evangelho Lc 6,27-38


Mensagem Principal

Irmãos e Irmãs, na Liturgia deste Domingo, Jesus apresenta diversas atitudes que nos ajudam a viver e a experimentar o amor misericordioso do Pai.
Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM
A exigência de amar e perdoar não é uma novidade radical inventada por Jesus. O Antigo Testamento já conhecia a exigência de amar o próximo (cf. Lv 19, 18); no entanto, essa exigência aparecia com limitações. Normalmente, o amor e o perdão ao inimigo apareciam limitados aos adversários israelitas (cf. 1 Sam 24, 26), aos compatriotas, àqueles a quem o crente vétero-testamentário estava ligado por laços étnicos, sociais, familiares, religiosos. Em contrapartida, o ódio ao inimigo – a esse que não fazia parte do mesmo povo nem da mesma raça – parecia, para o Antigo Testamento, algo natural (cf. Sal 35).
Jesus vai muito mais além do que a doutrina do Antigo Testamento. Para Ele, é preciso amar o próximo; e o próximo é, sem exceção, o outro – mesmo o inimigo, mesmo o que nos odeia, mesmo aquele que nos calunia e amaldiçoa, mesmo aquele de quem a história ou os ódios ancestrais nos separam (cf. Lc 10, 25-37). Os exemplos concretos que Jesus dá a este propósito (cf. Lc 6, 29-30) sugerem que não basta evitar responder às ofensas; é preciso ir mais além e inventar uma dinâmica de amor que desarme a violência, a agressividade, o ódio. Ele não nos pede, possivelmente, que tenhamos uma atitude covarde, passiva ou colaborante perante a injustiça e a opressão; o que Ele nos pede é que sejamos capazes de gestos concretos que invertam a espiral de violência e de ódio: trata-se de não responder “na mesma moeda”; trata-se de estar sempre disposto a acolher o outro, mesmo o que nos magoou e ofendeu; trata-se de estar sempre de mão estendida para o irmão, sem nunca cortar as vias do diálogo e da compreensão. O amor é a única forma de desarmar o ódio e a violência… Só assim os crentes imitarão a bondade, o amor e a ternura de Deus.
A afirmação de Lc 6, 31 costuma ser chamada a “regra de ouro” da caridade cristã: “o que quiserdes que os homens vos façam, fazei-lho vós também”. Indica que o amor não se limita a excluir o mal, mas que implica um compromisso sério e objetivo para fazer o bem ao próximo. Devemos, no entanto, rejeitar qualquer compreensão “mercantilista” desta regra: o que se procura é o bem do outro e não a estrita reciprocidade. Os versículos seguintes (cf. Lc 6, 32-35) acentuam esta perspetiva e garantem que só quem faz o bem de forma gratuita, sem cálculos e sem esperar nada em troca, pode ser “filho de Deus”.

Ideia de roteiro para teatro

(PA entra todo bravo e encontra PB)     

PB: Oi PA! Tudo bem com você?

PA: Não estou nada bem!

PB: Percebi mesmo, você está com uma cara azeda, até parece que chupou limão.

PA: Ah PB, estou muito bravo!

PB: Mas o que aconteceu PA?

PA: Pelo jeito você não prestou atenção no Evangelho de hoje né, PB?

PB: Claro que prestei, prestei muita atenção!

PA: Então, aí vai uma prova: quero ver você amar os teus inimigos!

PB: Claro que eu amo, pois Jesus amou todos, até aqueles que não gostavam dele ele amava com todo carinho e fazia o bem para todos eles.

PA: Ah sim, Jesus era Jesus. Agora eu quero saber se alguém te bater em um lado do teu rosto você vai virar o outro lado e deixar ele bater novamente?

PB: Hum... Isso deve doer, PA!

PA: Falei pra você, por isso que estou bravo, pois acabei de sair do futebol e tive que vir embora para não revidar um chute que meu amiguinho me deu.

C: Oi crianças! Tudo bem com vocês?

PB: Estou ótimo C, mas o PA, não está nada bem.

C: O que está acontecendo, PA?

PA: Não foi nada! (Com cara de bravo)....

C: Não parece PA, conta pra mim, o PB te fez alguma coisa?

PA: A PB não me fez nada! Foi no futebol! Na verdade, foi Jesus!

C: Como assim? Você jogou bola com Jesus?

PA: Não C, foi o ,PB!

PB: Eu não tenho nada haver com isso!

C: Agora não estou entendendo mais nada, você me disse que ele não tinha feito nada.

PA: Vou te explicar então, estou muito bravo porque eu levei um chute na minha canela no futebol e está doendo muito, aí quando cheguei aqui todo bravo o PB disse que eu tinha que amar todo mundo, "até quem me faz mal".

C: Ah PA agora estou começando a entender as coisas, você brigou no futebol? Você sabe que Jesus não gosta de brigas!

PA: Então C eu não briguei, pelo contrário eu vim correndo embora.

C: Meus parabéns PA, você está certíssimo, mas por que você continua com essa cara amarrada?

PA: É que Jesus pede pra gente dar a outra face se alguém te bater e eu não quero dar a minha outra canela pra ele bater novamente! (Chorando em prantos).

C: Não nesse sentido PA, quando Jesus disse aos discípulos para dar a outra face ele estava mostrando que não adianta pagar o ódio com ódio, e sim se entregar a misericórdia e o perdão de Deus para a pessoa que está te fazendo o mal, e com isso trazer o ensinamento que Jesus nos deixou "Amai como eu os amei"!

PA: Agora eu entendi C, muito obrigado! PB vamos lá continuar o nosso futebol?

PB: Claro PA, vamos lá jogar, brincando a gente tem muitas chances de amar todos os nossos amiguinhos!

PA: Sempre lembrando do exemplo de Jesus!

C: Muito bem, crianças! 
 

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Vamos aprender colorindo:


Oração

Querido Jesus! Nos ensina com teu amor amar a todos, como o Senhor mesmo os ama, tirando toda mágoa, raiva daqueles que nos fizeram mal, que possamos perdoar e ser perdoados e assim experimentar a tua misericórdia nas nossas atitudes. Amém!   

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Evangelho de Lucas 6, 17.20-26

Missa do dia 17 de Fevereiro de 2019


Fonte: http://uniaoinfantil.blogspot.com
6º DOMINGO DO TEMPO COMUM “AS BEM AVENTURANÇAS”
Leituras
Primeira Leitura Jr 17, 5-8
Salmo  1, 1-2.3.4.6 R. Sl 39, 5a
Segunda Leitura 1Cor 15,12.16-20
Evangelho Lc 6,17.20-26
Fonte: Folheto Nova Aliança

Mensagem Principal

Irmãos e Irmãs, a Liturgia deste Domingo, nos ajuda a compreender que as bem aventuranças são um caminho seguro para realizarmos em nossa vida a vontade de Deus.

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:
Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

Lucas inicia este “discurso da planície” com quatro bem-aventuranças (que equivalem às nove de Mateus). Os destinatários destas bem-aventuranças são os pobres, os que têm fome, os que choram, os que são perseguidos. A palavra grega usada por Lucas para “pobres” (ptôchos) traduz certos termos hebraicos (‘anawim, dallim, ebionim) que, no Antigo Testamento, definem uma classe de pessoas privadas de bens e à mercê da prepotência e da violência dos ricos e dos poderosos. São os desprotegidos, os explorados, os pequenos e sem voz, as vítimas da injustiça, que com frequência são privados dos seus direitos e da sua dignidade pela arbitrariedade dos poderosos. Por isso, eles têm fome, choram, são perseguidos. Ora, serão eles, precisamente, os primeiros destinatários da salvação de Deus. Por quê? Porque a proposta libertadora de Deus é para uma classe social, em exclusivo? Não. Mas porque eles estão numa situação intolerável de debilidade e Deus, na sua bondade, quer derramar sobre eles a sua bondade, a sua misericórdia, a sua salvação. Depois, a salvação de Deus dirige-se prioritariamente a estes porque eles, na sua simplicidade, humildade, disponibilidade e despojamento, estão mais abertos para acolher a proposta que Deus lhes faz em Jesus.
As bem-aventuranças manifestam, numa outra linguagem, o que Jesus já havia dito no início da sua atividade na sinagoga de Nazaré: Ele é enviado pelo Pai ao mundo, com a missão de libertar os oprimidos. Aos pequenos, aos privados de direitos e de dignidade, aos simples e humildes, Jesus diz que Deus os ama de uma forma especial e que quer oferecer-lhes a vida e a liberdade plenas. Por isso eles são “bem-aventurados”.
As “maldições” (ou os quatro “ais”) aos ricos que preenchem a segunda parte do Evangelho de hoje são o reverso da medalha. Denunciam a lógica dos opressores, dos instalados, dos poderosos, dos que pisam os outros, dos que têm o coração cheio de orgulho e de autossuficiência e não estão disponíveis para acolher a novidade revolucionária do “Reino”. As advertências aos ricos não significam que Deus não tenha para eles a mesma proposta de salvação que apresenta aos pobres e débeis; mas significam que, se eles persistirem numa lógica de egoísmo, de prepotência, de injustiça, de autossuficiência, não terão lugar nesse “Reino” que Jesus veio propor.

Ideia de roteiro para teatro

PA: (Entra todo feliz carregando uma sacola cheia de brinquedos) Gente olha quanto brinquedo eu consegui arrecadar com meus amigos da escola?

PB: Nossa PA porque você tá cheio desses brinquedos aí? Você já tem tanto brinquedo na sua casa!

PA: Sim, eu tenho muitos brinquedos mesmo, mas foi por isso que eu quis arrecadar alguns brinquedos para meus amiguinhos da escola que não tem nenhum. E você PB não quer aproveitar para doar alguns brinquedos para as crianças carentes?

PB: De jeito nenhum!

PA: Mas aqueles que você não brinca mais, que você nem acha mais graça no brinquedo. É desses que eu estou falando.

PB: Mesmo assim, nem esses eu vou dar.

PA: Nossa PB, precisamos cuidar desses amiguinhos mais carentes, se preocupar com eles!

PB: Ah tá!!! Se eu perder meu tempo me preocupando com essas coisas, como vou aproveitar meu brinquedos e jogos novos? Nem conte com minha ajuda!

PA: Tudo bem, mas não se esqueça que você está deixando de lado aqueles que são muito especiais ao coração de Deus!

C: Oi crianças !!! PA o que está carregando aí nessa sacola?

PA: São brinquedos, catequista, que eu estou arrecadando para meus amiguinhos da escola que não tem brinquedos. Tem algumas crianças lá que estão passando por um momento difícil na família deles. Alguns os pais estão desempregados, outros não tem pai ou não tem mãe e quem cuida tem pouquinho dinheiro que nem dá pra comprar brinquedos, às vezes não dá nem pra comprar comida direito.

C: Que bonita sua atitude! Isso é seguir os ensinamentos que Jesus nos deixou. Jesus disse que Deus ama os pobres e que Ele foi enviado para trazer justiça e cuidar daqueles que estão necessitados.

PA: Eu disse para o PB ajudar na doação e ele não quer nem saber em ajudar, o amor dele pelas coisas que ele tem, é muito maior do que o amor dele pelas pessoas. E agora C, ele não vai mais pra pertinho de Deus por causa disso?

PB: Poxa PA eu não sabia que minha atitude estava sendo tão egoísta assim. Espere um pouco antes de entregar os brinquedos para os seus coleguinhas da escola. Prometo que vou separa vários brinquedos legais que eu tenho para você levar.

C: Olha PA o amor de Deus por nós é igual. Como o PB percebeu que estava sendo egoísta e resolveu mudar a atitude dele, isso traz ele para mais perto do coração de Deus. Quando cuidamos daqueles que estão mais necessitados somos sinais do amor de Deus na vida daquela pessoa e estamos vivendo os ensinamentos que Jesus nos deixou.

PB: Então vamos PA! Vamos passar na minha casa primeiro que eu já quero separar alguns brinquedos para seus amiguinhos! Eu posso ir com você para entregar?

PA: Claro! Tenho certeza que ficarão muito felizes em te conhecer!

 Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho


Nesse evangelho vamos trabalhar com as crianças o amor de Deus por aqueles que vivem na pobreza, são injustiçados.
Levar imagens de crianças no semáforo pedindo esmola, crianças tristes. Imagens que mostrem crianças que vivem à margem da sociedade.
Iniciar a conversa pedindo as crianças que digam o que estão vendo nas imagens.
Converse que muitas dessas crianças das imagens não vão à escola, não tem um brinquedo para brincar, não tem quem as defenda, passam fome.
Logo em seguida falar sobre a mensagem deste evangelho, que quer trazer para nós o amor especial de Deus por aqueles mais necessitados, sofridos. Jesus veio nos ensinar esse amor misericordioso.
Listar com as crianças atitudes misericordiosas com as pessoas como as que aparecem nas fotos.
Exemplos de atitudes que as crianças podem falar:
- Doar comida;
- Procurar os pais dessas crianças ou as pessoas responsáveis por elas para que procurem uma escola para as crianças estudarem;
- Fazer uma campanha para arrecadar brinquedos e doar para as crianças;
Muitas outras atitudes poderão ser colocadas pelas crianças. Reforçar com elas o valor das atitudes boas, positivas.
Depois de construírem a lista com as boas atitudes, reforçar com as crianças que nosso cuidado e carinho com as pessoas necessitadas, pobres, injustiçadas ou que estão passando por qualquer dificuldade, é sinal do amor de Deus por elas. Seguindo os ensinamentos de Jesus, seremos sinal do amor de Deus a todas as pessoas.


Oração

Jesus, entrego-te meu coração para que eu sempre busque o teu caminho. Que eu não me perca diante das riquezas do mundo e nunca deixe de olhar e cuidar daqueles que se encontram mais fragilizados. Amém.